Home>Saúde e Vida>CRIANÇAS: PEQUENOS HERÓIS
Saúde e Vida

CRIANÇAS: PEQUENOS HERÓIS

Esta crónica é dedicada às Crianças que cuidei! As crianças são para mim uma fonte de alegria, de motivação, sonhos, sorrisos, ternura, crença e esperança! As crianças são, usando uma frase cliché, o nosso futuro!

Decidi escrever sobre as crianças com quem me relaciono no dia-a-dia no âmbito profissional como enfermeiro de pediatria, sendo na sua maioria crianças com doença crónica.

Contextualizando um pouco, a doença crónica é definida como uma doença que persiste no tempo num período superior a 3 meses, sendo incurável, alterando a qualidade de vida do doente, porém não é considerada uma emergência médica, pois não coloca a vida em risco num curto prazo. As doenças crónicas abrangem todos os contextos do ser humano aos níveis físico, psicológico, social, familiar, económico, espiritual acarretando grandes transformações na sua vida e na de todos aqueles que com ele se relacionam.

Existe atualmente um grande número de crianças com doença crónica prolongada que necessitam de internamentos hospitalares prolongados e posteriormente da continuidade de cuidados no seu domicílio. São crianças que apresentam alterações no seu desenvolvimento psicomotor e social comparativamente com as crianças saudáveis, porém é necessário reforçar que continuam a ser Crianças!

Como tal, estes pequenos seres além dos cuidados de saúde inerentes à sua condição continuam a necessitar de amor, ternura, educação, família para que crescem num ambiente favorável e propiciador de qualidade de vida.

No título deste artigo classifiquei as crianças como pequenos heróis e que estas palavras que escrevo se transformem na minha simples homenagem a todas aquelas que cuidei, cuido e todas as outras cuja vida foi assolada por uma doença crónica. É necessário realçar os grandes feitos da humanidade, agradecer as aprendizagens constantes, enaltecer os sentimentos partilhados e fortalecer os elos das relações humanas que estabelecemos e que vão muito além das ligações profissionais.

Todos os dias convivo com heróis, seres com poderes especiais e que desvalorizam todas aquelas convenções que guardamos da nossa infância quando assistíamos às séries infantis e sonhávamos alcançar grandes feitos. Estes lutadores não usam capas, nem fatos especiais, nem possuem quaisquer poderes fantásticos e não querem ser vangloriados, apesar de sem se aperceberam serem merecedores de grandes prémios nesta batalha que é a Vida.

As Crianças com o seu jeito especial de ser provam todos os dias que a Vida é um bem que deve ser preservado e motivo de agradecimento constante. É na partilha da dor, do sofrimento marcado por lágrimas e angústia, no reconhecimento das pequenas vitórias diárias que residem os verdadeiros poderes destes pequenos seres muito especiais.

Recordo com emoção algumas crianças com que me relacionei e permitam-me num modo intimista partilhar convosco, caros leitores, os simples pormenores que marcaram grandiosamente a minha Vida e contribuíram para o meu crescimento e desenvolvimento como Ser Humano.

Um dos superpoderes que vi num destes pequenos heróis, foi a capacidade de Sorrir no meio de momentos da dor física, da incapacidade de se movimentar, de interagir com quem o rodeava. Foi um sorriso que iluminou uma sala e criou uma onda de amor em todos aqueles que rodeavam aquele pequeno ser.

Foi mágico assistir à estabilização dos sinais vitais de uma criança ao ser envolvida num colo, ao aninhar-se num regaço protetor. Esta magia prolongou-se durante algum tempo em cada prova de que a doença não carateriza um ser, é apenas uma condicionante da sua vida.

Assisti ao desgaste das energias vitais e num impulso mágico ao revitalizar de todo um organismo que parecia querer desistir. Nestes momentos de tudo ou nada creio que foi a força do amor que fez com que tudo o resto fosse ínfimo perante esse poder universal contido numa pequena criança tão frágil e tão suprema.

Houve também heroísmo quando a Vida atingiu o seu fim, quando na despedida envolta em sofrimento criaram-se aprendizagens que jamais se apagarão ao longo de toda uma Vida. Este momento criou gratidão! Agradeceu-se a Vida do pequeno Ser e tudo aquilo que nos ensinou por mais curta que fosse a sua existência.

As crianças, podem não ser condecoradas, mas são os Heróis do nosso Tempo! Podem vir batalhas, adversidades sem fim, que lutarão com toda a força que os apela ao melhor que há nesta Vida: Sorrir e viver com e por Amor!

As crianças, pequenos heróis, são mestres de vida, elos unificadores e transformadores de relações humanas, são um exemplo para que cada um de nós reflita sobre a sua existência e agradeça a dádiva de viver.

Estas crianças são mestres de vida, ensinando-nos a ver a vida de uma forma completamente distinta, a perceber os obstáculos, os imprevistos como situações de aprendizagem e que podem ser ultrapassados, se acreditarmos. Ensinam-nos o poder do sorriso, pois cada sorriso destas crianças consegue irradiar uma energia contagiante que aumenta a nossa esperança.

As crianças são o espelho do nosso Ser. São a recordação constante de quem um dia fomos e são o incentivo para o voltarmos a Ser! As crianças clamam pelo reconhecimento do seu similar que existe no nosso interior!

Às crianças que conheci, que cuidei, a minha Gratidão por todas as lições de Vida que recebi e pela oportunidade de nos termos cruzado e criado um elo inquebrável nas nossas Vidas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.