Home>Saúde e Vida>ALTERAÇÕES DA COR DOS DENTES
Saúde e Vida

ALTERAÇÕES DA COR DOS DENTES

 Numa sociedade moderna e em constante evolução, uns dentes brancos e um sorriso brilhante fazem parte do ideal de beleza. Na grande maioria das situações as pequenas alterações de cor podem ser corrigidas de forma rápida e sem grande esforço financeiro. Contudo, em alguns casos as soluções podem não ser as mais fáceis, nem com os melhores resultados.

A alteração da cor poderá ter várias causas. Para além das lesões de cárie, também situações traumáticas, perturbações na formação do esmalte e dentina, higiene oral deficiente ou pigmentação extrínseca de origem bacteriana ou alimentar, podem conduzir a este tipo de transtornos.

No caso da alteração cromática ser devido à existência de cárie a solução passa, claro está, pelo tratamento e restauração da lesão cariosa. Sendo devido a higiene oral deficiente ou a pigmentação extrínseca, quer de origem bacteriana ou alimentar, a resolução passa pela realização de uma destartarização (vulgo “limpeza”) seguida de polimento dentário. A estes dois passos podemos associar a passagem de um jato de bicarbonato de sódio, que vai ajudar a remover de forma mais eficaz o pigmento. No final, sendo de vontade do paciente e sempre com indicação médica, pode-se realizar um branqueamento dentário.

Após desvitalizações é comum, também, a existência de alteração da cor do dente, sobretudo devido à não remoção completa da câmara pulpar, que sendo constituída por bactérias e sangue tem de ser muito bem “limpa” aquando da restauração dentária, para não ocorrer, então, esta descoloração. Nestes casos a solução passa por remoção da restauração antiga e limpeza adequada da câmara pulpar, seguida de um branqueamento dentário interno. No fim restaura-se novamente o dente.

Mas, quando as alterações de cor são devido à existência de perturbações na formação do esmalte e dentina, bem como de traumatismos dentários, as soluções não se tornam tão simples ou mesmo acessíveis para todos.

Um traumatismo dentário pode levar à lesão do “nervo” dentário e consequentemente, a lesões na já referida câmara pulpar. Isto leva a descoloração dentária e muitas vezes, como o “nervo” do dente traumatizado deixa de estar disponível para ser desvitalizado, um branqueamento dentário interno deixa de ser a solução. Neste caso as próteses fixas poderão resolver o problema em questão.

Quando nos referimos a alterações na formação do esmalte e na dentina, estas ocorrem na grande maioria devido a fluoroses dentárias ou a pigmentação por tetraciclinas (antibiótico). Estas situações ocorrem devido à ingestão em excesso de flúor ou toma de tetraciclinas aquando da formação e maturação dentária. Assim sendo, os dentes quando “nascem” já apresentam estas descolorações e vão mantê-las sempre na sua constituição até que se intervenha e se arranje uma resolução. No caso do flúor, as ditas fluoroses, apresentam-se nos casos mais brandos como manchas esbranquiçadas e nos casos mais severos como manchas acastanhadas. Na primeira situação as manchas podem ser removidas em consultório, com tratamentos simples e adequados, mas na maioria dos casos e sobretudo em manchas maiores a solução passa por tratamentos mais invasivos, como a colocação de facetas ou coroas dentárias. Na segundo caso e também no caso das tetraciclinas, os dentes apresentam uma coloração acastanhada e a resolução destes passa obrigatoriamente pela colocação de facetas e ou coroas dentárias.

Em suma, independentemente do tipo de coloração que os dentes apresentem, cabe sempre ao Médico Dentista fazer o correto diagnóstico e a intervenção mais adequada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.