Home>BIRD Magazine>AMAMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO FACIAL DA CRIANÇA
BIRD Magazine

AMAMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO FACIAL DA CRIANÇA

SÍLVIA TEIXEIRA 
São indiscutíveis os benefícios da amamentação.
Para além de fortalecer o vínculo afetivo entre mãe e filho e proporcionar a fonte nutricional e imunológica fundamental para os primeiros meses de vida do bebé, a amamentação é também o primeiro exercício da musculatura facial (lábios, língua e bochechas) do recém nascido, estimulando uma função gástrica normal e promovendo estímulos neurais para um crescimento ósseo e muscular adequados.
O crescimento do crânio e da face depende do correto desenvolvimento de vários componentes da face tais como músculos, dentes e língua. As funções orais como a sucção, deglutição, respiração, mastigação e fala são responsáveis pelos estímulos moduladores do crescimento determinado geneticamente e estão dependentes do ato de amamentação.

Durante a amamentação o bebé é obrigado a:
1. Manter os lábios firmemente colados ao seio materno para evitar o vazamento do leite e isso promove o fortalecimento da musculatura labial que vai ser responsável pelo correto selamento dos lábios no futuro (por exemplo, dormir com a boca fechada)
2. Usar a língua para deglutir colocando-a na postura correta, estimulando assim o crescimento transversal (largura) do maxilar superior e a maturação da musculatura da língua essencial nodesenvolvimento da fala.
3. Levar a mandíbula (arcada inferior) para a frente e para trás estimulando as articulações temperomandibulares e o crescimento do queixo da criança para a frente para que a mandíbula se encontre na posição ideal para a erupção dos dentes na posição correta .
4. Respirar pelo nariz ao mesmo tempo, estimulando odesenvolvimento das fossas nasais e seios maxilares garantindo, no futuro, uma passagem mais ampla para o ar e diminuindo a probabilidade da criança se transformar num respirador bucal.
Ao usar o biberão a estimulação neuro-motora de todo o complexo crânio-facial ocorre de maneira totalmente diferente já que a dinâmica muscular é distinta, com diferentes movimentos e músculos envolvidos . A língua fica mais atrás e torna-se mais flácida e o queixo mantém-se numa posição mais recuada por falta de estímulo ao crescimento. São mais prováveis as alterações dentárias como a falta de espaço e o consequente apinhamento dentário, mordida cruzada, caracterizada por um céu da boca mais fundo e estreito e mordida aberta em que os dentes da frente superiores não tocam nos inferiores.

Quando usado o biberão nunca se deve aumentar o orifício da tetina. O ato de sucção deve exigir esforço da musculatura bucal e deve proporcionar controlo da quantidade e velocidade do fluxo para o bebé aprender a deglutir corretamente. O orifício da tetina deve apresentar uma pequena dimensão que permita apenas o gotejamento do leite, caso contrário estaremos a promover o hipodesenvolvimento das estruturas musculares e ósseas da face e todas as consequências que dele advêm.

Nunca é demais referir que o biberão não deve ser usado como veículo para açúcar e mel a fim de prevenir o aparecimento de cáries dentárias.
Por volta do um ano de idade o biberão deverá ser substituído e a criança deverá beber através de um copo.
Nem todas as mães podem amamentar. Isso não deve constituir um sinal de alarme para elas. É sim importante que estejam informadas e atentas a todos estes sinais e que procurem a ajuda de um profissional da área caso detetem alguma destas alterações, para que estas possam ser corrigidas em idade precoce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.