Home>BIRD Magazine>INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO EM MOÇAMBIQUE (IDE)
BIRD Magazine

INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO EM MOÇAMBIQUE (IDE)

RUI LEAL 
Qualquer investidor estrangeiro poderá constituír sociedades comerciais, de forma totalmente aberta, em Moçambique.
Porém, todo o investidor que pretenda usufruir dos benefícios e garantias previstas na Lei dos Investimentos (Lei 3/93 de 24 de Julho) e no Código dos Benefícios Fiscais, deverá, via Centro de Promoção de Investimentos (CPI), apresentar uma proposta de investimento ao Estado Moçambicano (denominado Projecto de Investimento), onde se descrevam os investimentos propostos e se definam os seus objectivos.
Todos os procedimentos de autorização e fiscalização ficam a cargo do CPI (entidade encarregue da execução da política Moçambicana a nível de investimento privado).
É também competência do CPI promover, receber, analisar, acompanhar e fiscalizar os objectivos propostos nos projectos de investimento realizados no país.
O CPI apenas não tem competência nos investimentos a realizar na ZEE (Zona Económica Especial) e na ZFI (Zona Franca Industrial), cuja responsabilidade está atribuída ao GAZEDA (Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado).
Para efeitos de expatriação de lucros, o valor mínimo dos projectos de investimento, deverá ser de MZM 2 500 000,00 (dois milhões e quinhentos mil meticais).
Porém, este montante engloba já:
– os valores de capitais próprios, incluindo os suprimentos sem juros e/ou prestações suplementares de capital realizados pelos próprios investidores;
– bem como os lucros exportáveis que tiverem sido reinvestidos no país;
Caso o investimento estrangeiro revista a forma de equipamentos, maquinaria e outros bens materiais importados, os valores de investimento serão considerados a preços de custo, seguro e afretamento desses mesmos bens.
CPI – Centro de Promoção de Investimentos
O CPI, conforme já acima referido, é o organismo público Moçambicano responsável pela área de investimento, executando a politica Moçambicana a nível de investimento provado, destacando as seguintes competências:
– aprovação de projectos que lhe sejam submetidos;
– apoio dos investidores no processo destinado à concretização dos projectos;
– atribuição dos benefícios concedidos pelo Estado;
Sendo desiderato do CPI a atracção de investimento privado nacional e estrangeiro, a sua actividade consubstancia-se no apoio institucional aos investidores privados, tanto na aprovação como na execução dos projectos de investimento, fornecendo todas as informações necessárias para que possam ser preenchidos os pressupostos necessários para a aprovação do projecto de investimento.
O CPI garante ainda aos investidores a concessão de benefícios fiscais e aduaneiros.
Todos os projectos de investimento privado deverão ser apresentados no CPI para aprovação, funcionando este como um serviço único de apoio e assistência ao investidor estrangeiro.
A nível organizacional e hierárquico é ao Ministro da Planificação e Desenvolvimento que compete assegurar a coordenação de todos os processos de investimento, devidamente assessorado pelo CPI.
O CPI recebe e analisa, previamente, todas as propostas de investimento que lhe sejam submetidas.
Posteriormente, articula com as competentes instituições e/ou organismos competentes ou envolvidos na apreciação/legalização/autorização definitiva do projecto de investimento submetido.
Aspectos relevantes no âmbito do investimento em Moçambique
O sistema de incentivos ao investimento em Moçambique é composto por dois vectores essenciais:
1. Direito ao repatriamento de capital investido e lucros obtidos;
2. Incentivos fiscais e aduaneiros;
Repatriamento de Lucros e de Capitais
De uma forma bastante simplista, ao investidor estrangeiro cujo processo de investimento tenha sido aprovado pelo CPI é garantido o direito de repatriamento de capitais, desde que:
1. Seja obtida a autorização prévia do Banco de Moçambique;
2. Os investimentos tenham sido previamente registados junto do Banco de Moçambique e após o pagamento dos impostos devidos.
Adicionalmente, o direito de transferência de lucros e do capital investido só será permitido ao investidor estrangeiro cuja actividade reúna, pelo menos, um dos seguintes requisitos:
1. Gerar volume de vendas anual não inferior a MZM 2.500.000,00 (dois milhões e quinhentos mil meticais),a partir do terceiro ano de actividade;< u>
2. Exportações anuais, de bens ou serviços, no valor mínimo de MZM 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil meticais).
3. Criação e manutenção de emprego directo a, pelo menos, 25 (vinte e cinco) trabalhadores nacionais a partir do segundo ano de actividade.
Incentivos e Benefícios Fiscais
De notar que os investimentos realizados em Moçambique sem aprovação do CPI só poderão usufruir de benefícios fiscais quando incidam sobre as seguintes actividades:
– Comércio e indústria desenvolvidos em zonas rurais;
– Comércio a grosso e a retalho;
– Indústria transformadora e de montagem;
Determinados sectores de actividade, projectos e áreas territoriais beneficiam de incentivos específicos, como é o caso da agricultura, caso da indústria hoteleira e de turismo, da actividade mineira, da actividade petrolífera, das Zonas Económicas Especiais e Zonas Francas Industriais e dos projectos de grande dimensão, ou seja, aqueles cujo valor ascende a mais de 500 milhões de USD.
Os benefícios fiscais atribuídos aos projectos de investimento aprovados nos termos da Lei de Investimentos vão desde isenções de direitos aduaneiros e de imposto sobre o valor acrescentado, a deduções à matéria colectável, passando pela possibilidade de considerar inúmeras despesas como custos fiscais.
Em conclusão, o sistema jurídico Moçambicano, bem como os seus organismos, privilegiam sobremaneira todo e qualquer investimento estrangeiro, conferindo-lhe um grau de protecção e certeza pouco comum, permitindo a atracção de capitais estrangeiros de forma sólida e eficaz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.