Home>BIRD Magazine>EPICONDILITE LATERAL – SABE O QUE É?
BIRD Magazine

EPICONDILITE LATERAL – SABE O QUE É?

O que é Epicondilite Lateral?
FILIPA PARREIRA
A Epicondilite lateral (EL) também conhecida por cotovelo de tenista, epicondilalgia lateral ou tendinite dos extensores do antebraço, é considerada uma doença osteomuscular comum, caraterizada pela dor lateral do cotovelo.
A EL pode ocorrer em pacientes que realizem qualquer atividade que envolva movimentos repetidos do cotovelo.
Causas
Os músculos que fazem o movimento de extensão do punho e dos dedos tem origem na parte lateral do cotovelo, numa proeminência óssea chamada epicôndilo lateral. Quando o punho faz o movimento de extensão, os músculos que vem do epicôndilo lateral contraem-se e produzem tensão nesta região.
Quando ocorre sobrecarga e desgaste desta região há uma degeneração das fibras de colagénio dos tendões.
Se essa sobrecarga continua a ocorrer durante tempo prolongado, essa degeneração vai-se agravar e o paciente passa a sentir dor crónica e diminuição de força.
Diagnóstico
A EL é, geralmente, diagnosticada com base no histórico clínico do paciente e no exame físico. Exames de imagem podem ser necessários para verificar outras patologias e problemas que produzam sintomas semelhantes.
Um raio-X pode ajudar o fisioterapeuta a excluir outras possíveis causas dos sintomas. O exame de ecografia é crucial para avaliar em que fase de evolução se encontra a EL. 
Outros exames de imagem mais abrangentes, como a ressonância magnética, são normalmente solicitados quando há dúvida quanto ao diagnóstico.
Principais sintomas
Os principais sinais e sintomas de epicondilite lateral são:
Dor na região lateral do cotovelo;
Sensibilidade na região afetada;
Fraqueza muscular
Irradiação da dor da parte externa do cotovelo para o antebraço e/ou punho.
Qual é o tratamento da epicondilite lateral?
O tratamento inicial consiste na diminuição da dor.
Para a diminuição da dor existem diversas opções: gelo, medicações analgésicas e anti-inflamatórias, massagem transversa profunda, técnicas de terapia manual baseadas nos conceitos de Pold e Mulligan e acupuntura. Eventualmente na fase mais dolorosa pode ser realizada técnica de eletrólise percutânea intratecidular (EPI) para alívio dos sintomas.
Posteriormente ao alívio da sintomatologia dolorosa, diversas medidas podem ser tomadas. Além das medidas de prevenção durante a área laboral, a diminuição dos movimentos repetitivos ou a interrupção temporária dos mesmos (dependendo do grau dos sintomas) pode ser necessária.
Em seguida, o fortalecimento dos músculos da região afetada é iniciado progressivamente.
No caso de desportistas, uma orientação do gesto desportivo é importante para evitar a recidiva da dor.
O alívio da sintomatologia nem sempre é imediato e a resolução completa da EL pode levar até 1 ano.
Se a dor persistir após este período pode ser recomendada a cirurgia.
Converse com um especialista sobre os riscos e benefícios que a cirurgia pode trazer.
Como prevenir?
Evitar atividades que exijam movimentos repetitivos do punho e dos dedos pode ajudar a prevenir a EL.
Exercícios de alongamento também podem ser vantajosos neste sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.