Home>BIRD Magazine>VAMOS PROVAR O VINHO E OUTRAS BEBIDAS ALCOÓLICAS?
BIRD Magazine

VAMOS PROVAR O VINHO E OUTRAS BEBIDAS ALCOÓLICAS?

PEREIRA RAMOS
Consumir bebidas alcoólicas nomeadamente vinho, cerveja, whisky etc. é um hábito cultural enraizado que pode tornar-se um vicio com consequências graves. Reconhecer a fronteira entre o consumo excessivo e a dependência é importante para a nossa saúde.
O risco de dependência do álcool é de aproximadamente 10% para os homens e de cerca 5% para o género feminino.
O consumo abusivo pontual, ou estando ligado a uma determinada época ou período limitado de tempo, apesar de poder ter efeitos nefastos para o organismo, não significa que exista dependência alcoólica. A Síndrome de Dependência Alcoólica, vulgarmente designada por alcoolismo, envolve um padrão de uso abusivo de álcool que conduz a uma serie de sinais e sintomas clinicamente patológicos.
Sinais de alerta de dependência alcoólica
1. Existe uma história de consumo persistente ou esforços mal sucedidos para diminuir ou controlar o uso de álcool;
2.É reconhecido um impulso pelo uso de álcool havendo uma ingestão compulsiva.
3.O álcool passa a ocupar progressivamente um lugar importante na vida da pessoa.
4.O indivíduo mostra evidências de tolerância ao álcool. Necessita de quantidades crescentes de bebida para atingir a intoxicação ou o efeito desejado.
5.Há uma vasta gama de sintomas de abstinência física / psíquica (delírio, ansiedade, tremulo, insónia, suores, náuseas, vómitos, agitação psicomotora, etc.);
6. Outros sintomas como comportamento desadequado, humor instável, fala arrastada, falta de discernimento, défice de atenção, problemas de memória, falta de coordenação etc..
7. Há prejuízo da vida pessoal relacionado com o consumo de álcool.
8- Quanto mais alta for a concentração de álcool no sangue, mais severas serão as alterações da consciência e os sintomas de intoxicação alcoólica.
9-Há ainda outros problemas graves a nível:
Gastrointestinal- úlcera péptica, varizes esofágicas, gastrite, esteatose hepática, hepatite, pancreatite, cirrose de etiologia alcoólica;
Neuromusculares- cãibras, perda de força muscular, dormência nos membros, distúrbios na coordenação motora;
Cardiovasculares- hipertensão/hipotensão, arritmias, aumento do risco de acidente vascular cerebral;
Sexuais- redução da libido, ejaculação precoce, disfunção eréctil, infertilidade. 

Problemas mentais:

Abstinência
Ocorre quando, após um período de alcoolismo intensivo, há uma paragem repentina dos consumos ou uma redução significativa das quantidades de álcool. Pode revelar-se algumas horas depois ou surgir até quatro a cinco dias após esse momento e os sintomas são: taquicardia, tremores nas mãos, insónia, náuseas e vómitos, alucinações, inquietação, agitação e ansiedade. Nos casos mais graves, a situação de delirium-tremens é acompanhada de febre, convulsões e confusão mental.
Depressão
O álcool tem um efeito depressor sobre o sistema nervoso central e aumenta o risco de perturbações de humor e de depressão, que se revelam pelos sintomas habituais, desinteresse, perda ou aumento de peso, perturbações do sono, fadiga, perda de energia ou agitação, pensamentos negativos e de culpabilização, diminuição da capacidade de pensamento ou concentração e, nos casos mais severos, pensamentos suicidas.
Demência alcoólica
A memória é frequentemente afectada não só pela acção do álcool como pela má nutrição, frequente nos alcoólicos e fundamentalmente a carência de vitamina B1.
Psicose
Induzida pelo álcool, consiste sobretudo em alucinações e ideias delirantes. Afecta cerca 3-5 % dos dependentes do álcool. “Há pessoas mais susceptíveis a sofrerem uma psicose do que outras e a durabilidade da psicose está dependente de inúmeros factores tais como manutenção do consumo, vulnerabilidade, história prévia de doença psiquiátrica, concomitância de consumos de outras substâncias, etc.)
O alcoolismo tem de facto vários efeitos negativos sobre a saúde física e psíquica, que na maioria das vezes causam prejuízos graves nos vários contextos em que o doente esta inserido, sejam eles laboral, familiar ou social, e que estão relacionados com exclusão social, acidentes de viação e trabalho, comportamentos agressivos como por exemplo na violência domestica etc.
É essencial que as pessoas tenham consciência dos malefícios do consumo excessivo de álcool e que uma intoxicação alcoólica pode ser ultrapassada no espaço de algumas horas e não deixar sequelas. Nos casos mais graves, porém, a situação pode evoluir para o coma alcoólico e resultar em morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.