Home>Psicologia>SER FELIZ…
Psicologia Saúde e Vida

SER FELIZ…

Nem todos os dias nos sai a lotaria, nem todos os dias olhamo-nos ao espelho e gostamos da imagem que vimos, nem todos os dias nos elogiam, nem todos os dias o trabalho corre bem, ou não estamos doentes, logo temos que valorizar as coisas pequenas que acontecem no nosso dia a dia, porque a lotaria podemos nunca ganhar…

Temos que valorizar as coisas pequenas que nos acontecem como um bom café que tomamos, um amigo que víamos e já não vimos há muito tempo, o cabelo que naquele dia assentou bem, o sorriso do filho, etc, pois isso é que É SER FELIZ E ESTAR FELIZ!…

A felicidade é um estado, ou se está ou não se está, ou se sente ou não se sente!… E nem sempre estamos felizes, mas é possível ser feliz em muitas circunstâncias de vida e essas circunstâncias não têm que ser sempre boas, porque senão vejamos: como me explicam que alguém que não tem casa, não tem quase dinheiro para comer, não tem dinheiro para roupas, mal consegue ter os filhos na escola e é feliz e alguém que tem tudo isso é infeliz?…

Ser feliz é aceitar a vida, com sucessos, as dificuldades, as coisas boas e más, pois temos que viver da melhor maneira possível, aprendendo com cada erro e a crescer com os mesmos. Temos que viver com uma história e não nos vitimizarmos sempre que tivermos um problema.

Para as mães em geral ser feliz é beijar os filhos, ser criança com eles realizar coisas simples que eles pedem.

Ser feliz como filho é viver apaixonado pela vida e viver a mesma com grande intensidade.

Ser feliz para um adulto é sentir que os projetos de vida a que se propôs foram concretizados.

Ser feliz para um idoso é ter qualidade devida ao nível físico, psíquico, familiar e social.

Ser feliz não é ter uma vida perfeita, é ter a capacidade e ousadia de se perdoar pelos seus erros do passado, viver no presente e como Teixeira de Pascoaes dizia ”Tenho saudades do futuro”

Ser feliz é assim um sentimento interno em que se conseguimos sentir teremos uma sensação de bem-estar, independentemente de qualquer situação externa.

Se não nos sentimos felizes sentimos uma tristeza profunda e de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 120 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de tristeza profunda.

Sentir tristeza de vez em quando é natural, mas se o sentimento persiste sentimos uma tristeza profunda e um sentimento de depressão que nos leva a sentirmo-nos muito infelizes e isso é o contrário do que eu queria demonstrar com o que acabei de descrever nos parágrafos anteriores.

Se eu sou feliz, tenho boa autoestima, tenho interesse pela vida, durmo bem, tenho bom humor e estou concentrado em todas as tarefas que realizo; se eu estou triste tenho baixa autoestima, falta de interesse pela vida, desânimo, distúrbios de sono, mau humor e dificuldades em me concentrar.

Ser feliz muda a nossa postura em relação à vida em geral, logo temos que afastar a tristeza, analisar a nossa vida e alterar tudo o que não gostamos.

Temos assim que aprender a ser felizes, evitando que os problemas da vida nos impeçam de SERMOS FELIZES!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.