Home>BIRD Magazine>A MULHER DA MINHA VIDA
BIRD Magazine

A MULHER DA MINHA VIDA

CARLA SOUSA
Eu tenho algumas mulheres muito importantes na minha vida: a mãe, as irmãs, a avó e a amiga do peito.
A propósito do Dia da Mulher e, da importância que algumas mulheres têm na minha vida, decidi hoje falar da minha irmã mais nova.

“Lembro-me do dia em que nasceste e da dedicação que te tive e tenho. Sempre foste bonita, engraçada e mesmo com o teu mau feitio sempre conseguiste derreter-me.
Em pequena, quando ficaste doente, lembro-me de sentir muito medo. Ainda não te tinha olhado bem e estiveste logo internada. Foram dias complicados para toda a família. E no dia da minha comunhão solene tu não estavas e os pais foram para o hospital.
Sempre foste frágil, e, talvez por isso muito protegida e mimada.
Fazia-te penteados como se fosses a minha boneca. E tu, toda contente lá os passeavas. Brincámos com nenucos, com barbies e aos consultórios.
Na escola “aturava -te” quando achavas que não conseguias, ou que não sabias. E tu sabias!!
Sempre exigente contigo e com os outros, passaste por altos e baixos. Se fosse possível, teria feito as coisas por ti. Tal como uma mãe, muitas vezes, fui uma grande chata.
Sempre vaidosa e bonita, herdaste de mim o gosto pela escrita, teatro e outras coisas mais.
Sempre nos entendemos mesmo quando falávamos pouco… Adorava quando dormíamos juntas e sentia o teu mimo.
Cresceste mana. Cresceste e eu continuo a amar-te. Partilhamos o gosto pelas modas, os mesmos valores e hoje o gosto pela Psicologia e a mesma profissão. Cuidas de mim, eu cuido de ti. Sempre cuidarei.
Graças à mãe, ao pai e a nós, temos uma relação boa. Todas as três. Somos muito diferentes mas o amor que nos une é infinito e não se mede por palavras.
Eras uma criança e agora vejo-te uma mulher. Olho para ti babada e com um orgulho imenso e um amor que não cabe no peito.
Eu nunca me esqueço de ti, carrego-te no coração para onde vou e ambas sabemos a importância que temos na vida uma da outra.”

Ter um irmão mais novo é algo fantástico. Sentir amor por um irmão é um sentimento incomensurável e incondicional.
É passar por fases de discussões, conflitos, muitas vezes estúpidos, e fazer as pazes.
É brincar até mais não. É cobrir costas nas saídas, nas asneiras…É cumplicidade.
O amor de irmãos é um amor de qualidades e defeitos, de implicâncias e defesas, de admiração e críticas… É um amor em espelho, em que um se reflete no outro. É um amor natural, sem fantasias, sem máscaras. Quando se chateiam, falam, choram, entram em conflito, expõem sentimentos e, simplesmente, passa. O sentimento não é abalado. 
Amar um irmão é algo único. E ama-se cada irmão de uma forma única porque cada um é único e excecional. E tu minha querida mana, és única e excecional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.