Home>Gerais>VIAGEM A PARIS – DIA 1
Gerais Lifestyle Mundo

VIAGEM A PARIS – DIA 1

Acabamos de aterrar no aeroporto de Paris.

A tarde inicia-se.

  1. Palais – Royal
Palais-Royal

O Palais Royal (traduzido do francês, “Palácio Real”) é um palácio e jardim localizado no 1º distrito de Paris, na França. Em frente à ala norte do Louvre, o seu famoso pátio (cour d’honneur) delimitado por colunas (desde 1986, contendo obras de arte de Daniel Buren) se localiza em frente à Place du Palais-Royal (“Praça do Palácio Real”), a qual foi bastante ampliada pelo Barão Haussmann, depois da abertura da Rue de Rivoli por Napoleão.

Curiosidade: Molière sobe ao palco do Pais- Royal, na noite de 17 de Fevereiro de 1673, e adoece subitamente durante a quarta representação de «O Doente Imaginário». Morre aos 51 anos, em sua casa, nessa mesma noite.

2. Les Halles

Les Halles

Les Halles de Paris foi o nome dado aoantigo  mercado  de alimentos frescos, localizado no coração de Paris, no 1º distrito que deu seu nome ao Quartier des Halles. No auge de sua atividade e falta de espaço, as barracas dos mercadores  estabeleceram-se mesmo em ruas adjacentes.

O Mercado Les Halles foi criado pelo rei Filipe Augusto no lugar do antigo bairro judeu de Les Champeaux. Reformado em 1858, em Paris, serviu como centro principal de abastecimento para a cidade de Paris nos séculos XIX e parte do século XX. Este mercado central foi demolido em 1971 e substituído por um moderno shopping  subterrâneo, o Forum des Halles, cuja área central ao ar livre está abaixo do nível da rua, como um jardim submerso, contendo esculturas, fontes e mosaicos. A estação RER Châtelet – Les Halles, localizada abaixo do complexo é a maior estação subterrânea do mundo e permite o acesso de toda a Região Parisiense.

Recentemente o Forum Les Halles passou por reformas, e seu jardim foi reinaugurado em 2016. Também foi reconstruído o mercado, e o local é envolto por uma canopée, uma estrutura de vidro e plantas.

Centre Pompidou

3. Centro Georges Pompidou

O Centro Georges Pompidou (Centre national d’art et de culture Georges-Pompidou)  foi nomeado a partir de Georges Pompidou, o Presidente da França de 1969 até 1974, que encomendou a construção. Nele encontram-se o Musée National d’Art Moderne, a Bibliothèque publique d’information (biblioteca pública de informação), o IRCAM, um centro para música e pesquisas acústicas, entre outros equipamentos culturais.

Também foi anexado ao centro,recentemente, o Atelier Brâncuși que abriga esculturas do artista romeno Constantin Brâncuși em um ambiente que recria as condições de trabalho e a luminosidade de seu estúdio de criação.

Foi desenhado pelo arquiteto italiano Renzo Piano e pelo arquiteto britânico (também nascido na Itália) Richard Rogers. O projeto foi considerado extremamente arrojado, sendo inserido em um momento de crise da arquitetura moderna, embora tenha sido bastante criticado. Alguns teóricos afirmam que o Centro (tanto pela sua arquitetura quanto pela sua proposta) é um dos marcos do início da pós-modernidade nas artes. Sua implantação configura a existência de um espaço público (a praça do Centro) para o qual as suas atividades internas se estendem.

Trata-se de um dos principais exemplos da arquitetura high-tech – uma tendência dos anos 1970 e que continua a ser observada até hoje, inspirada na arquitetura industrial e nas novas tecnologias. A arquitetura high tech utiliza os elementos tecnológicos como objetos estéticos. No Centro Pompidou, isto pode ser observado nas grandes tubulações aparentes (dutos de ar condicionado e outros serviços), nas escadas rolantes externas e no sistema estrutural em aço.

É um dos lugares mais visitados de Paris. Na biblioteca do centro há uma vasta coleção de livros, acesso gratuito à internet, jornais e revistas de todas as partes do mundo e televisões com canais internacionais.

4.  Tour St. Jacques

Tour St. Jacques

A torre Saint-Jacques, um campanário de estilo arquitetónico gótico flamejante, representa o único vestígio da igreja de Saint-Jacques-de-la-Boucherie, dedicada à Santiago Maior.

O santuário possuía uma relíquia de São Tiago e foi considerado um local de peregrinação. Como o Guia do Peregrino não menciona a cidade, a obra Chronique de Turpin afirma que a igreja foi fundada por Carlos Magno, que levou à sua inclusão no Património Mundial da UNESCO aos Caminhos de Santiago de Compostela em França em 1998, com outros 70 edifícios ou locais da França. Essa crónica que constitui um dos livros do Códice Calixtino foi considerada autêntica até o final do século XVIII. Mas a lenda da construção por Carlos Magno foi mantida. É o único vínculo da torre com Compostela, de acordo com estudos históricos realizados. Entretanto, um vínculo foi criado pela Espanha em 1965 como um presente à cidade de Paris com uma placa que tornou a torre um ponto de partida histórico para os peregrinos de Compostela.

A Torre do Sino foi construída entre 1509 e 1523 por Jean de Felin, Julien Ménart e Jean de Revier. Com 54 metros até a balaustrada. Em 1523, Rault, « escultor de imagens » recebeu 20 libras « por ter os três animais (três dos quatro símbolos dos evangelistas) e o São Tiago sobre a torre e campanário ». Esta estátua colossal tinha cerca de 10 metros. A igreja foi destruída em 1793, a torre não foi demolida porque Blaise Pascal havia renovado seus experimentos sobre a gravidade de Puy-de-Dôme.[1]

Em 1824, um industrial comprou a torre para instalar uma fundição de balas de chumbo, onde a transformou numa torre de artilharia.[2]. Em 1836, após dois incêndios, a torre foi comprada pela cidade de Paris. Em 1850, o Monitor relatou que instalaria em cima da torre, um farol que seria iluminado por luz elétrica para iluminar toda a vizinhança.[3] Em 1852, durante o trabalho realizado na perfuração da rue de Rivoli, foi decidido fazer a restauração do campanário de Nicolas Flamel. O trabalho colossal foi ordenado pelo arquiteto Victor Baltard e dirigido por Théodore Vacquer e o engenheiro Roussel. A torre foi totalmente restaurada por fundações, as partes inferiores foram inteiramente refeitas, com mais de vinte estátuas. Entre 1854-1858 a restauração foi confiada ao arquiteto Théodore Ballu.

5. Hôtel de Ville de Paris – Prefeitura de Paris

Câmara Municipal de Paris – que pode ser abreviado para o ” City Hall ” tem – abriga as instituições municipais de Paris desde 1357 , e está localizado, Place de l’Hotel de Ville no 4 º distrito Paris .

Este site é servido pelas estações de metrô ” Hôtel de Ville ” e ” Châtelet “.

A prefeitura pode ser visitada gratuitamente após inscrição prévia no Departamento de Relações Públicas da cidade de Paris. Os espaços propostos para a visita são: todas as salas de recepção (salões Arcades, salão Jean-Paul Laurens, salão Bertrand e salão Festival), a escadaria da Honra e a Sala do Conselho Paris .

6. Cathédral de Notre-Dame de Paris

A Catedral de Notre-Dame de Paris.(em francês: Cathédrale Notre-Dame de Paris) é uma das mais antigas catedrais francesas em estilo gótico. Iniciada sua construção no ano de 1163, é dedicada a Maria, Mãe de Jesus Cristo (daí o nome Notre-Dame – Nossa Senhora), situa-se na praça Paris, na pequena ilha Île de la Cité em Paris, França, rodeada pelas águas do Rio Sena.

A catedral surge intimamente ligada à ideia de gótico no seu esplendor, ao efeito claro das necessidades e aspirações da alta sociedade, a uma nova abordagem da catedral como edifício de contacto e ascensão espiritual.

A arquitetura gótica substituiu as paredes grossas das igrejas românicas por colunas altas e arcos capazes de sustentar o peso dos telhados. Como consequência, os edifícios góticos ganharam um aspecto mais leve, e as janelas, mais amplas e altas, foram decoradas com belos vitrais coloridos que filtravam a luz natural, e com isso, criavam um “clima” de misticismo em seu interior.

Hoje ficamos por aqui, amanhã regressamos a esta nossa viagem pela capital francesa.


One thought on “VIAGEM A PARIS – DIA 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.