Home>BIRD Magazine>LEMBRANÇAS DE UMA GUERRA
BIRD Magazine

LEMBRANÇAS DE UMA GUERRA

CATARINA PINTO
Nos últimos tempos temos assistido por todo o pais, a exposições e comemorações sobre o centenário de um período negro da nossa existência enquanto humanidade, a 1ª Guerra Mundial 1914-1918. Pode parecer tão distante mas ela foi tão real demais e apesar de 100 anos separar-nos desta carnificina ainda iriam surgir outros momentos históricos que dilaceraram o mundo.
Eu não fazia a mínima ideia mas descobri através da minha pesquisa genealógica que os meus dois bisavôs maternos estiveram na mesma infantaria, compartiam o mesmo nome, tinham pouco mais de 20 anos, casados há pouco tempo e por coincidência as suas esposas estavam gravidas… Tudo isto é interessante porque esse detalhes ou foram esquecidos ou ocultados… imaginem o estado de sítio instalado em Portugal em 1917 e estas duas jovens mulheres assim como tantas outras mulheres de soldados que foram destacados para o Corpo Expedicionário Português ( CEP), que forma para França, de inicio Therounane na Flanders Francesa. A 1ª brigada do CEP foi a bordo de 3 vapores Britânicos sob o comando de Gomes da Costa, a 2ª saiu de Lisboa com rumo a França a 23 de fevereiro de 1917. Em um desses contingentes estavam os meus bisavôs e todos os outros futuros bisavôs de alguém (isto, se houvesse regresso). No meu caso, dois jovens agricultores, pobres, sem conhecimentos e analfabetos em todas as vertentes, uma mistura explosiva para a guerra. Apesar de os altos postos serem os responsáveis pela estratégia do seu contingente, o que seriam eles sem os milhares de soldados que combateram e/ ou ajudaram na luta contra o inimigo de sempre… Alemanha até atacou as antigas colonias em africa… temos que nos saber colocar naquele tempo…. O mundo estava a ser estilhaçado pelas suas ações e eles não eram os únicos.
Mesmo que Portugal tenha contribuído com “ pouco”, contribui com vidas desfeitas e sofrimento para todas as famílias que ficaram e resistiram em Portugal. Nesses tempos as noticias ainda eram lentas e escassas. Depois de tudo o que lá viveram ambos regressaram e seguiram as suas vidas. O pai do meu avô infelizmente faleceu com 47 anos vítima de uma reação de uma injeção de penicilina. O pai da minha avó, viu quase todos os filhos emigrarem para o Brasil. A minha avó casar-se-ia com um filho de um camarada da guerra. Sei que ela não gostava nada da sua sogra. Detalhes lamento não conhecer, questiono-me se eles teriam comentado algo sobre isso? Imagino que sim…É bem provável mas foi uma história que se perdeu no tempo, os meus avôs nada comentara a minha mãe…linhas de um destino… Para terminar faço destas palavras a minha simples homenagem aos meus dois avôs … Heróis de guerra e de vida..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.