Home>BIRD Magazine>A FELICIDADE É UM PRESENTE DE ESPERANÇA
BIRD Magazine

A FELICIDADE É UM PRESENTE DE ESPERANÇA

MOREIRA DA SILVA
A nossa vida pode ser um pouco solitária, bastante confusa, imperfeita, atribulada, mas não estamos livres dos laços e até dos nós que nos atam a outras vidas. Precisamos é de ter esperança, que é o sonho do homem acordado.
Para fazer acontecer a felicidade é preciso sair da apatia que o quotidiano nos empurra e encontrar a motivação para sermos felizes. Depende de sabermos dar um sentido à vida, o que justifica e dá valor à nossa passagem pelo mundo.
Precisamos de ser capazes de não ficar escudados no medo. Esta postura na nossa existência indica vida, força, vitalidade e capacidade para conseguirmos a felicidade.
Quando vivemos uma desilusão que destroçou a nossa alma é preciso transformarmo-nos, renascermos dos próprios restos calcinados, com uma nova maneira de ver as coisas e novos objetivos. Um passado infeliz não determina o futuro de quem tiver determinação suficiente para tomar as rédeas da vida.
Enquanto não afastamos os nossos fantasmas, sente-se, e até se vê ao longe, o medo vestido de infortúnios passados. O tempo passa e empurra o presente para o futuro, por isso precisamos de escutar os sussurros do nosso coração e libertarmo-nos de toda e qualquer preocupação, para vivermos um presente feliz.
Oh! Quanto é bom ser feliz. Uma forma de vivermos felizes é comprometermo-nos apaixonadamente com a vida, agir com paixão e entrar profundamente no jogo da vida. Entreguemo-nos com deleite à felicidade de ser feliz.
O ato psíquico da vontade em ser feliz leva-nos a prestar atenção às minudências; às coisas de antes e depois, coisas de nunca; ao tempo que preserva o essencial e nos transporta para os sonhos; a adorar a vida que é dura porque é terna e amarga porque é doce, e ao amor que tudo vence. A felicidade é a festa da vida. A felicidade é ter um presente de esperança.
Para aquecer a alma sombria, colorir os dias cinzentos e rasgar as nuvens carregadas de melancolia é preciso ter adoração pela vida, cultivar raios de alegria e, na restauração da esperança, ousar procurar o caminho da felicidade. Não é por o caminho ser difícil que não se ousa; é por não ousar que o caminho se torna difícil.
Todo o dia é um bom dia para fugir da obscuridade que nos possa encontrar e ostentar a felicidade que, por vezes, a pisamos sem reparar. Mesmo o futuro, que chega depressa demais, vem num só dia de cada vez.
Viver intensamente e com alegria o dia de hoje é um bom caminho para a felicidade. Façamos por percorrer esse caminho de forma singela e não como se estivéssemos a escrever um poema em trímetro jâmbico, pois a felicidade é um sentimento tão simples que por vezes não o conseguimos ver.
A felicidade implica aceitar a vida a escorrer pelos dedos, mas com vontade de a agarrar. Usemos o ariete que há em nós e rasguemos brechas no infortúnio e na melancolia, para sentirmos o peito a latejar de alegria.
O futuro está à nossa frente, na estrada sinuosa da vida, à espera de ser o que nós quisermos, pois ele dependerá daquilo que fizermos hoje, que é onde o futuro abraça o presente. Um amanhã feliz é daqueles que acreditam na beleza dos sonhos concretizados e procuram as pedras que pavimentam o caminho que leva à felicidade.
Para se enfrentar as incertezas e os fantasmas que vivem em nós é necessário ter-se um relacionamento sincero com a vida e não sufocar a vontade de ser feliz. A felicidade é uma reação química que nos assiste na tomada de boas decisões, que conjuntamente com o amor é uma energia que alimenta o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.