Home>CULTURA+LITERATURA+FILOSOFIA>O APÊNDICE DA AUTOESTRADA
CULTURA+LITERATURA+FILOSOFIA

O APÊNDICE DA AUTOESTRADA

Era uma vez um ramal de acesso de uma autoestrada. Andava triste e solitário. Sem nunca perceber porque recusavam os carros passar por ele. Mal reparavam na sua existência e entravam pelas outras faixas, umas vezes lentamente, outras vezes a alta velocidade. A irresponsabilidade era de todos eles! Os que devagar entravam não percebiam que um ramal de acesso, tal como o nome indica, é mesmo para haver um local de acesso em condições de segurança e para que, nesse local, o veículo possa ganhar a velocidade certa para entrar na autoestrada.

Os que já vinham embalados nem sequer o cumprimentavam! Alguns deles, do ramal, passavam logo para a faixa do meio! E outros ainda para a faixa mais à esquerda possível! E o ramal ficava pensativo e triste. A sua função era completamente desvalorizada e até já tinha pensado no suicídio!

Era uma vez um ramal de acesso que ficou em depressão depois de lhe terem contado que, afinal, não passava de um resto de alcatrão que ali tinha sido deixado sem qualquer função!

– Mas quem te disse isso? – perguntou o Código da Estrada bastante irritado.

– Foi um tipo de carro que costuma circular sempre na faixa do meio. Disse que eu era uma espécie de apêndice e que deveria ser cortado…

– Não podes ligar a esses palermas! Tu tens uma função! Se eles não a percebem, não nem ficar assim, nem acreditar em tudo o que te dizem!

Era uma vez um ramal de acesso triste, solitário e, pelos vistos muito ingénuo. Os carros lá passavam por ele, insensíveis ao seu sofrimento. O ramal de acesso tinha um sonho: o de ser aceite e utilizado para a segurança de todos! Talvez um dia…

– Lá vai ele outra vez! Passa sempre aqui à mesma hora! Também não diz nada! É um parvalhão aquele tipo da faixa do meio!

– Se tu fosses um “apêndice”, esse tipo seria certamente um “dejeto” pela sua estupidez!

Era uma vez um Código da Estrada cada vez mais irritado e sem paciência…

2 thoughts on “O APÊNDICE DA AUTOESTRADA

  1. ORA isto nem sequer lembrava ao diabo de escrever sobre um ramal de acesso . CREIO ter visto aqui representacoes decoisas mais serias disfarcadas de “ramal de acesso ” muito boa a leitura – GOSTEI -abraco amaigo DÓRDIO JP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.