Home>Em Destaque>EXERCÍCIO FÍSICO E GRAVIDEZ
Em Destaque Saúde e Vida

EXERCÍCIO FÍSICO E GRAVIDEZ

O desporto representa por si mesmo e pelas suas múltiplas facetas, uma situação favorecedora da saúde. Ninguém põe em duvida os efeitos positivos que a pratica desportiva proporciona. O interesse cada vez maior pelo desporto tem feito com que o número de praticantes tenha vindo a aumentar consideravelmente.

No contexto atual praticar desporto é uma rotina quase obrigatória, havendo um número  cada vez maior de praticantes amadores e profissionais. A idade de inicio da pratica desportiva surge cada vez mais precocemente..

Os diferentes tipos de atividade desportiva impõem exigências variáveis aos desportistas que a praticam.

As exigências que diariamente são pedidas sobretudo aos atletas de elite para atingirem bons resultados, passam necessariamente por um aperfeiçoamento das técnicas, por  um número maior de horas de treino, por um aquecimento adequado, por um programa de treino e de competição intensiva, por uma ingestão suficiente de líquidos, por uma alimentação completa e variada por uma boa higiene geral (repouso, sono, abstenção de álcool). Apesar de uma constante melhoria das técnicas de treino e dos equipamentos ninguém fica imune ao risco de lesões.

Por melhor que sejam as qualidades pessoais do atleta, mesmo que a sua preparação técnica  seja excelente, o sucesso desportivo pode não ser atingido se durante a sua prática desportiva ficar lesionado.

O nosso papel será atuar a nível da prevenção. Divulgando medicas preventivas eficazes, a fim de impedir o aparecimentos de lesões.

A evidência científica demonstra claramente que a prática de exercício físico  na gravidez melhora a qualidade de vida, promove o bem estar mental, físico e social da grávida.

É uma prioridade para os especialistas de medicina desportiva incentivarem e recomendarem a manutenção da pratica desportiva durante o período gestacional.

A prática de estilos de vida saudável funciona como um dos mais importantes benefícios na prevenção das doenças.

A atividade desportiva a desenvolver pela grávida tem de ser compatível com o seu estado psicofisiológico para lhe proporcionar segurança e conforto.

O Exame de aptidão médico desportiva deverá ser realizado logo que a mulher engraviad, para permitir que o exercício físico que irá praticar seja seguro para a mãe e para o feto  e para que a mulher usufrua  de um verdadeiro beneficio desde o inicio da concepção.

São imensos os benefícios resultantes da prática desportiva, porém antes de iniciar a sua atividade, neste período tão especial da sua vida, a grávida necessita de efetuar uma avaliação  rigorosa e detalhada  do seu  estado de saúde  que deverá ser realizada por um especialista de medicina desportiva , complementada pela avaliação  do seu obstetra que a irá acompanhar durante o período gestacional, cujas recomendações são fundamentais para que o desenvolvimento fetal e a estabilidade física e psicológica da grávida não sejam prejudicadas.

Estas avaliações são obrigatórias e fundamentais  pois permitem fazer a transmissão dos conselhos e das recomendações mais importantes para que as orientações e sucessivas adaptações periódicas durante as várias fases da gravidez sejam enquadradas e contextualizadas de acordo com a especificidade do seu histórico clínico, da antecipação da prevenção  de eventuais  complicações (por exemplo risco de placenta prévia, hemorragias do 1.º 2.º ou 3.º trimestre da gravidez), bem como no controlo de patologias crónicas p´revias designadamente a existência de uma diabetes, patologia cardiovascular, endócrina, hipertensão arterial ou outras.

Sem dúvida, que  a regularidade do desporto durante a gestação tem imensas vantagens, sendo um investimento essencial para a mulher, uma vez que para alem de aumentar os níveis de energia, diminui o excesso de peso, as insónias e previne do risco de desenvolver uma diabetes gestacional.

As desportistas têm ciclos na sua vida, designadamente  durante a gravidez, que necessitam de adaptabilidade funcional na execução de determinados exercícios que terão de executar

Praticar exercício físico durante a gravidez aumenta os níveis de e energia, previne o excesso de peso e diminui o risco de diabetes gestacional entre outras vantagens
Palavras chave: gravidez e exercício físico, benefícios do exercício físico na gravidez , tipos de exercício físico aconselhados na gravidez
Os benefícios da atividade física durante os meses da gravidez são muitos e vale a pena o esforço inicial
Antes de começar
Em primeiro lugar consulte o Obstetra para receber os conselhos e determinar as eventuais adaptações tendo em conta o contexto da sua história clinica e das possíveis complicações designadamente diabetes não controlada, hipertensão arterial , patologia cardio vascular , placenta previa ( inserida perto do colo do útero
Destinada a avaliar a possibilidade de executar exercício físico seguro para a grávida e para o bebe

 

A atividade física esta normalizada na atleta de alta competição e tem de ser entendida como parte integrante de um ciclo de regular da sua vida diária.

Todavia, poderá haver necessidade de fazer algumas adaptações  nas várias modalidades e designadamente na  execução de certos exercícios para não perturbar as mudanças fisiológicas que a gravidez gera na mulher.

Sem dúvida que a gravidez origina na mulher alterações fisiológicas e psicologicas

Sem duvida que a pratica do exercício físico contribui para melhorar o bem estar e o conforto da atleta, que necessita de manter a sua atividade de forma regular.

É óbvio que o primeiro patamar de decisão passará pela observação e orientação do obstetra que deverá ser o primeiro profissional médico a dar o seu contributo na manutenção do exercício.

Apesar de todas as atletas gravidas vivenciarem uma situação comum, nem todas reagem da mesma forma, pelo que as adaptações terão que ser individualizadas de acordo com a modalidade praticada e com as características da atleta.

Em todas as circunstâncias temos que manter o beneficio do exercício físico, com as recomendações adequadas para cada uma das atletas.

Todos sabemos que a pratica do exercício físico é um fator de equilíbrio emocional e físico na gravida, aumentando o seu bem estar e mantendo-a ativa.

Um estilo de vida sedentário diminui a massa muscular, origina um aumento excessivo de peso durante a gravidez, aumenta o risco de desenvolver diabetes gestacional e pré- eclampsia, desenvolvimento de varizes, aumento das queixas físicas como dispneia e lombalgias resultantes das mudanças físicas que ocorrem durante a gravidez e uma menor adaptação psicológica a este período único na vida da mulher.

O exercício melhora o controlo glicémico em gravidas com diabetes gestacional e pode ter um papel importante na sua prevenção

Evidencias sugerem um efeito protetor  da doença coronária, osteoporose, hipertensão, redução do risco de cancro do colon e provavelmente do cancro da mama e redução da percentagem corporal de gordura.

Naturalmente que o esforço corporal excessivo não é recomendável para a grávida, havendo por isso algumas restrições durante o período de gestação não só no que concerne a determinadas modalidades desportivas ou /e determinados exercícios  que possam ser executamos com mais violência e/ou agressividade  como sejam os desportos de elevado risco que possam induzir traumatismo abdominal nos quais se inclui o salto de trampolim, o esqui náutico ou alpino, o parapente, a escalada, a patinagem  ou o alpinismo

Se é certo que o beneficio é muito superior ao risco, por vezes  temos  de ponderar a necessidade de interromper a atividade temporária das atletas, designadamente nos casos em que exista uma hemorragia genital, atraso do crescimento intrauterino, rutura prematura de membranas  e em todos os nalguns  casos em que existam comorbilidades que  possam  interferir com o desenvolvimento fetal.

Definir uma estratégia com linhas programáticas bem definidas e estruturadas de forma a satisfazer a motivação da atleta e de todo o fenómeno desportivo é uma exigência do seu bem estar e satisfação pessoal conduzindo inevitavelmente ao sucesso.

Todavia é certo que o parecer do medico obstetra é fundamental para dar as orientações que considere mais importantes para o caso em apreço.

A alimentação deve ser uma prioridade na gravida sendo que o grau de exigência na seleção de alimentos  numa atleta de alta competição tem que está gravida deve ser realizada com maior rigor.

Um estudo efetuado sobre a percentagem de atletas de alta competição que usam suplementos alimentares realizado pelas faculdades de Desporto e de Ciências da Nutrição da universidade do Porto, que abrangeu 304 atletas das várias modalidades (râguebi, triatlo, natação, judo, ciclismo, ginástica atletismo, esgrima, basebol, andebol, boxe, natação, basebol) revelou que 66% dos atletas  de alta competição usam suplementos alimentares, dos quais os mais utilizados são os polivitaminicos, o magnésio, as proteínas e as bebidas desportivas..

A atleta gravida deve estar esclarecida sobre o tipo de exercício que pode praticar, frequência. Duração e intensidade, não só durante o período da gestação como no pós parto.

Se a gravidez decorre de forma natural, a atleta deve ser estimulada a manter o exercício  físico, podendo em casos pontuais de adaptar o  programa de treino.

Se a gravidez é de risco, deve ser feito um exame de avaliação medico desportiva, rigoroso destinado a  ajustar os exercícios mais indicados para evitar prejudicar a mãe ou o feto.

A  resposta ao exercício na mulher gravida vai depender do impacto  que as alterações fisiológicas e psicológicas provocam na mulher.

Tendo em conta o aumento ponderal que  a mulher adquire durante a gravidez, não podemos excluir uma maior probabilidade de inaptidão para a modalidade pois o excesso de peso irá de certeza interferir na execução .

Durante o período de gravidez  o metabolismo glicídico altera-se  podendo levar nalguns caos a situações de hipoglicemia em jejum e hiperglicemia pós-prandial .

Constatamos que os níveis de insulina aumentam , todavia no terceiro trimestre  há um aumento de resistência à insulina.

As atletas gravidas correm o risco de fazerem hipoglicemias pelo que se aconselha que tenham uma alimentação  com mais calorias  e das redução  do tempo de exercício, sendo no máximo 45 minutos.

Para além das alterações metabólicas  o volume de sangue circulante aumenta , havendo por isso necessidade de uma monitorização permanente ao exercício  para não criar problemas.

Existe  alguma evidencia  que comprova  que a atividade  física na gravida reduz as insónias, melhora

Os exercícios mais adequados  são os de intensidade moderada, natação ou caminhada ou corrida  reduzem a duração do trabalho de parto e o risco de complicação do mesmo.

 

As gravidas devem evitar os desportos  violentos e todos os  exercícios com risco de trauma ou queda

Contra-indicações a pratica do exercício físico

Segundo a  ACOG

CONTRA-INDICAÇÕES Absolutas são.

Doença cardíaca

Doença pulmonar restritiva

Colo uterino incompetente

Gestação múltipla com risco de parto pré-yermo,

Hemorragia persistente durante o segundo e treceiro trimestre

Placenta previa apos as 26 semanas de gestação

Trabalho de parto prematuro durante a atual gestação

Rutura de membranas

Hipertenção gestacional

Segundo a ACOG as contra-indicações relativas são

Anemia severa (Hg§100g/l,

Arritmia cardíaca materna não avaliada,

Diabetes de tipo I mal controlada,

Obesidade morbida (IMC maior que 40),

Magreza excessiva (IMC  menor que 12);

Historia de um estilo de vida extremamente sedentário ;

Restrição de crescimento intra-uterino na gravidez atual;

Hipertensão /pré-eclâmpsia mal controlada ;

Limitações ortopédicas;

Doença convulsiva mal controlada :

Doença tireoideia mal controlada ;

Fumadora pesada (mais de 20 cigarros dia )

 

Sinais de alerta –suspender o exercício físico durante a gravidez

Segundo o ACOG os sinais de alerta são:

Hemorragia vaginal;

Dispneia após o esforço;

Tonturas;

Cefaleias ;

Dor torácica;

Fraqueza muscular;

Dor ou edema dos tornozelos (diagnostico diferencial de tromboflebite deve ser tido em consideração );

Trabalho de parto prematuro ;

Diminuição dos movimentos fetais

Perda de líquido amniótico.

Longo vai o tempo em que as gravidas eram aconselhadas a interromper o exercício físico, devido ao fato de se pensar que proporcionava um risco de abortamento e de parto prematuro, todavia desde há cerca de trinta anos que se pensa de forma diferente .

Segundo as recomendações de 2011 na Sports Medicine  demonstram evidencia para os programas de exercício fisíco  de intensidade progressiva  com duração e frequência   harmoniosos, equilibrados de forma a estabelecer potenciais  benefícios e evitar os malefício.

A prescrição do exercício físico de deve ter em conta o estado de saúde da gravida para poder programar e adaptar o exercício adequado

Tipos de exercício

Em suma,

São muitos os benefícios que a gravida recebe com a pratica do exercício físico, designadamente  a diminuição da fadiga, varizes e edema das extremidades

A evidência científica demonstra que a pratica do exercicio físico na gravidez melhora a qualidade de vida, promove o bem estar mental , físico e social e gera um
Estilo de vida saudável sendo por isso recomendado e incentivado pois é benéfico em qualquer ciclo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.