Home>BIRD Magazine>IR, APENAS IR…
BIRD Magazine

IR, APENAS IR…

CARLA AFONSO
Ir, apenas ir… Inspira-me!
Vibro com tudo o que envolva conhecer algo novo, mesmo que seja a cinco minutos de casa. 
Durante o meu percurso de vida, já percorri longos percursos. E não tenho qualquer dúvida que nem dez vidas seriam suficientes para calcorrear todo o mundo. 
Mas não há medida de tamanho quando falamos de sonhos e, por isso, decidi partilhar os meus. Os sonhos passados, os sonhos presentes e os sonhos futuros.
Escolher um destino, preparar um itinerário de viagem, fazer as malas, saltar de aeroporto em aeroporto, visitar locais de beleza inesgotável e locais que respiram história, e por fim regressar a casa com a mala cheia de recordações e de momentos inesquecíveis… Em resumo viajar inspira-me! Deixem-se também inspirar!
Às portas do Porto, a Aldeia Preservada de Quintandona

A escassa meia hora de viagem da cidade do Porto, existe um segredo mal guardado para os amantes das aldeias portuguesas. Quintandona, de seu nome, é uma aldeia maravilhosa em plena Rota do Românico, no concelho de Penafiel, recuperada com um bom gosto incrível. Quase todas as casas e muros são construídos em xisto, o que a torna única na região. É o local perfeito para explorar a cultura, a gastronomia e a beleza de uma região rica em tipicidade, património e história.
Na aldeia podem usufruir da fabulosa Casa Valxisto – Country House. Um verdadeiro refúgio, com uma simplicidade sofisticada cujo objetivo é oferecer os tons, os aromas e toda a riqueza campestre… Quartos com nome de frutas e flores, móveis e objetos carregados de histórias que tornam esta Country House num espaço acolhedor e único, incapaz de nos deixar indiferente. A Casa Valxisto – Country House disponibiliza gratuitamente a todos os hóspedes bicicletas. Cestas ou mochilas de piquenique (com custo extra), são também preparadas para que os hóspedes tenham a possibilidade de fazerem uma refeição num contacto estreito com a natureza.
Aconselho um passeio de bicicleta ou simplesmente um percurso pedestre pelas ruelas empedradas. Observe a bucólica paisagem, os lavadouros tradicionais, a capela com mais de 200 anos e o antigo cruzeiro, os vários canastros – nome dado aos espigueiros nesta região.
Poderá ainda encontrar

no coração da aldeia preservada de Quintandona, o Winebar – Casa da Viúva. Um espaço que nasceu de um sonho e que transformou um antigo celeiro do séc. XVIII da casa que era conhecida como “a casa da viúva”, num lugar único e especial. Totalmente recuperado, mas mantendo o traçado original, o Winebar – Casa da Viúva é hoje um espaço que combina o rústico xisto das paredes com a moderna e elegante decoração. Tudo para proporcionar momentos especiais de convívio, acompanhados de vinhos de eleição e petiscos tradicionais. Nos dias quentes, na esplanada, é possível apreciar a belíssima paisagem e o encanto de Quintandona. Já nos dias mais frios, o conforto da lareira no seu interior, torna o ambiente mais acolhedor e intimista. O bem receber do Winebar – Casa da Viúva, é típico de uma casa de aldeia. Você não vai ter pressa de sair, acredite!

Sabia que nesta pequena aldeia se faz teatro? A associação Os ComeDEantes elegeu este local para se inspirar e aqui dinamizar esta arte! Reza a história que o local tende a atrair os viajantes. É que ali perto, a cerca de dois quilómetros, a Citânia do Monte Mozinho-Cidade Morta, considerada a mais extensa da Península Ibérica, terá sido a “Cividade Gallaeci” capital dos Galegos, que aqui terão habitado. Uma ótima altura para visitar a aldeia de Quintandona é no terceiro fim de semana de setembro, data em que todos os anos se comemora a típica Festa do Caldo. Venha provar os caldos tradicionais da aldeia numa viagem às décadas de 50 e 60, quando estes eram a base da alimentação da população rural.
Presunto e enchidos de porco, pão de regueifa, cabrito assado, arroz de forno e, nos doces, pão-de-ló, pão podre, tortas de Penafiel, leite-creme, bolinhos de amor e tortas de São Martinho são outros pratos típicos que pode degustar, sempre acompanhados da bebida que é um dos ex-líbris do concelho de Penafiel: o vinho verde, sendo o “Winebar – Casa da Viúva” o local ideal.
Como chegar a Quintandona
A partir do Porto, deve seguir pela A4 até à saída 9, seguir as indicações para Recarei (N15). Em Recarei, entre na N319, passe por Sobreira e pouco depois chegará à aldeia de Quintandona. No total, são menos de 35Km (30 minutos de viagem).
Caso não tenha carro, pode também ir de comboio. Para isso, na estação de Porto – São Bento apanhe um comboio em direção a Penafiel e saia em Recarei / Sobreiro. Depois são cerca de 4 km até à aldeia, que pode fazer de táxi.
Onde comer
Para refeições do tipo tapas, existe o já referido Winebar – Casa da Viúva, bem no coração da aldeia, que funciona durante a semana a partir das 15h00 e ao fim de semana a partir das 13h00; encerra à segunda-feira. Para uma refeição completa e de grande qualidade, sugiro a gastronomia do Turismo Rural Casa Valxisto (marcação obrigatória).
Onde dormir
A aldeia é pequena mas, mesmo assim, há um par de alojamentos caso queira pernoitar por lá (e não pegar no carro após a Festa do Caldo, por exemplo). Recomendo a Casa Valxisto, um espaço extraordinária que aconselho sem reservas, mas há também a Vizinha da Viúva, uma pequena casa onde nunca pernoitei mas que tem boas referências.
Se já não conseguir lugar na aldeia, o Solar Egas Moniz e a Quinta da Fonte Arcada são outras opções de excelência a meia dúzia de quilómetros de distância. Se viajar com um grupo de amigos, considere alugar uma casa de Turismo Rural como a Olival House.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.