Home>Cidadania e Sociedade>EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO NA COSTA PORTUGUESA – SIM OU NÃO?
Cidadania e Sociedade

EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO NA COSTA PORTUGUESA – SIM OU NÃO?

Há poucos dias, num posto de S. Paulo, o preço de venda ao consumidor do litro da gasolina, ultrapassou os 5 reais, aproximadamente 1.20 euros, num país produtor como o Brasil que tem enormes recursos petrolíferos , ou melhor, já não tem. Ou ainda melhor: 75% dos poços de petróleo da região do pré-sal, foram vendidos pelo governo de Direita  do atual Presidente Michel Temer a várias multinacionais, a um preço simbólico: 34 cêntimos de real por cada barril de petróleo extraído.
O facto de um Presidente da República de um dos maiores países do mundo ter vendido 75% dos seus recursos petrolíferos a “preço de banana”, quando o povo paga para abastecer a viatura num qualquer posto de combustível, quase o mesmo que pagamos em Portugal pelo preço de gasolina ( sendo que o Brasil é um país produtor de petróleo e nós somos um país importador), deve levar-nos a refletir sobre o que o povo português efetivamente ganharia na sua vida de todos os dias, com a exploração de petróleo na costa portuguesa. Na minha opinião, ganharíamos pouco ou nada. O país poderia estrear-se na prospeção e extração de petróleo, mas caso fosse descoberto um “filão” que cobrisse os enormes custos de produção e extração, mesmo assim chegaria aquele momento em que um qualquer governo com uma lógica neoliberal do funcionamento da sociedade, como nos últimos dois anos está a suceder no Brasil, venderia o nosso petróleo a grandes multinacionais estrangeiras, a “preço de saldo”. Pensar que o preço de venda ao público do litro de gasolina poderia descer nos nossos postos de abastecimento, se fosse descoberto petróleo na costa portuguesa, é assim como, a avaliar pelo que sucede no Brasil, “acreditar no Pai Natal”.
Tenho para mim, que Portugal já é um país sustentável e não precisamos do petróleo para nada. É importante ter contas públicas equilibradas, investir como se tem feito em energias não poluentes ( preservar o Turismo e a qualidade da água nas nossas praias (a nossa galinha dos ovos de ouro), continuar a investir na capacidade exportadora das nossas empresas, apostando na Educação e Saúde e em serviços públicos de qualidade.

Post Scriptum

Admirável neoliberalismo novo (enquanto o povo brasileiro  estava entretido em campanha eleitoral, as “multinacionais do petróleo” fizeram a festa)

“Todos os quatro blocos ofertados pela ANP no leilão desta sexta-feira, 28 de Setembro foram arrematados em questão de minutos. A britânica Shell e a norte-americana Chevron levaram sozinhas o bloco de Saturno, na Bacia de Santos, o mais valioso, com reservas estimadas em 8,3 bilhões de barris de petróleo. A ExxonMobil (EUA), a BP (Reino Unido), a CNOOC (China), a QPI (Catar) e a Ecopetrol (Colômbia) dividiram os outros dois blocos da Bacia de Santos (Titã e Pau Brasil), enquanto a Petrobrás se contentou com o bloco de Tartaruga Verde, na Bacia de Campos, o menos disputado”
Fonte: “Site Brasil 247”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.