Home>Saúde e Vida>DOENÇA DE SEVER
Saúde e Vida

DOENÇA DE SEVER

É muito frequente os pais recorrerem a consultas de Podologia com os seus filhos referindo: …”o meu filho queixa-se muito de muitas dores no calcanhar…”

Após uma avaliação clínica ao pé, através da palpação de pontos dolorosos e avaliação articular das articulações que constituem o retropé, mediopé e antepé é possível saber através da goniometria quais os movimentos articulares normais e os que se apresentam desajustados para a idade. Por outro lado e estudo da pegada plantar em estática e em dinâmica indica qual o ponto de maior pressão, a força exercida e os desvios angulares dos pés.

Perante todos estes dados por vezes verificamos, a existência de uma talalgia ou dor no calcâneo e de uma inflamação da epífise de crescimento da tuberosidade posterior do calcâneo que é muito frequente em crianças e adolescentes com maior incidência entre os 5 e 12 anos de idade e é mais prevalente em meninos.

A diminuição da espessura do tecido adiposo de amortecimento do calcâneo e da camada córnea da epiderme está associada á presença de dor e desenvolvimento da doença, por vezes o início da prática de exercício físico numa criança obesa, a associação de esforços repetitivos, sedentarismo, encurtamento muscular tricipital, calçado desajustado ao pé e apoio plantar incorreto para a idade podem limitar o desempenho funcional.

O exame complementar de diagnóstico é uma radiografia ao pé e uma podobarometria.

Na radiografia pode-se observar a fragmentação do núcleo de crescimento, no entanto é de salientar que essa fragmentação pode estar presente sem sintomatologia dolorosa.

O exame podobarométrico permite registar as pressões exercidas pelos pés contra o solo durante a fase de apoio e permite visualizar esses registos e movimento em tempo real.

O tratamento é ortopodológico com aplicação de ortóteses plantares personalizadas cuja função é paliativa e corretiva. A  laserterapia local também é recomendada para analgesia.

Com o decorrer do tratamento ortopodológico a ossificação da epífise resolve-se espontaneamente e a dor desaparece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.