Home>BIRD Magazine>CINESIO & MECANOTERAPIA
BIRD Magazine

CINESIO & MECANOTERAPIA

LIANE SANTOS
Cinesioterapia
A cinesioterapia é definida etimologicamente como a arte de curar, utilizando todas as técnicas do movimento.
Define-se como, o uso do movimento ou exercício, como forma de tratamento, tendo em conta os conhecimentos de anatomia, fisiologia e biomecânica.
A utilização da cinesioterapia tem como objectivo, desenvolver um trabalho mais eficaz a nível da articulação, prevenção de lesões e a sua recuperação, mantendo, corrigindo e recuperando uma determinada função.
Os seus efeitos baseiam-se no desenvolvimento, melhoria, restauração e manutenção da força, da resistência à fadiga, da mobilidade e flexibilidade, do relaxamento e da coordenação motora.
A indicação da cinesioterapia é bastante criteriosa, sendo necessário uma avaliação para traçar objectivos e estratégias. Esta avaliação deve ser frequente, para manter o tratamento actualizado, tendo em conta o desempenho do paciente e o seu desenvolvimento.
Técnicas básicas de cinesioterapia
  • Massagem
  • Mobilizações
    • Activas e Activa-assistida
    • Passivas
    • Resistidas
Contra-indicações da mobilização
Quer a passiva, quer a activa estão contra-indicadas em situações em que o movimento do segmento seja prejudicial ao processo de cicatrização:
  • Imediatamente após ruptura de ligamentos, tendões ou músculos (situações agudas)
  • Nas zonas de fracturas não consolidadas
  • No pós-operatório de cirurgias aos tendões, ligamentos, músculos, cápsulas articulares e pele
A mobilização activa está contra-indicada quando a situação cardiovascular do paciente é instável e o exercício activo poderia por em risco a vida do paciente
E ainda, é contra-indicado a realização de manobras forçadas e dolorosas e realizar a mobilização em articulações hiperálgicas
Mobilização activa
É um movimento dentro da amplitude máxima de movimento livre para um segmento, produzido por uma contracção activa dos músculos envolventes da articulação.
Ou seja, O paciente realiza o movimento sem auxílio do terapeuta. O paciente tem uma participação activa, voluntária e consciente, dos movimentos que executa.
Mobilização activa-assistida
É um movimento dentro da amplitude máxima de movimento livre para um segmento, na qual a assistência é produzida por uma força externa, manual ou mecânica por debilidade muscular.
Ou seja, o terapeuta auxilia o movimento realizado pelo paciente.

Indicações da mobilização activa e activa-assistida

Quando o paciente tem capacidade de contrair voluntariamente os seus músculos com ou sem assistência e não existem contra-indicações formais:
  • Com os mesmos objectivos da mobilização passiva, no entanto, acresce os benefícios da contracção muscular
  • Manutenção da contractilidade e elasticidade muscular
  • Feedback sensorial dos músculos em contracção
  • Estimulação para a integridade óssea
  • Melhorar a circulação prevenindo o desenvolvimento de tromboflebites
  • Fraqueza muscular do paciente
  • Em programas de melhoria da condição física podem usar-se os movimentos activos de forma a melhorar a resposta cardiovascular e respiratória.

Mobilização resistida

O mesmo que o anterior, mas o terapeuta contraria o movimento realizado pelo paciente.
É solicitada acção e controlo dos músculos motores do movimento solicitado. Deve ser realizado contra uma força externa além da gravidade ou peso.

  • Nunca esquecer os comandos verbais, para o paciente entender o que é pedido;
Indicações da mobilização resistida
  • Aumentar a força
  • Aumentar a resistência muscular à fadiga
  • Aumentar a potência
No entanto, deve-se ter atenção as condições cardiovasculares, osteoporose, movimentos associados, etc.
Mobilização passiva
É um movimento dentro da amplitude máxima de movimento livre para um segmento, produzido inteiramente por uma força externa, não havendo contracção muscular voluntária. Ou seja, Caracteriza-se pela participação passiva do paciente, ou seja, o terapeuta ou um aparelho externo, realiza o movimento.
Indicações da mobilização passiva
Por incapacidade do paciente se mover activamente um segmento ou segmentos do corpo usa-se a mobilização articular passiva:
  • Manutenção das amplitudes articulares e dos tecidos moles
  • Manutenção da mobilidade
  • Minimização de formação de contracturas
  • Manter a elasticidade mecânica muscular
  • Melhorar a circulação
  • Ajudar a manter a consciencialização do movimento
  • Demonstração de um exercício activo
  • Para avaliação de estruturas inertes
    • Limitações articulares
    • Avaliação de instabilidade articular
    • Avaliação da elastic

      idade muscular ou dos tecidos moles

Mecanoterapia
Engloba um conjunto de técnicas de tratamento que necessitam de uso de materiais próprios tais como Gaiola de Rocher, bandas elásticas, halteres, roldanas, molas, pesos, cabos, bicicletas, tapetes de marcha, etc.
Ou seja, a mecanoterapia traduz-se nos materiais / aparelhos que auxiliam na realização de todas as técnicas de movimento, usadas como tratamento.


Materiais integrantes na Mecanoterapia (alguns representados na imagem)
  • Tábuas de Freeman
  • Roldanas
  • Halteres/ Pesos para o membro superior
  • Gaiola de Rocher
  • Roda
  • Bicicleta
  • Pedaleira
  • Bola suíça
  • Bastão
  • Plano Inclinado
  • Colchão elevado
  • Barras paralelas
  • Escadas
  • Espaldar
  • Espelho
  • Step
  • Cadeira de quadricípite
  • Entre outros.
Todos estes materiais são facilmente encontrados em clínicas de fisioterapia e unidades de medicina física e reabilitação dos hospitais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.