Home>BIRD Magazine>GRAVIDEZ VS. SAÚDE ORAL
BIRD Magazine

GRAVIDEZ VS. SAÚDE ORAL

LARA RIBEIRO
É comum as mulheres grávidas questionarem se podem desfrutar de tratamentos de medicina dentária. O receio e a dúvida ainda existem! 
Pois bem, uma grávida pode, sim, fazer qualquer tipo de tratamento dentário e, mesmo que necessite de anestesia, esta pode ser administrada! O problema estará, antes, em a grávida não consultar um médico dentista, no caso, por exemplo, de uma infeção oral. Essa situação será prejudicial para a grávida e, consequentemente, para o bebé, já que a mãe pode prejudicar a saúde do bebé, através de microrganismos provenientes de doenças infeciosas como a cárie dentária e doenças periodontais (doenças da gengiva). 
De forma preventiva, o ideal será a existência de uma consulta de medicina dentária antes da gravidez, a fim de serem evitadas infeções orais ao longo do período de gestação, claro! 
Hoje em dia, existem protocolos de atuação no tratamento de grávidas. O importante é mesmo atuar em tempo útil para que nada prejudique o bebé. As consultas devem ser de curta duração, preferencialmente de manhã, sendo mais indicado o segundo trimestre da gestação.

Não há quaisquer motivos para que as mulheres não procurem o médico dentista nesta fascinante fase das suas vidas.

Existem também alguns mitos que funcionam muitas vezes dados como “desculpa”, após a gravidez. Durante a gestação pode haver agravamento das condições de uma precária saúde oral, mas, por si só, a gravidez não potencia nem aumenta a incidência de cárie dentária. 
O que por vezes acontece é que se negligencia a higiene oral durante aquele período, por vários motivos: a mãe está mais preocupada com outras coisas, nem se lembra dos seus dentes, menospreza ou desvaloriza cuidados essenciais de saúde oral!… Acontece é que, as alterações hormonais que ocorrem durante a gravidez são grandes e os cuidados de higiene oral têm mesmo que ser redobrados. Caso contrário, manifestar-se-ão alterações na boca, como a gengiva inflamada e hemorrágica.

Também não é verdade que a gravidez enfraquece os dentes porque, diz-se, há perda de cálcio para o bebé. O cálcio está presente nos dentes da mãe, de forma estável e cristalina, não sendo disponível para a circulação sistémica. A gravidez não propicia aumento de incidência de cárie dentária.

Portanto, se os cuidados com a higiene oral forem corretos e a mãe for orientada por um profissional durante a gravidez, os seus dentes manter-se-ão saudáveis. E atenção: em caso de dores de dentes, nunca se deve recorrer à automedicação. Pelo contrário, a grávida deve consultar um médico dentista para que, em caso de necessidade, lhe seja prescrita medicação ou efetuados os tratamentos dentários adequados que solucionem a situação dolorosa.
Durante a gravidez, todas as mulheres têm acesso ao cheque dentista. Fale com o seu médico de família!

Seja uma grávida feliz, sempre disponível para um sorriso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.