Home>Economia>INTERNACIONALIZAÇÃO COMO NOVO PARADIGMA EMPRESARIAL
Economia

INTERNACIONALIZAÇÃO COMO NOVO PARADIGMA EMPRESARIAL

Na atual conjuntura empresarial e no quadro da globalização, a internacionalização surge como uma potencialidade quase que obrigatória explorar.
Têm sido imensos os recursos disponibilizados pelos quadros comunitários para que as empresas europeias se potenciem e consigam competir nesta era de globalização através de investimentos na internacionalização e de qualificação dos seus quadros. O PT 2020 e o H 2020 são hoje ferramentas utilizadas pelas empresas que querem assumir-se no quadro da internacionalização e que estão na linha da frente para competir nos mercados onde atuam.
Hoje falar-se no mundo empresarial de referência, implica falar-se da estratégia de internacionalização das empresas, pois o mundo empresarial mudou e de certo, as empresas que queiram ter sucesso, terão de assumir essa responsabilidade: Fazer negócios no século XXI, implica necessariamente sair da sua região, do seu país, do seu continente, enfim sair da sua zona de conforto…
É inegável que o fenómeno da globalização traz consigo transformações significativas em diversos setores, sejam eles jurídicos, económicos ou sociais, fato que, consequentemente, reflete no desaparecimento de fronteiras, de diversidades sócio-culturais e
de ideologias políticas.
O fenómeno da globalização está directamente ligado ao fenómeno da internacionalização. Internacionalizar é um fenómeno que está a quebrar barreiras nunca antes quebradas e que está a mudar o mundo nas suas mais variadas vertentes, alinhadas no contexto global.
Dir-se-á que a globalização e a internacionalização são dois factores indissociáveis no atual contexto e que não são racionais um sem o outro. Internacionalizar é globalizar e globalizar é internacionalizar…
Em termos práticos, ao longo de décadas os negócios eram feitos através de fórmulas quase que matemáticas e assim perduraram durante anos… Hoje o paradigma é bem diferente, pois internacionalizar na empresa X, não será igual que internacionalizar na empresa Y, independentemente das empresas X e Y, serem duas empresas Portuguesas, da mesma cidade, do mesmo ramo de negócio, com o mesmo número de trabalhadores e com o mesmo volume de facturação, porque as suas estratégias poderão ser totalmente inversas e serão ambas correctas.
Em jeito de conclusão e porque as empresas Portuguesas têm sido excelentes e exímias nos seus processos de internacionalização, é importante referir que muito do que foi a recuperação de Portugal nos últimos anos se deveu ao aumento das exportações, fruto dos processos de internacionalização das empresas Portuguesas, que não baixaram os braços perante as adversidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.