Home>Lifestyle>ONDE ESTÁ O AMOR?
Lifestyle

ONDE ESTÁ O AMOR?

José Castro

À semelhança de outros países, surgem em Portugal vários programas televisivos para se encontrar namorado(a). Temos os “Casados à primeira vista”, “O carro do amor”, “First dates”, “Quem quer namorar com o agricultor?” (em breve), assim como aqueles, que embora estrangeiros, são legendados em português, como “Granjero Busca Esposa”, “Undressed”,  “Naked attraction”, etc. Uns, inicialmente  focando-se mais nos comportamentos/atitudes,  outros começando pela a atracão física, através da exposição parcial ou mesmo total do corpo! Estas “experiências sociais” permitem constatar a diversidade do ser do humano, naquilo que é, naquilo que busca para uma suposta felicidade. Curiosamente, pares homossexuais são visíveis apenas no “First dates”, não tendo o mesmo ocorrido (presumo), nem nos “Casados à primeira vista” nem no “Carro do amor”! Imposição do programa e possível descriminação ou ausência de candidatos?!

Não pondo em causa os possíveis resultados positivos (e alguns interessantes) das “experiências sociais,”  estas  por outro lado parecem demostrar:

A “preguiça” de construir e alargar a rede de amigos e amigas;

A “pressa” e/ou “desespero” em querer encontrar alguém;

A “ desculpa” facilitada caso o encontro não resulte nos objetivos esperados;

O protagonismo de aparecer nos meios de comunicação social;

A “inconsciência“ de simplesmente ir à “aventura” e ver no que dá;

A “ilusão” que só tendo um(a) parceiro(a) é que se vai ser feliz!

(…)

Como Coach aprecio fazer leitura da “Linguagem corporal” e das atitudes/comportamentos dos envolvidos e constato que por vezes os concorrentes evidenciam pensamentos limitantes, emoções confusas, “medos” e “traumas” do passado assim como uma ausência de consciência pessoal/ social. Provavelmente, estes fatores é que os levarão a recorrer a programas deste género!

Todos conhecemos a história daquela mulher que dificilmente arranjava namorado pois ninguém a queria conhecer. No entanto, desde que passou a namorar não lhe faltaram pretendentes! Isto poderá ser explicado não só pela sua melhor aparência física, mas fundamentalmente pela “energia” e “vibração” que passou a emanar dado o seu estado de felicidade!

Assim, o estado de “espírito,” o estar em paz consigo próprio, com o seu passado, o conhecer no presente o seus sonhos (objetivos) pessoais/profissionais, a determinação e o entusiasmo por Viver, serão elementos fundamentais que darão mais “segurança” a uma  possível relação. Tudo isso é percebido inconscientemente pelo outro o que o fará aproximar ou afastar-se.

Um ser humano não é um objeto descartável, pois conhecer alguém é entrar na “alma” do outro, é um processo irreversível, em que muitas das vezes não se tem consciência dos danos emocionais causados por uma mera rejeição, quanto mais numa rejeição com exposição pública! (quem sabe a adicionar a outras!).

Fazer Amigos(as) deveria ser uma competência natural do ser humano.  Podem obviamente até ser amigos virtuais (facebook, etc), fruto de comunicações assentes em critérios de sinceridade, honestidade e respeito, que facilmente poderão passar a amigos reais e quem sabe a algo mais! Mas mesmo os encontros decorrentes das redes sociais são decididos pelos envolvidos, dada a empatia e curiosidade envolvidas.

Nestes programas televisivos, os concorrentes vão ter que conhecer a pessoa “impingida” pelos especialistas ou selecioná-la de entre várias! Apesar dos muitos fatores convergentes nas escolhas das pessoas, por parte dos especialistas, não existe a equação matemática do “amor”! O ser humano é bem mais complexo e imprevisível!

Muitos dos seres humanos querem tudo para ontem, não se querem dar ao trabalho (se alguém o fizer por eles, melhor) nem de ir à luta na busca da pessoa amada! Afinal é essa busca, essa conquista mais ou menos simples que irá dar sabor e intensidade à relação.

Afinal caro leitor, ainda se lembra de todo o “trabalho”, entusiasmo e determinação que teve para cativar a sua “cara metade”?


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.