Home>Mundo>NICARÁGUA: GOVERNO MATA MAIS E MAIS RÁPIDO QUE O GOVERNO VENEZUELANO
Mundo

NICARÁGUA: GOVERNO MATA MAIS E MAIS RÁPIDO QUE O GOVERNO VENEZUELANO

Sim, infelizmente é completamente verdade! E também é verdade que provavelmente você não sabia disso. E porque é que você não sabia disso? Porque os media internacionais estão, estranhamente, a censurar (ou a conter) estas notícias. Estamos a falar numa implementação, em curso, de um governo ditactorial com as linhas mestras do Chavismo e “impunemente” apoiado por Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela.

Esta crónica que escrevo é um artigo “extra” à minha habitual colaboração com a Bird Magazine mas, perante a gravidade do que se está a passar, e porque estou em contacto com as autoridades financeiras desse país que me pediram para divulgar a realidade dos factos, tenho o dever moral de o fazer. Escolhi a Bird Magazine para o fazer porque sei que os leitores desta revista são pessoas cultas e informadas, e que procuram informação relatada em primeira mão. É isso que irei fazer aqui.

Esta semana estive em Madrid para participar num evento privado, organizado pelo Banco de Espanha e com o propósito de reunir os responsáveis das Câmaras de Compensação Bancárias dos respectivos Bancos Centrais da América Latina. Foi um evento onde só participantes e convidados podiam participar, felizmente, fui contemplado para ser um dos convidados.

Foram abordados os temas da actualidade financeira de cada país, até aí, tudo decorria com normalidade. A surpresa chegou pela mão da Responsável da ACH (Câmara de Compensação do Banco Central da Nicarágua) que fez a sua esperada apresentação mas, no final, pediu uns minutos extra à organização, para relatar em primeira-mão, o que se estava a passar neste país da América Central.

E o que relatou deixou-nos boquiabertos, pela crueldade e relato em primeira-mão de alguém que estava a passar uma situação bastante complicada.

Começou por explicar-nos o histórico da situação que levou à situação actual. Basicamente, contou-nos sobre um governo corrupto que foi desviando dinheiro publico para favorecer entidades privadas e pessoais de membros do governo, com o motivo popular de fazer crescer a economia. Claramente, isso não aconteceu e o governo ficou sem dinheiro e sem obra feita.

Numa situação destas, pela emergência, o Governo decidiu aumentar brutalmente os impostos às empresas e aos contribuintes porque o país não tinha dinheiro para fazer face aos gastos correntes. Em simultâneo, os cortes orçamentais (medidas de austeridade) foram de tal maneira que a população menos beneficiada, ficou sem o mínimo indispensável para viver dignamente. Há duas semanas descrevi aqui na Bird Magazine, como vivem (viviam na altura) os nicaraguenses. Os cortes na educação foram brutais e, como sabemos, os estudantes são sempre os primeiros a vir para a rua manifestarem-se. Assim aconteceu.

Os cortes orçamentais foram tão grandes que às manifestações do estudantes, juntaram-se todo o resto da população. Cada um com os seus motivos, mas todos unidos pela mesmo problema, a falta de dinheiro. Dinheiro esse que tinha sido desviado para uma classe privilegiada da sociedade nicaraguense.

E quando a coisa aperta, a fome pode fazer despertar o que de mais “animal” temos cá dentro. Das manifestações aos saques de lojas, foi um instante. A Polícia foi chamada a intervir, o problema é que não se limitou a intervir, antes, provocou uma autêntica guerra civil nas ruas, atirando e matando tudo o que se mexesse. Hoje, 2 de junho, estamos a falar em mais de 100 mortos nas ruas de Manágua, jornalistas incluídos! Já lá vão 45 dias e não há luz ao fundo do túnel, as manifestações são quase diárias, a repressão policial também.

Esta responsável comentou também a estranheza de porque motivo estas notícias não saltam para os media internacionais… Porque motivo isso acontece? Ela explicou-nos que está em marcha uma tentativa de criar um Governo ao mais puro estilo “Chavista”, no fundo, criar uma réplica da Venezuela. Mas desta vez, o governo não quer iludir o povo, apenas mostra “músculo” para dizer quem manda e que ninguém se atreva a fazer oposição.

Como cidadão que luta incessantemente pela Liberdade, não posso pactuar com este tipo de regimes, por isso escrevo esta crónica especial. Foi com enorme tristeza ouvi este relato e como consequência tive que cancelar a minha visita à Nicarágua, prevista para os próximos dias, porque efectivamente a minha segurança não estava minimamente garantida. A Embaixada aconselhou-me a não viajar à Nicarágua enquanto estes confrontos existirem, porque parece que a polícia atira indiscriminadamente, ou não… segundo contam as notícias, a grande maioria das vítimas levaram com uma bala na cabeça ou abdómen. Julguem vocês mesmos.

Não é o meu objectivo substituir-me aos media, pelo contrário, convido o leitor a pesquisar os “periodicos” da Nicarágua para inteirar-se do que se passa.

Se há coisa que a Internet tem de bom, felizmente, é podermos aceder à informação quando queremos, basta pesquisar. “Espero que o façam”, foi este o pedido que ficou expresso nas palavras desta responsável. Da minha parte, já o fiz, e convido os leitores da Bird Magazine a fazer o mesmo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.