Home>BIRD Magazine>A TECNOLOGIA AO SERVIÇO DA FISIOTERAPIA: QUISTO DE BAKER
BIRD Magazine

A TECNOLOGIA AO SERVIÇO DA FISIOTERAPIA: QUISTO DE BAKER

MARCELO PEREIRA
O Quisto de Baker, também conhecido como Quisto poplíteo, é uma pequena bolsa de líquido que surge na região posterior do joelho mais designada por fossa poplítea.
O Quisto de Baker apresenta-se como um nódulo visível e palpável sob a pele, podendo provocar dor no joelho e dificuldade de movimento.
Quando o quisto é pequeno, pode ser assintomático passando despercebido pelo paciente.
O Quisto de Baker surge quando há um extravasamento do líquido sinovial da articulação do joelho. O líquido sinovial é uma espécie de lubrificante, cuja principal função é reduzir o atrito durante o movimento das articulações, como a do joelho. Quando há uma lesão na articulação do joelho ou quando a quantidade de líquido sinovial torna-se excessiva, o mesmo pode ser comprimido e empurrado para a região posterior da articulação, formando uma herniação.

Algumas das causas são, trauma do joelho e doenças inflamatórias da articulação como as diversas formas de artrite, são os principais fatores de risco. 
A maioria dos quistos poplíteos são assintomáticos e invisíveis ao exame físico e acabam, portanto, sendo descobertos por acaso durante a realização de um exame, que pode ser a ecografia ou ressonância magnética.
A ocorrência de sintomas devido ao Quisto de Baker depende de alguns fatores, tais como o seu tamanho ou a existência de complicações, como crescimento exagerado ou rotura do quisto. Quando há sintomas, os mais comuns são dor na fossa poplítea (parte posterior do joelho), edema da articulação do joelho e aparecimento de um nódulo palpável por trás do joelho.
No que diz respeito ao tratamento normalmente a retirada do Quisto por via médica é o tratamento mais eficaz. Neste contexto na nossa clínica realizamos um tratamento inovador graças a formação avançada que os nossos Fisioterapeutas possuem em Fisioterapia Invasiva, técnica EPM (Eletrólise Percutânea Músculo-Esquelética), que consiste na aplicação de uma corrente através de uma agulha na zona do Quisto. Toda esta técnica realiza-se com o auxílio de um ecógrafo de alta resolução para apuntura da agulha ser direcionado no ponto exato do quisto, sendo posteriormente realizado a destruição do Quisto. Normalmente esta técnica é aplicada 3 a 4 vezes , para destruir totalmente o quisto.
É um tratamento quase indolor e é realizado apenas uma vez por semana.

Imagens de Resultados após aplicação da Técnica para destruíção do Quisto Baker
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.