Home>BIRD Magazine>ERA UMA VEZ…
BIRD Magazine

ERA UMA VEZ…

CATARINA PINTO 
Era uma vez… 
que encanta o coração, os ideais da infância, amor puro, imaculado. Era uma vez… criar novos mundos, novos sonhos, viver entre princesas e sapos, duendes ou até dragões ternurentos e carinhoso, fadas amigas das letras e de um jacaré que vai a escola e tem muitos amigos.
Escrever para os mais pequenos é no fundo uma magia única e um desafio crescente. Dá-nos liberdade de voltar a ser pequeno e aventurar-se em cada página de um livro, decifrar desenhos e criaras suas próprias histórias carregadas de sentimentos, podemos encontrar em cada virar de folha de um instante para o outro o famoso pó de perlim pim pim…
Sempre adorei os segredos e as morais de cada livro infantil…o oculto das letras. E quando fui mãe pela primeira vez e com um afastamento forçado de 15 dias por causa de um internamento, me vi a escrever para o meu bebé… nesse tempo os dias e semanas tem outra duração… e tentei aproveita-lo a escrever não poemas dessa vez… mas sim histórias que iria contar aos meus filhos. E assim foi… até hoje ele conhece umas das personagens… claro que com o tempo já foi sofrendo alterações a historia principal e vão surgindo adaptações para a escola e dai leva-me a escrever sobre o que ele está a aprender naquele momento… maravilhoso desafio. 
Devíamos encarar a escrita sempre como uma terapia que mais tarde ou mais cedo dará ou não certos frutos dependendo muito dos nossos objetivos e não devemos desperdiçar as ideias de um determinado momento antes pelo contrário devemos nos envolver nelas como se fosse um tecido refinado e desfrutar, fazer crescer essas ideias, molda-la e dar-lhe muita vida.

São essas histórias ou fábulas que nos iriam acompanhar na nossa vida a adulta… foram elas que nos ensinaram a ser o que somos e o que hoje em dia pretendemos transmitir a quem nos segue neste trilho…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.