Home>Lifestyle>OS FEELINGS NA MINHA VIDA
Lifestyle

OS FEELINGS NA MINHA VIDA

Rita Teixeira

Novamente um feeling de um jogo de hóquei do meu filho.

Desta vez, vi a imagem total de uma pequena passagem do jogo.

Vi uma semelhante confusão à volta dele e apercebo-me que os jogadores da outra equipa estavam a preparar- se para baterem nele, no meu próprio filho!

Não disse nada a ninguém e, com os pés no coração, lá fui ver o seu jogo.

E vi a tal confusão. Depois percebi o que se desenrolava  ao seu redor.
Ele apercebeu-se de que o guarda redes da equipa adversária não estava bem e pegou na sua mão para o ajudar a levantar-se. Eis que surgem os outros jogadores com os stiques ao alto, prontos para lhe baterem. Mas, surgindo do nada, alguém tirou o meu filho do ringue e eu fiquei mais descansada.

Sofri nos dois feelings e padeci durante o jogo, sem nada poder fazer para ajudar o meu filho.

A seguir, vieram uns feelings que corroem a minha alma e vou divulgá-lo, na esperança de que não aconteçam.

Durante muito tempo, vi o meu filho na minha cadeira de rodas, porque viria a ficar paraplégico e a imagem é sempre a mesma. Ele na sala, a olhar para mim, como que a dizer que já não havia nada para fazer.

Esta imagem acompanha-me há meses e não consigo retira-la da minha mente.

Em Novembro, voltei a sentir aquele sentimento forte que, ao ver o Manuel na cadeira de rodas eu tenho um enfarte cardíaco e, ali mesmo, eu morro à sua frente!
No Natal, o meu marido disse que o meu filho já comprou um carro para si, voltei a sentir aquele mesmo aperto e coração caiu aos meus pés. Aquele Natal seria o meu último Natal!!!

Não transmiti qualquer emoção ou qualquer sensação do que ia na minha alma, mas não vivi as festividades próprias da época, porque a tristeza invadira o meu coração!

Hoje, resta me uma ténue esperança, de que ao dar a conhecer a tanta gente, tais acontecimentos não ocorram à minha família!

Já este ano, quando deram a notícia de que os avós da Valentina viriam para Portugal de vez, aquele aperto denunciou que eu iria passar por mais um afastamento da minha princesa e não é que aconteceu mesmo?

Dias e dias, sem vê la, causa uma dor profunda no coração de quem já vivia com ela quase todos os dias!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.