Home>Saúde e Vida>NUTRIÇÃO A ALTAS TEMPERATURAS
Saúde e Vida

NUTRIÇÃO A ALTAS TEMPERATURAS

O verão tardou mas chegou! Com as temperaturas altas o nosso corpo ressente-se “aumentando o número e tempo de duração de cãibras, náuseas, vómitos, tonturas, alterações na respiração e no ritmo cardíaco. Em casos extremos podem ocorrer golpes de calor e esgotamentos pelo calor, situações que necessitam de cuidados médicos imediatos.”

alimentação saudável pode evitar muitas situações críticas no decorrer desta estação. É importante uma pessoa ter conhecimento de todas para saber o que fazer e como agir de modo a desfrutar do bom que é estar na praia ou na piscina.

A primeira medida que devemos tomar é andar sempre bem hidratado, beber mesmo que não se tenha sede, nunca esquecer que se deve beber pelo menos 1,5L de água por dia e andar sempre acompanhado de uma garrafa de água. Para variar, pode sempre optar por aromatizar a água (ex.: limão, laranja, canela, etc.) ou fazer infusões sem adição de açúcar. Pode sempre monitorizar o seu estado de hidratação pela cor e cheiro da sua urina, quanto mais intensa estiver, menos hidratada uma pessoa está, ou seja, a urina deve ser incolor e inodora.

As bebidas alcoólicas devem ser consumidas com muita moderação pelo seu teor elevado de calorias e por provocarem perda de água do nosso corpo.

 Optar por alimentos que sejam constituídos maioritariamente por água, como é o caso da sopa que podemos sempre optar pelas sopas frias nesta época ou frutos e hortícolas, cozinhados ou em cru.

Fazer refeições leves e de fácil digestão (ex.: sandes e saladas) em detrimento de refeições mais pesadas e condimentadas. Evite alimentos que contenham molhos (ex.: maionese) porque estes detioram-se mais facilmente a altas temperaturas provocando gastroenterites.

Acondicionar bem os alimentos perecíveis (ex.: ovos, marisco, queijo, fiambre, iogurtes, etc.) em geleiras com cuvetes de gelo ou placas frias para manter a temperatura.

 Ter em atenção aos grupos de risco que são as crianças e os idosos pois o mecanismo de sede não está tão ativo precisando sempre de uma pessoa que as relembre e se certifique que se estão a hidratar bem.

No caso dos bebés, deve ser aumentada a oferta da mama e a mãe deve aumentar a sua ingestão hídrica. Se estiverem com alimentação artificial, a oferta de água entre refeições deve ser aumentada.

       ***********************

Fonte: Nutrimento (2018) 10 RECOMENDAÇÕES PARA A ALIMENTAÇÃO EM DIAS MUITO QUENTES. Disponível em: https://nutrimento.pt/noticias/10-recomendacoes-alimentacao-dias-quentes/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.