Home>Cidadania e Sociedade>PAULO GONÇALVES, O MÁRTIR
Cidadania e Sociedade

PAULO GONÇALVES, O MÁRTIR

Havia três possíveis desfechos para a Instrução do E-Toupeira: ou Ana Peres pronunciava todos os arguidos, ou não pronunciava nenhum deles ou pronunciava apenas alguns. O veredicto caiu para a terceira hipótese. Mas a juíza foi mais além e dissociou Paulo Gonçalves da SAD do Benfica. Afinal, o advogado terá cometido crimes de corrupção sem o Benfica ter nada a ver com isso.

O inquérito desenrolou-se, consolidou-se com provas. E não são provas quaisquer. Emails, prova documental, que faziam a ligação entre funcionários judiciais e o Benfica. Ou melhor, entre funcionários judiciais, Paulo Gonçalves e o Benfica. Porque, afinal, de acordo com a juíza Ana Peres, o único responsável ligado ao Benfica é mesmo Paulo Gonçalves.

A acusação já tinha começado coxa quando foi deduzida. A SAD do Benfica era arguida, foi acusada de 30 crimes, mas não tinha rosto. A pessoa coletiva estava, portanto, na mira da justiça, mas era um alvo sem rosto. Estranho, no mínimo, já que existiram os famosos “Ok, Ok, Ok…” de Luís Filipe Vieira aos emails que Paulo Gonçalves lhe enviava. Aliás, o presidente do clube e da SAD dos encarnados disse, há bem pouco tempo, continuar a confiar em Paulo Gonçalves. Então, em que ficamos?

Ficamos numa decisão instrutória que pronunciou Paulo Gonçalves, director da Benfica SAD e o braço direito de Luís Filipe Vieira, por corrupção activa e passiva e que deixou cair os 30 crimes pelos quais a SAD benfiquista estava acusada. Diz Ana Peres que não é possível imputar ao Benfica os actos de Paulo Gonçalves.

Confesso-me perplexa, e o problema pode ser meu, admito, mas não consigo perceber a razão de um funcionário, com a responsabilidade de Paulo Gonçalves, em subornar funcionários judiciais para obter informações sobre processos judiciais só porque lhe apeteceu, só por curiosidade… É o que em linguagem jurídica se chama o móbil do crime e do qual a juíza passou literalmente ao lado.

Para quê Paulo Gonçalves teria tal conduta e arriscaria tanto? Em favor de quem? O que o motivou a tal?

Por pior que fosse a Acusação e o trabalho do Ministério Público, as provas estão lá, os emails com os “Ok” de Luís Filipe Vieira estão lá. Talvez a grande falha do MP tenha sido não ter constituído o presidente da SAD arguido e não o tenha acusado. Talvez.

Aguardemos pelo recurso para o Tribunal da Relação. E se a não pronúncia da SAD se mantiver, veremos se Luís Filipe Vieira quererá realmente limpar o nome do Benfica das “toupeiras” e se será capaz de promover a constituição da SAD a que preside como Assistente no processo e pedir até uma indemnização a Paulo Gonçalves, já que este terá cometido crimes graves ao arrepio do “patrão”.

Paulo Gonçalves de mártir já não se livra. Só falta saber até que ponto.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.