BIRD Magazine

HEPATITE

MARIA DO CÉU OLIVEIRA
Hepatite é um termo que significa inflamação do fígado e pode ocorrer em pessoas de ambos os sexos de todas as idades e etnias.

Existem várias causas para a hepatite:
· Vírus
· Excesso no consumo de álcool.
· Medicamentos e drogas.
· Doenças autoimunes
Hepatites Virais:
São cinco as hepatites virais: A, B, C, D e E, sendo que as três primeiras ocorrem com mais frequência.
· Hepatite A
Altamente contagiosa, a sua transmissão é do tipo fecal – oral, ocorrendo contaminação direta de pessoa para pessoa ou através do contacto com alimentos e água contaminados. É mais comum onde as condições sanitárias são precárias.
Uma vez infetada a pessoa desenvolve imunidade permanente. Os sintomas são de início súbito, com febre baixa, fadiga, mal-estar, perda do apetite, sensação de desconforto no abdómen, náuseas, vômitos e diarreia.
A hepatite A costuma ser menos grave que a B ou a C. Quando contraída em criança, pode passar despercebida. Nos adultos costuma ser mais sintomática. Pode ser prevenida pela higiene e melhorias das condições sanitárias, bem como pela vacinação
· Hepatite B
Transmitida através de sangue, agulhas e materiais cortantes contaminados, bem como através das relações sexuais. É considerada uma doença sexualmente transmissível. Pode passar também de mãe para filho no momento do parto.
A hepatite B pode cronificar e provocar cirrose, falência e cancro hepático. A prevenção é feita utilizando preservativos nas relações sexuais e evitando materiais cortantes ou agulhas que não estejam devidamente esterilizadas. Existe vacina para hepatite B, que é dada em três doses intramusculares.

· Hepatite C
Apresenta as mesmas vias de transmissão que a hepatite B. Pode provocar neoplasia maligna do fígado se evoluir para um estado crónico.
A prevenção é feita evitando-se o uso de materiais cortantes ou agulhas que não estejam devidamente esterilizadas. Recomenda-se o uso de descartáveis.
Não existe vacina para a hepatite C pelo que é considerada como um problema de saúde pública, e das maiores causas de transplante hepático.
· Hepatite D
Geralmente encontrado em pacientes portadores do vírus HIV, está mais relacionado à cronificação da hepatite e também ao hepatocarcinoma.
· Hepatite E
Transmitida através do contato com alimentos e água contaminados. Os sintomas são de início súbito, com febre baixa, fadiga, mal-estar, perda do apetite, sensação de desconforto no abdómem, náuseas e vômitos.
Pode ser prevenida através de medidas de higiene, devendo ser evitado ingerir alimentos e bebidas de origem duvidosa.
Hepatite Alcoólica
O álcool é reconhecidamente uma droga hepatotóxica. A hepatite alcoólica é uma síndrome associada ao consumo prolongado e excessivo de álcool. Como toda hepatite crônica, também pode evoluir para cirrose e falência hepática.
Hepatite Autoimune
Este tipo de hepatite surge devido a um mau funcionamento do nosso sistema de defesa que deveria atacar somente vírus, bactérias e outros invasores, mas que, inapropriadamente começa atacar também as células do fígado.
Se não for tratado a tempo, a hepatite autoimune leva a um quadro de hepatite crônica que progride com cirrose e falência hepática.
Hepatite Por Drogas
O fígado é um dos principais órgãos responsáveis pelo metabolismo e excreção de medicamentos e produtos tóxicos, podendo ser danificado por eles nesse processo.
Existe um grande número de drogas que são hepatotóxicas, podendo causar a hepatite.
Também pode ocorrer inflamação do fígado secundário ao uso de alguns medicamentos.
Esta situação pode ocorrer também com “medicamentos naturais”, utilizados inapropriadamente, que muitas vezes não apresentam os benefícios alegados e ainda podem levar a lesões hepáticas graves.
As Hepatites virais podem ser agudas ou crónicas, sendo que parte das Hepatites agudas, curam-se. No entanto, algumas podem evoluir para Hepatite crónica. Chama-se crónica à Hepatite que não cura ao fim de 6 meses. Esta pode dar origem a cirrose e, mais raramente, a cancro do fígado.
Quando o risco é grande, a aposta na prevenção passa a ter mais importância.
Fac

e a uma suspeita deve-se ter sempre em conta as medidas preventivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.