Home>Cidadania e Sociedade>EDUCAR UM ANIMAL
Cidadania e Sociedade Veterinária

EDUCAR UM ANIMAL

Educar os filhos nos dias de hoje é muito complicado. Estamos a criar uma sociedade de inaptos e seres que não sabem ouvir um não. Que nunca enfrentaram contrariedades na vida. Que tem de ter tudo igual ou melhor que o amigo do lado. E os pais lá se esforçam e fazem o inimaginável para lhes proporcionar tudo o que ele eles desejam. E com os animais? Como está a educação dos animais? A educação dada às crianças reflecte-se também na educação dos animais.

Temos muitos cães de raças consideradas muito afáveis transformados em pequenos monstros com dentes afiados à espera da melhor oportunidade para atacar. Este comportamento é na maioria das vezes fruto de uma educação permissiva e baseada no dar tudo e deixar fazer tudo o que quer, para não ouvir chorar.
Quando nos negamos na clínica a tratar um animal agressivo, que demonstra claramente nos querer morder a qualquer instante, somos maltratados pelos tutores. Os tutores ficam ofendidos quando pedimos para colocar um açaime. Ainda há aqueles que se encostam a parede, largam o pequeno demónio na marquesa… agora desenrasque-se… ele a mim não me deixa fazer nada.
O seu animal a si não o deixa fazer nada? Então se a si não o deixa fazer nada, porque será que me irá permitir a mim? Sou uma perfeita desconhecida, com cheiro a outros animais e num sítio que por si só já é motivo de stress.
Como eu costumo dizer: “ Nós aqui não somos domadores de feras”. Nós de facto temos formação em contenção e comportamento animal, no entanto, necessitamos sempre da ajuda dos donos para alcançar o animal em segurança, sem sermos mordidos ou arranhados.
Os tutores não tem noção que um animal num ataque repentino pode mutilar-nos para o resto da vida. Pode deixar marcas físicas e emocionais que o tempo não deixa sarar.
Tutor: “Parece que está com medo que o meu animal o morda, que raio de Veterinário tem medo de animais?”
Eu: “Um Veterinário que não respeite um animal não pode ser um bom Veterinário nem um ser consciente. Nós devemos respeitar o animal e recear um ataque porque muitas vezes é sem pré-aviso.”
Um animal nunca deveria desrespeitar o próprio dono, atacar o próprio dono. Se o faz, resulta de uma má educação. Há que ser firme e ter noção que o lugar do animal é sempre na base da hierarquia, nunca no topo ou a meio. O animal deve saber ouvir um não e responder aos comandos básicos. Senta, deita, espera… são comandos básicos que todos os animais devem conhecer.
Educar um animal não é tarefa fácil… se  não tem perfil para educar um animal como deve ser, pense muito bem antes de adquirir um. Pode tornar-se perigoso para si, para a família e para os outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.