Home>Cidadania e Sociedade>FÉRIAS? PARA QUE SERVEM?
Cidadania e Sociedade

FÉRIAS? PARA QUE SERVEM?

Não restam dúvidas que para quem exerce a sua atividade profissional de forma intensa, as férias são fundamentais para “carregar” baterias e promover o bem-estar físico, mental, social e espiritual.

Descansar, não significa necessariamente “não fazer nada”. Na certeza que “não fazer nada” só apetece quando se tem muito que fazer! Planear as férias, para que quando regressar, esteja efetivamente mais preenchido, mais rico e com mais vitalidade, entusiasmo e motivação para mais uma temporada de trabalho, é fundamental. Curiosamente, não são as férias mais dispendiosas que o vão fazer mais feliz, muito menos se elas ficam a cargo de determinado crédito! Igualmente, as suas preocupações mentais não se resolvem meramente com a distância a que faz as suas férias, pois, carrega consigo tudo o que o faz mais ou menos feliz, independentemente do local onde esteja. A fuga ou a “anestesia” das férias, alivia temporariamente, mas não resolve!

Que fazer nas férias? Que tal ocupar o seu tempo naquilo que sempre gostou de fazer e foi adiando ou em algo que nunca fez e está cheio de curiosidade?

Algumas propostas aqui se registam:

Há quanto tempo não lê um livro? Daqueles que já possui e estão em lista de espera ou aquele recente que ainda não tem?

Há quanto tempo não se dedica a escrever, a pintar, fotografar, dançar, etc ? Afinal qual o passatempo ou desporto preferido, que ficou lá atrás?

Há quanto tempo deseja visitar determinado local? Conhecer novas culturas, hábitos e costumes?

Há quanto tempo não contempla a Natureza, seja no interior ou litoral, sem pressas, apenas estando presente?

Há quanto tempo não visita um seu familiar ou amigo distante que só comunica por facebook?

Há quanto tempo não faz algo diferente, em prol dos outros Seres (humanos e não humanos)?

Há quanto tempo não está consigo mesmo, aprofunda a sua espiritualidade, vai mais longe…dentro de si?

Há quanto tempo não aprende algo de novo, em áreas fora da sua zona de conforto por medo ou por preconceito?

Há quanto tempo não repensa a sua vida no sentido de incrementar “mais felicidade”?

(…)

Faça o que fizer, longe ou perto de casa, o importante mesmo é que as ditas férias “valham a pena.”

Regresse como Ser humano, mais realizado, mais completo em experiencias emocionais, cognitivas e espirituais.

Por fim, saiba que o passo seguinte é voltar para a sua atividade profissional e que esta não deve ser percecionada como “um castigo,” mas sim como mais uma oportunidade de através dela, se realizar profissionalmente partilhando aquilo que “É.”


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.