Home>BIRD Magazine>UMA QUESTÃO DE NÚMEROS
BIRD Magazine

UMA QUESTÃO DE NÚMEROS

ANA SILVA
Há uns 3 ou 4 anos ia eu a caminho de casa, quando fui obrigada a parar o meu carro na rotunda de Geraldes à noite, porque estavam entre 8 e 10 cães, desculpem a incerteza, mas não contei, a dormir literalmente na rotunda. Todos cachorros, 3/4 meses, mas de porte enorme! Uns tigrados outros castanho claro, todos lindíssimos! Na altura fiz a única coisa que podia, que foi ligar com a responsável do grupo de Ajuda Animais em Gondar a explicar a situação. Não havia abrigo físico e a situação ficou assim.. Mesmo que houvesse abrigo e sendo que a lotação da AAAAMT agora é de 15 cães, o resgate teria sido impossível na mesma.. Sei que os cachorros ainda vaguearam pelas ruas da cidade, mas entre a má sorte de uns que não resistiram e talvez a boa sorte de outros que tenham sido recolhidos por pessoas de bom coração, sobraram dois! A nossa apelidada cadela da Chentuada e o seu irmão Tigrado, que fizeram do bairro o seu refúgio. 
São cães magnificos de porte, resistentes de saúde.. Não fazem mal, mas também nao dão confiança aos humanos. Razões para isso devem ter com fartura! 
SEGUNDA NINHADA
O grande problema nesta história toda é nunca termos conseguido apanhar a cadela para esterilizar! Nós, os voluntários, somos pessoas normais, sem formação em captura e resgate, o que neste caso era necessário! A cadela da Chentuada já teve, que me lembre, 3 ninhadas! Da primeira conseguimos roubar dois! E acreditem que foi mesmo roubar!! Não é tarefa fácil retirar um filhote a esta superprotetora mãe! Na segunda vez só vimos os bebés quando já tinham mais ou menos 3 meses e ja tinham sido ensinados a fugir a 7 pés das pessoas.. Tínhamos adotantes para 3 deles, eram 5 se nao caio em erro.. Nunca conseguimos apanhá-los e andam por aí a sobreviver como podem.. Hoje foi a terceira.. Pariu 8 caes, desta vez mais perto das pessoas, o que talvez nos permita apanhá-los com sucesso.. Se não nos for possível basta fazer contas e perceber a implicação do abandono de 1 só cadela! 
1 só cadela deu origem a mais de 15 novos cães na rua em apenas 2 anos.. Entre esses 15 haverá cadelas com certeza que daqui a uns meses começaram a dar o seu contributo para o aumento dos animais errantes! Nós lutamos todos os dias contra estas situações, mas ao mesmo tempo pagamos aproximadamente 100 euros por cada esterilização. Essa esterilização representa que salvamos em média, considerando que a cadela em questão teria 6 ou 7 ninhadas na vida toda, 35 ou 40 cães de passarem a vida na rua.. Os números não vêm de estudos, nem pesquisas.. Vêm da nossa experiência ao longo destes, aproximadamente, dois anos como Associação. 
TERCEIRA NINHADA
Nestes meses que passaram recolhemos imensas ninhadas! Ou no monte, ou em casas em construção, ou no lixo ainda com o cordão umbilical.. Esterilizamos dezenas de cadelas de rua como método preventivo de situações futuras, ja que as nossas condições não nos permitem ser tão reativos como gostaríamos pela falta de espaço e de voluntários. 
Sonhamos em andar nas ruas de Amarante e não ver um animal em cada esquina, cansado, com fome, à chuva e ao frio, ou ao calor desidratante.. Queremos salva-los todos, mas nem 300 lugares num abrigo seriam suficientes. Queremos apostar na prevenção e na sensibilização das populações, mas faltam-nos os recursos financeiros.. Já várias empresas ajudaram com a esterilização de cadelas errantes e a todas as outras abrimos as portas para que o façam. Dos particulares nem se fala.. Todos os meses sobrevivemos e ajudamos animais à custa dos donativos recebidos e que muito agradecemos. Da Câmara Municipal de Amarante recebemos um subsídio pela primeira vez no final do ano de 2016, que nos permitiu equilibrar as contas, mas em Fevereiro já tínhamos esse valor novamente gasto em cuidados veterinários.. Agradecemos imenso todas as ajudas! Pedimos que não parem de nos apoiar! Pela saúde dos cães que estão conosco no abrigo, mas também pelas dezenas de animais feridos e doente que ajudamos todos os meses! Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.