Home>BIRD Magazine>FURNAS: O VALE ENCANTADO
BIRD Magazine

FURNAS: O VALE ENCANTADO

CARLA LIMA
As Furnas ficam situadas num Vale, o Vale das Furnas, e é uma freguesia do Concelho da Povoação na Ilha de S. Miguel nos Açores. Tem 70 quilómetros quadrados e mil e quinhentos habitantes, aproximadamente.
Ir a S. Miguel e não visitar as Furnas é como ir à Feira do Marisco e ser-se alérgico. Ou seja, é uma estupidez.
Na minha opinião as Furnas são o sítio turístico mais completo da ilha e têm oferta para todo o tipo de procura, ou melhor, quase todo o tipo de procura, porque não fica ao pé do mar. Mas de resto tem tudo.
Posso começar pela lindíssima Lagoa das Furnas, o Vulcão das Furnas (um dos três vulcões centrais activos na Ilha de São Miguel). Nas imediações da Lagoa podemos encontrar a Capela da Nossa Senhora das Vitórias mandada erguer por José do Canto. Esta Capela é uma pequena maravilha artística, em estilo neo-gótico imitando as grandes catedrais europeias e é considerada como um dos mais ricos e originais templos do Arquipélago. Nela estão sepultados os corpos de José do Canto e da sua esposa.
CAPELA DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS

É na Lagoa das Furnas que encontramos as caldeiras naturais onde são feitos os famosos cozidos das Furnas, um dos pratos mais emblemáticos da ilha.
Os vários ingredientes (vaca, porco, galinha, chouriço, morcela, cenoura, batata, inhame, etc) são colocados numa panela de alumínio, em camadas alternadas. Com folhas de couve abafa-se tudo e tapa-se com a tampa que se ata às asas da panela. Introduz-se então numa saca de serapilheira, que por sua vez é amarrada a uma corda. A panela é enterrada num buraco no solo junto às caldeiras. Este buraco é tapado com uma tampa de madeira e depois com terra, deixando a corda de fora. Leva cerca de cinco horas a cozinhar pelo calor natural emanado da actividade vulcânica. Depois, é saborear o cozido das Furnas, de preferência no próprio local. O que torna a experiência muito mais enriquecedora.
Outra especialidade típica e exclusiva das Furnas é o bolo lêvedo. Há quem diga que é um pão e há quem diga que é um doce. Para mim é um pão doce cozido, normalmente, numa sertã de barro e que se pode comer sem nada ou acompanhar com queijo, fiambre, qualquer tipo de geleia ou doce.
Fala-se muita da “água quente” das Furnas. As águas das Furnas são conhecidas, principalmente, pelas suas propriedades termais. Os dois sítios principais onde se pode “tomar banho” em água quente são: as Poças da Dona Beija e a Piscina do Parque Terra Nostra.
As Poças da Dona Beija devem o seu nome a uma personagem de uma telenovela brasileira, a Dona Beija, que tomava banho numa ”cachoeira”. Neste local há várias nascentes férreas e quentes que chegam a atingir os 39ºC. Tem três piscinas com temperaturas diferentes, uma área para molhar os pés ou o corpo e uma ribeira com uma comporta removível que proporciona uma mistura de água quente e fria.O Parque Terra Nostra é um jardim com mais de 200 anos, considerado um dos Melhores Retiros Verdes do Mundo. Tem um tanque com água termal, que atinge cerca de 40ºC e devido à quantidade de ferro, a água do tanque é acastanhada. Para além do ferro, estas águas termais possuem cálcio, magnésio e outros minerais e oligoelementos essenciais à pele humana.
O tanque fazia parte da casa de férias de Thomas Hickling, cônsul americano responsável pela criação do parque.
No local ficam as instalações do Terra Nostra Garden Hotel.
Falando neste Hotel, é um dos maravilhosos sítios onde pode ficar quando visitar as Furnas. Também tem o Furnas Boutique Hotel, que é um novo Spa. Há vários alojamentos locais de grande qualidade. E, não menos importante, o Furnas Lake Villas, que são apartamentos de luxo no meio do verde.
Há tanto para dizer sobre as Furnas mas nunca mais acabaria esta crónica.
Há Golfe, há mais jardins, há mais lagoas, há mais igrejas, há a Casa dos Barcos, há casas fantasma, há trilhos pedestres, há passeios de gaivota na Lagoa, há fontes de “água azeda” a sair das paredes, há o famoso cheiro a enxofre que o Anthony Bourdain comparou com cheiro a “bufas” no seu programa televisivo “No Reservations” e até há uma casa ao contrário…
Ou seja, nas Furnas há de tudo para todas as idades e para todos os gostos.
As Furnas têm uma mística única que só quem as visita é que consegue sentir.


“Todo mundo gostaria de se mudar para um lugar mágico. Mas são poucos os que têm coragem de tentar.”
Rubem Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.