Home>Cidadania e Sociedade>A INÉRCIA DO PENSAMENTO
Cidadania e Sociedade

A INÉRCIA DO PENSAMENTO

A nossa sociedade, fruto de uma saudável evolução, apresenta índices de facilidade em muitas matérias. Algo que em tempos se encontrava acessível apenas a determinadas classes, como o Clero, está hoje à distância de um click. Refiro-me à informação. Ao saber. Ao conhecimento. Ainda hoje tive um feliz encontrão com uma frase de uma profundidade singela e translúcida. “Os leitores de hoje serão os líderes do amanhã.” Não só a afirmação é extraordinariamente poderosa como real, mas ao mesmo tempo demonstrativa da democraticidade da evolução humana.

Esta democraticidade perspetivada, perpassa a imagem de que todos poderemos aceder à informação, mas, como em todos os sistemas onde impera o humano, padece de uma ação imperativa para que a mudança ocorra. Vontade. A inércia é a mãe de todos os vícios e a vontade é o grande catalisador de todas as conquistas. Antes uma penhorada vontade a uma falsa modéstia.

E é aqui que termina a democraticidade da evolução. E termina por vontade nossa, pessoal, individual. É mais fácil enveredar por outras rotas, por outros trilhos que nos sejam mais apetecíveis de flutuar enquanto nos deliciamos com o conforto do nosso sofá, da nossa TV, das nossas redes sociais, das nossas aplicações.

Para quê investir em pesquisa, para quê aprofundar conhecimento em pessoas e matérias quando nos podemos transmutar em juízes e carrascos imediatos com 3 linhas de um Meme ou de uma foto acompanhada de uma linha dura que até nos sabe bem ler? Porque havemos de sair do nosso conforto que até nos brinda com estas pérolas e nos informa?

Devemos, porque o espírito generoso que acompanhou a evolução da tecnologia, podia ter sido o grande móbil para a maior revolução de todos os tempos. A nova revolução cultural. Brindar o mundo com bases de dados assoberbadas de conhecimento, pesquisa, história do mundo, e não ser aproveitado por todos, mas apenas por uma ínfima parte, é o maior crime que podemos cometer para com esta (r)evolução.

Termos ao dispor todo um arsenal de argumento para criar opiniões válidas e congruentes e continuarmos à espera de mais uma fake new que nos invada as aplicações é vilipendiar e desprezar todos aqueles que através dos seus dons e empenho nos deram oportunidades a todos de sermos líderes.

Não apontemos mais dedos para a frente quando continuamos a não ser capazes de os apontarmos a nós próprios. Afinal, pelo menos na inércia, sejamos coerentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.