Home>Lifestyle>E O ANIMAL SOU EU?
Lifestyle

E O ANIMAL SOU EU?

E o animal sou eu?
O ser humano destrói o planeta em que vive. Não respeita a natureza, não se respeita a si próprio. Não mede consequências dos seus actos, não pensa no futuro.
Mas é o ser humano que é o animal racional, que tem inteligência para resolver problemas, analisar, estudar, etc.
Mas o animal sou eu…
O ser humano consegue ser corrupto sem se sentir desvalorizado. Consegue encontrar desculpas para todas as suas irresponsabilidades. É até capaz de ignorar as necessidades básicas de sobrevivência dos da sua espécie em prol do seu bem estar.
O animal sou eu… e o egocêntrico és tu!
O animal sou eu… mas quem precisa mudar és tu!
De que te serve ser inteligente? Já viste bem o que conquistaste e destruíste até hoje?
Sim, o animal sou eu! Que sorte a minha! Não preciso ser ignorante por opção..
Ao escrever este texto quis realçar a imensa capacidade do ser humano em ser o pior animal do planeta graças à sua brutalidade, frieza e falta de responsabilidade perante os outros animais, o ambiente e todo o planeta.
Mas penso que já se tem dito tanta coisa… e mudado tão pouco…
Como alertar o ser humano para a necessidade de respeitar a biodiversidade e cada animal existente na terra?
Como conseguir o respeito pelos animais que não são racionais como nós mas sofrem na forma como são tratados?
Mostrando que necessitamos uns dos outros?
Apelando aos sentimentos?
Mostrando fotos fofas de animais?
Fazendo campanhas?
Berrando?

Honestamente não sei o que será melhor ou se teremos de fazer tudo, mas há uma forma que me agrada imenso.

Claro que não é desprovida de imensos cuidados e se deve ter sempre em conta muito factores…
Do que falo?
Da utilização de cães e gatos em creches e lares da terceira idade.
Que bom seria educarmos as nossas crianças a respeitar os nossos animais desde tenra idade. E não é só fazer festinhas. É perceber a responsabilidade de se ter um animal, é estar alerta às suas necessidades. É valorizar a companhia e um ser que dá sem exigir troca a não ser de carinho e respeito.
Que bom seria combater a solidão de idosos que passam dias e horas num quotidiano que lhes destrói a alma. Era enriquecer o resto das suas vidas com uma companhia que fortalece o desejo de estar vivo.
Polémico? Sim! Mas bem trabalhado dará excelentes resultados.
Parabéns a todos os que já trabalham neste sentido e força a todos os que de alguma forma se esforçam para promover a defesa dos animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.