Home>BIRD Magazine>LOS ANGELES, A CIDADE DOS ANJOS
BIRD Magazine

LOS ANGELES, A CIDADE DOS ANJOS

DIOGO VASCONCELOS
Viajar é mágico, sair do teu país, do teu “meio” e viveres as experiências, as mundividências de outro povo é uma sensação incrível. Quando viajas a tua mente abre, o teu corpo fica mais leva, não pensas nos problemas que deixaste para trás, apenas querer sentir, respirar, absorver toda a envolvente de um novo mundo repleto de surpresas. Um mundo que, por vezes, só está ao teu alcance nos sonhos, nos filmes. Bem, foi isso que me aconteceu.
Estas na cidade dos anjos foi para mim uma experiência única, estar nos sítios mais míticos dos filmes, usufruir dos mesmo hotéis que os famosos, nadar nas praias de Venice, andar nas ruas de Bevery hills, conhecer os estúdios de Hollywood, ir ver um jogo de baseball dos Dodgers, enfim, momentos inesquecíveis que me marcaram como pessoas, como ser humano e, no futuro, como profissional, independentemente dos trabalho que desempenhe.
Los Angeles é uma cidade com mais de 300 km, um espaço superior à distância entre Porto e lisboa, o trânsito é caótico, estima-se que haja 2 carros para cada pessoa, nas autoestradas não vemos mais que uma pessoa a circular em cada carro, até existe uma faixa especial que privilegia as pessoas que vão com mais que duas pessoas a bordo. Uma realidade diferente. As pessoas são bastante atenciosas e profissionais naquilo que fazem, não fossem eles uma sociedade capitalista que a lei da oferta e da procura atinge o seu expoente máximo, estas características não são endémicas aos californianos, todavia, este profissionalismo contrasta bastante com o vivido em Portugal.
Esta cidade é uma verdadeira alquimia, consegue combinar todas as ciências numa só, tem uma zona dedicada aos serviços, Downtown, ruas míticas como as de Hollywood, locais luxuosos como os de Bervery Hills, praias incríveis como as de Venice e Malibu, resumindo, é a cidade perfeita, a cidade de sonho. Para muito é mais uma daquelas cidades famigeradas, com excesso de fama. Mas não, é mesmo o que vêm nos filmes. No entanto, não é apenas a cidade em si que te atrai como de um íman se tratasse, existe algo naquele ar que te penetra com força nos pulmões, te faz viajar para outra dimensão, como se tu próprio fosses uma estrela de cinema. Existe uma “aura” que enredeia quem lá passa. Mal aterras no aeroporto sentes um pulsar diferente, borboletas no estomago, como se estivesses prestes a ver a paixão da tua vida. A cada local que vamos deixamos parte de nós e trazemos outra parte. A capacidade de conseguir absorver tudo é o que faz uma viagem ser boa ou má, eu consegui, vim diferente, deixa lá parte de mim, nunca mais serei o mesmo. E sim, vou lá voltar e quem sabe viver.
O meu conselho é; viagem muito, vão a todos os sítios que sempre sonharam, viajar é a melhor forma de gastar dinheiro, crescer muito, vives muito, tornas-te mais culto, mais aberto e sais do teu “pequeno mundo” com “palas”. Existem pessoas incríveis do outro lado do mundo, pessoas diferentes, com outros hábitos e costumes, mas são esses que vão fazer a tua viagem valer a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.