Home>Saúde e Vida>TUDO O QUE NÃO SABE SOBRE A SUA GORDURA
Saúde e Vida

TUDO O QUE NÃO SABE SOBRE A SUA GORDURA

Lara Guerreiro

Não é tudo, tudo, tudo, mas… são seis factos sobre a gordura do nosso corpo que, decerto, vão alimentar a sua curiosidade.

A gordura corporal, chamada de tecido adiposo, é o principal reservatório de energia do organismo, isola-nos do frio, protege-nos do impacto mecânico e é tão mais do que isso.  As curiosidades sobre esta substância multifacetada – a gordura corporal – são mais que muitas e ainda está longe de ser completamente compreendida.

Sabia que…

…nascemos mais gordos do que a maioria dos animais? Uma das características que nos distingue de outros mamíferos, mesmo dos primatas não-humanos, é a acumulação de uma quantidade significativa de gordura ainda no ambiente uterino o que, consequentemente, faz de nós recordistas à nascença, sendo uma das espécies mais gordas.

…o número de células de gordura nunca desce, mesmo quando emagrecemos? O número de células de gordura (adipócitos) do ser humano só muda numa direcção: para cima! Aumenta sobretudo no útero, na infância e na adolescência, estabilizando geralmente na idade adulta. O que acontece, perguntam vós,  aos adipócitos quando emagrecemos? Pois bem, mesmo aquelas pessoas que perderam 50Kg ficaram com o mesmo número de células de gordura; as células apenas “encolhem”, isto é, reduzem o seu tamanho.

Já agora, refira-se que o método conhecido como lipoaspiração reduz o número de células gordas, porém… os estudos demonstram que, na maioria dos casos, a recuperação do peso/gordura acontece no espaço de um ano (a não ser, claro, que mude a sua alimentação). Ainda assim, não se sabe o que acontece, ou seja, não se sabe se a recuperação sucede por aumento do número de células ou se por expansão das existentes.

…engordar na infância acontece de forma diferente do que engordar na idade adulta? No seguimento da explicação anterior, pensa-se que as crianças aumentam a massa gorda através da multiplicação dos adipócitos, enquanto os adultos o fazem por aumento do tamanho destas células. Isto significa que indivíduos com peso a mais na infância podem ter maior dificuldade em perder peso na idade adulta (pois terão mais células gordas…). Já as pessoas que foram magras na infância e aumentaram de peso na idade adulta terão, à partida, menos células de gordura e, por isso, maior facilidade em emagrecer e manter o peso.

…a gordura subcutânea não faz assim tão mal à saúde? Atenção, não é que deva ter braços e pernas volumosos, pois, quanto mais não seja, contribuem para a carga do seu corpo que, quando em excesso, prejudica a sua saúde noutros níveis (articulações, por exemplo), no entanto, observa-se que pessoas sujeitas a lipoaspiração apresentam “zero” melhorias no que .diz respeito à pressão arterial, à glicémia (diabetes), colesterol ou triglicéridos. Porquê? Porque a gordura que verdadeiramente prejudica a sua saúde é aquela que a lipoaspiração não alcança: a gordura visceral, localizada à volta dos órgãos; não seria seguro aplicar lipoaspiração à gordura em redor do oração, do fígado, dos rins… É por esta razão que uma pessoa dita magra, mas com “barriga”, pode ter um elevado risco de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares, superior até a uma pessoa obesa.

…a celulite não têm (só) a ver com excesso de gordura? A celulite é um dos “inimigos” da beleza feminina, pouco frequente nos homens, e que se pensa afectar cerca de 90% das mulheres. Trata-se de uma irregularidade da pele que deriva de desarranjos na anatomia do tecido subcutâneo, caracterizada por uma herniação da gordura em direcção à pele (a pele é pressionada para cima), formando ondulações características na pele. Estas irregularidades não dependem exclusivamente da gordura, até porque todos conhecemos pessoas com peso a mais, mas sem celulite, e pessoas magras, mas com celulite. A retenção de líquidos e a falta de massa muscular (derivada do sedentarismo e/ou de uma alimentação desequilibrada) são dois factores que contribuem para a celulite, tão ou mais do que a percentagem de gordura corporal.

…a gordura é considerada um órgão? Até pouco mais tempo acreditava-se que o tecido adiposo era um compartimento inerte do corpo, basicamente com a função de armazenar energia. Sabe-se actualmente que segrega inúmeras substâncias, condiciona o metabolismo e interage com o sistema nervoso, entre outras funções, conhecidas e por conhecer, pelo que é considerado um complexo órgão endócrino (observação: os órgãos endócrinos são glândulas que segregam hormonas e outras substâncias, como o pâncreas, a tiroide, as suprarrenais…) e, já agora, é o maior órgão endócrino do nosso corpo.

…temos dois tipos de gordura: uma branca e uma castanha? O tecido adiposo branco funciona como a primeira fonte de reserva de energia, acumulando triglicéridos dentro dos adipócitos. O tecido adiposo castanho tem menos quantidade de gordura, já que a “queima” para produzir calor e manter da temperatura corporal.  Ainda não se sabe como quantificá-las no nosso corpo, nem se sabe tudo o que fazem ao certo, mas observa-se que um maior número ou actividade da gordura castanha está associado a menor risco de excesso de peso, dislipidémia e, portanto, a pessoas mais magras. Mais conhecimento da função destes dois tipos de gordura será, sem dúvida, uma mais-valia para a saúde humana, sobretudo em matéria de metabolismo e combate à obesidade.

…o exercício localizado não diminui a gordura localizada? Infelizmente, fazer abdominais, por exemplo, não reduz a barriga… mas tonifica e define os músculos dessa zona, pelo que deve continuar a fazer. Para perder gordura, localizada ou geral, tem de ter um balanço energético negativo (ingerir menos calorias do que as que gasta), pelo que com treino não conseguirá  perder apenas “naquela” zona, mas estará a contribuir para a perda de gordura em todo o corpo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.