Home>BIRD Magazine>COMO LIDAR COM A MORTE EM CLINICA DIARIAMENTE?
BIRD Magazine

COMO LIDAR COM A MORTE EM CLINICA DIARIAMENTE?

SUSANA FERREIRA
Diariamente aparecem animais na clínica muito doentes, alguns deles sem hipótese de sobrevivência e logo se põe a questão, como vou dizer ao dono que o seu melhor amigo vai morrer ou terá de ser eutanasiado? Não existem maneiras perfeitas nem menos dolorosas de dar esta notícia, tudo depende dos donos, da circunstância, de muitos factores. Infelizmente, nunca nenhum Médico Veterinário se habituará a dar esta notícia sem sentir um aperto no peito, um nó na garganta e muitas vezes culpabilizando-se por não conseguir reverter a situação, por não ser útil o suficiente para salvar todos os pacientes. Ainda mais complicado se torna quando o animal entra na clínica, aparentemente saudável, sem alterações no quadro clínico, nem análises sanguíneas e na sequência de uma cirurgia de conveniência morre. Como dizer ao dono? Qual a explicação lógica para ter ocorrido tal situação? Na cabeça do dono só surge a ideia da nossa incompetência enquanto profissionais e que fomos nós que falhamos, que não fizemos exames suficientes, que nos descuidamos, entre outras coisas. Mas infelizmente as anestesias são sempre um risco acrescido, sendo por isso obrigatório a assinatura de um termo de responsabilidade de anestesia. Sendo que neste termo a pessoa toma consciência dos riscos inerentes a este procedimento, sendo a morte o pior risco. Felizmente as mortes em anestesias são raras, no entanto, em animais saudáveis, com exames normais, sem aparentemente nenhum problema de saúde, pode haver paragens cardiorespiratórias durante a anestesia, sendo algumas reversíveis e outras infelizmente não reversíveis. Apesar de sabermos que fizemos tudo correto e tudo o que estava ao nosso alcance para salvar o animal, o sentimento de culpa muitas vezes apodera-se de nós. Principalmente a revolta dos donos e muitas vezes umas palavras mais amargas podem levar-nos a perder muitas noites de sono, algumas horas de terapia e um desgaste emocional gigante que nos afeta a nós e a quem nos rodeia. Se alguma vez vos acontecer uma situação semelhante peço que não descarreguem o vosso sofrimento e raiva no profissional que tudo fez para salvar o vosso Animal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.