Home>BIRD Magazine>DOENÇAS INFETO-CONTAGIOSAS (2.ª PARTE)
BIRD Magazine

DOENÇAS INFETO-CONTAGIOSAS (2.ª PARTE)

JORGE FREITAS
TOSSE COVULSA:
Tem como agente infecioso a Bordetella pertussis
Início insidioso de tosse seca que após 1-2 semanas evolui para tosse paroxística, tendo como reservatório o homem.
Como se transmite?
A transmição da-se por via aérea ( gotículas de expectoração)
Tem um período de incubação de 4-21 dias, e o seu período de transmição é até ao 5º dia de terapêutica com eritromicina
Tratamento:
Isolamento e evicção escolar até ao 5º dias de eritromicina (50mg/kg/dia em 3 doses orais, durante 14d). Terapêutica sintomática.
TÉTANO:
Tem como agente infecioso : Clostridium tetani
Descrição clínica: Após ferimento (por vezes indetectável), início de contracturas musculares dolorosas em redor do ferimento ou nos masséteres, pescoço e tronco, que se generalizam posteriormente
Via de transmissão: contaminação directa de feridas.
TRATAMENTO:
Limpeza e desbridamento da ferida contaminada. 
Imunoglobulina humana antitetânica IM.
Penicilina e medidas de suporte (relaxantes musculares, traqueostomia)
MENINGITE:

A meningite é uma inflamação das meninges, as 3 membranas que envolvem o eixo cerebrospinal (cérebro e medula espinal).
Esta doença transmite-se por contacto directo, através de gotículas, ou por contacto indirecto, através de objectos contaminados com secreções das vias respiratórias
É mais frequente em lactentes e idosos e apresenta uma elevada taxa de mortalidade
É geralmente causada por uma infecção viral ou bacteriana, embora outros tipos de infecções possam causá-la. 
A meningite viral, o tipo mais comum, tende a ser muito menos grave do que a bacteriana
MENINGITE VIRAL:
Sintomas: dores de cabeça e rigidez da nuca.
Tratamento: Esta doença é geralmente auto-limitada, ou seja, cura-se sem tratamento.
MENINGITE BACTERIANA:
A incidência da meningite bacteriana diminuiu significativamente na última década, devido à difusão da vacinação contra a bactéria Hemophilus (principal causa de meningite bacteriana).
Hoje, a maioria dos casos são causados pelas bactérias estreptococo e meningococo. Sem tratamento atempado, a meningite meningocócica pode rapidamente causar a morte ou incapacidades graves e permanentes
Sintomas:
. dor de cabeça
. rigidez da nuca
. febre alta
. sonolência
. náuseas
Ø . vómitos
. sensibilidade à luz
. Confusão
. agitação
. erupções da pele
. convulsões. 
A princípio, os sintomas resultam da infecção, a seguir, do aumento na pressão intracraniana.
Em bebés de até um mês: irritabilidade, choro em excesso, febre, sonolência e moleira fica abaulada, como se houvesse um galo na cabeça da criança.
Podem tornar-se irritáveis, recusar a alimentação, gritar quando se lhes pega, parecer letárgicos (murchos) ou difíceis de acordar.
Para ver a 1ª parte do artigo clique aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.