Home>BIRD Magazine>DISLIPIDEMIA, O QUE É?
BIRD Magazine

DISLIPIDEMIA, O QUE É?

ANTONIETA DIAS
As doenças cardiovasculares, designadamente as de natureza aterosclerótica, são a principal causa de invalidez e morte, em Portugal.
Em 1999 foram responsáveis, por 39% dos óbitos registados, sendo a doença cerebrovascular responsável por 52 % dos óbitos. Representam a terceira e quarta causa de morte no nosso País.
Para prevenir as complicações da doença aterosclerótica e na doença coronária em particular a Sociedade Portuguesa de Cardiologia, consciente da gravidade desta patologia, tem investido na identificação e tratamento adequado das dislipidemias, sendo uma prioridade a avaliação do perfil lipídico e a instituição do tratamento cada vez mais agressivo nestes doentes. 
Por definição considera-se dislipidemia quando surge um aumento anormal de colesterol e de triglicerídeos, representando um excesso destes dois componentes no sangue).
Este distúrbio metabólico pode ser resultante de hábitos alimentares inadequados, estilos de vida sedentários, pela presença de doenças tais como a obesidade, diabetes, ou insuficiência cardíaca ou insuficiência renal.
A avaliação do perfil lipídico, em jejum é já uma rotina praticamente obrigatória em todos os adultos com idades iguais ou superiores a trinta anos, sobretudo naqueles que têm dois ou mais fatores de risco cardiovascular, onde se incluem os obesos, os doentes com diabetes mellitus e os doentes com síndrome metabólico.
O perfil lipídico deve ser periódico e pode haver até haver a necessidade de ser despistado mais precocemente se existirem dislipidemias primárias genéticas.

A existência de colesterol e de triglicerídeos no organismo é normal desde que a sua presença não ultrapasse os valores preconizados, sendo o seu papel essencial para o normal funcionamento do organismo, uma vez que desempenham um papel essencial na estruturação das membranas celulares, hormonais (esteroides), nos estrogénios, ácidos biliares.
O colesterol é metabolizado no fígado em bile, solubiliza gorduras e absorve as vitaminas solúveis na gordura (vitamina A, D, E, K).
Os triglicerídeos são um tipo de gordura libertada pelo tecido adiposo e serve para armazenar energia, que o organismo utiliza diariamente.
Uma concentração excessiva de triglicerídeos e de colesterol no sangue circulante pode desencadear uma doença denominada aterosclerose, que lesa a parede arterial sendo uma causa de morte muito comum.

A dislipidemia é uma doença silenciosa que pode ser evitada na maior parte dos casos através da criação de estilos de vida saudáveis (hábitos alimentares corretos), preconizando-se a diminuição da ingestão de carnes vermelhas, enchidos, presunto, conservas, optando por uma alimentação rica em fruta, vegetais, carnes magras, consumo de bebidas alcoólicas moderadas e incentivando ao desenvolvimento de uma atividade física regular.
As guidelines têm um papel preponderante nas recomendações do tratamento, dado que são um instrumento de utilização diária na prática clínica de extrema importância pelo facto de serem baseadas na investigação exaustiva cujas conclusões científicas orientam para a realização das boas práticas médicas.
As guidelines representam um dos pilares mais importantes na medicina atual, resultam do consenso produzido pela investigação de estudos rigorosos dos peritos nesta área, onde o conhecimento médico representa um compromisso da própria Sociedade Científica, cabendo ao Committee on Practice Guidelines definir os termos sobre os quais se justifica a elaboração destes documentos.
É a própria comissão que define quem são os peritos que devem estar envolvidos nos estudos e que determinam o seu coordenador.
O conteúdo final do documento elaborado por estes peritos, é submetido a um processo de revisão, por outros intervenientes que não podem ser os autores da investigação e só depois desta revisão é que é devolvido ao grupo de investigadores para concluírem o documento final.

Após as revisões e com base na evidência científica (nível A-quando há vários estudos clínicos aleatorizados, ou meta análises, a suportar a evidência e consequentemente recomendação; nível B-quando há apenas um estudo clínico aleatorizado, ou estudos não aleatorizados e nível C-quando a evidência se baseia apenas em estudos retrospetivos ou registos, predominando a opinião de peritos) é que é publicado de acordo com as normas promulgadas pelo editor do jornal (normalmente no European Heart Journal).
Por fim, é remetido para todas as Sociedades Nacionais, que cumprem as tarefas de traduzir o documento, de o divulgar e de o distribuir.

Apesar das guidelines não representarem orientações destinada a uma utilização de forma cega, são fundamentais para o cumprimento da legis artis.
Importa, ainda referir que o tratamento deve ter em conta a redução global do risco efetivo dos eventos cardiovasculares, sendo a presença de diabetes mellitus um dos mais elevados fatores de risco sobretudo quando associada à hipertensão.
O tratamento farmacológico é obrigatório e a instituição terapêutica vai depender do risco individual, devendo ser iniciada o mais precocemente possível.
A escolha do fármaco para o tratamento da dislipidemia deve respeitar a expressão fenotípica da mesma, a facilidade de administração, o perfil de efeitos adversos, a segurança e a diminuição da morbilidade e mortalidade.
Surgiu recentemente no mercado uma associação de pravastatina com um fenofibrato que irá certamente revolucionar o tratamento dos doentes portadores de dislipidemias mistas de alto risco, sendo uma enorme vantagem para o tratamento destes doentes, dado que é uma associação de toma única.

Associada à terapêutica farmacológica das dislipidemias existem outras medidas complementares que devem ser implementadas, nomeadamente a dieta (redutora de lipídeos) que assenta na ingestão de 5 a 6 refeições por dia, sendo que nos obesos deve ser escolhida uma dieta hipocalórica.
A dieta deve conter regularmente legumes, vegetais, sopas, saladas, fibras, minerais, cereais, batatas, leguminosas e vitaminas. O consumo proteico deve ser fundamentalmente de origem vegetal, diminuindo a ingestão de carnes e de ovos e aumentando o consumo de peixe e aves. As carnes vermelhas devem ser evitadas e na confeção dos alimentos o azeite deve ser preferido bem como os óleos vegetais.

Outro detalhe importante da dieta destina-se à introdução dos iogurtes, leite magro e a diminuição da ingestão de açúcares, bolos, chocolates, refrigerantes e sumos. O consumo de bebidas alcoólicas não deve exceder 10 a 30 gramas dia.

 Não podemos esquecer a recomendação da prática do exercício físico, como um elemento prioritário na mudança dos estilos de vida saudável.

Em suma, a medicina é essencialmente uma arte que coloca ao seu serviço o conhecimento médico baseado na investigação e na evidência científica de forma a gerir um tratamento personalizado baseado nas particularidades específicas de cada doente na particularidade da sua patologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.