Home>Cidadania e Sociedade>«VOU PRESO, MAS ANTES DOU CABO DA TUA VIDA»
Cidadania e Sociedade

«VOU PRESO, MAS ANTES DOU CABO DA TUA VIDA»

Isabel Pinto da Costa

Quem nunca ouviu frases como …”Vou matar-me, mas antes mato-te, …”Vou preso, mas antes dou cabo da tua vida…”Serás minha para sempre ou então não serás de mais ninguém… “ Deste cabo da minha vida, mas nunca serás feliz com mais ninguém…” São ou não são frases familiares dos últimos tempos na comunicação social, na vossa rede de vizinhança, na história da vida de alguém que todos vocês conhecem?!

Não é uma realidade do século passado, é uma realidade atual e pelas notícias é uma realidade bem atual da nossa cidade.

Este tipo de homem possessivo e controlador, no começo de uma relação, pode ter uma postura normal, e com o passar do tempo, o relacionamento transforma-se numa obsessão e o interesse transforma-se num controle muito grande da pessoa que vive e partilha o relacionamento e se estende durante o namoro, o casamento e, mesmo que depois se concretize o divórcio, essa obsessão pode continuar no extremo, pode culminar com atos de homicídio e do próprio suicídio.

Este tipo de comportamento pode acontecer tanto nos homens como nas mulheres, mas hoje vou traçar o perfil do homem possessivo.

São homens inseguros, desconfiados, agressivos, doentios, zangam-se com muita facilidade, logo, pouco tolerantes, com baixa autoestima e muito manipuladores.

Apresentam uma personalidade obsessiva e, por isso, em relação à companheira, a obsessão de controlar a sua vida é levada ao extremo, controlam todo o seu dia – a – dia. Os seus horários, com quem fala, as amizades, o que vestem, os seus gestos. As mesmas deixam assim de ter vontade própria.

No extremo cheiram a roupa das mesmas quando elas chegam a casa, vêm o seu telemóvel, revistam as suas carteiras, colocam câmaras nos seus carros, fazem perguntas aos seus filhos sobre as suas rotinas, ligam para os seus trabalhos, fazem perguntas repetidas para ver se encontram contradições.

Manifestam assim ciúmes doentios e como apresentam insegurança em relação a si próprio, pensam que a companheira os vão abandonar e vão encontrar outra pessoa mais nova, mais bonita, com mais dinheiro e que eles serão trocados por essa pessoa, logo, vivem na dependência emocional desta pessoa.

Possuem sentimentos possessivos: “És minha, serás sempre minha”, “sou teu dono”, tratam a companheira como se fosse sua propriedade e nem que para isso tenham que baixar a autoestima desta e usar de maus tratos psicológicos e físicos. Aqui temos o perfil de um homem possessivo que, a meu ver, nunca o podemos dissociar de um agressor e um homem abusador que pratica o mau trato.

Por isso, para mim, um homem possessivo é um homem que priva a mulher de ser livre, logo isso é a maior expressão de mau trato psicológico.

Temos que ter em atenção os sinais do homem possessivo:

  1. Os gestos, os seus gestos são de grande agitação psicomotora, porque são muito ansiosos, são inseguros e ao mesmo tempo agressivos e controladores;
  2. O tom de voz, agressivo, duro, controlador;
  3. O olhar, intimidante, enraivecido.

Não quero deixar de fazer referência, neste meu artigo, à nossa escritora Agustina Bessa Luís que dizia uma verdade para muitas coisas, mas que aqui não se aplica. Ela dizia:

“O que resta é sempre o princípio feliz de alguma coisa…”, mas numa relação possessiva e num homem possessivo, o que resta ainda é pior do que o que existia antes, logo afaste-se desse tipo de caráter e relacionamento, não queira continuar com alguém que apresenta esse traço de personalidade, porque não vai ser livre, nem no pensamento nem nas suas ações mais básicas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.