Home>Lifestyle>«CÁ NO MARÃO MANDAM OS QUE CÁ ESTÃO» SERÁ EXIBIDO NA CASA DA GRANJA
Verónica Teixeira Pinto
Lifestyle

«CÁ NO MARÃO MANDAM OS QUE CÁ ESTÃO» SERÁ EXIBIDO NA CASA DA GRANJA

Dia 29 de junho, pelas 17h30, será exibido o Documentário ” CÁ NO MARÃO MANDAM OS QUE CÁ ESTÃO” das realizadoras Marta Nieto Romero e Gabriela Benedeti no Auditório da CASA DA GRANJA, em Amarante.

Depois da exibição do documentário, haverá um debate sobre os Baldios em Amarante.

Organizado pela Associação para a Criação do Museu Eduardo Teixeira Pinto em colaboração com o Baldio de Ansiães e a Universidade de Aveiro.

Entrada livre

O documentário “Cá no Marão mandam os que cá estão” é o resultado do projeto Marão Minha Serra, um projeto de investigação-ação focado na promoção e a compreensão das relações entre os seres humanos e a natureza. O projeto nasceu de uma parceria entre a Universidade de Aveiro e o Baldio de Ansiães e teve como objetivo restabelecer a ligação dos residentes locais ao seu baldio. Para tal, foram entrevistadas 21 pessoas que, depois de terem escolhido o seu lugar preferido no baldio, contaram histórias sobre o mesmo.
O vídeo constitui-se como um “mapa afetivo”, um mapa das ligações afetivas entre os residentes e o seu terreno comunitário. O documentário promove também uma visão transformadora e sustentável da natureza: a natureza encarada não como um recurso meramente económico, mas como território comum e coletivo, onde se (re)encontram as memórias, a cultura, os recursos, as identidades e os significados indispensáveis para viver.

Marta Nieto Romero é investigadora na Universidade de Aveiro. No Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território, trabalha no projeto SUSPLACE (https://
www.sustainableplaceshaping.net/). O projeto SUSPLACE é um projeto da rede Europeia Marie Curie, e centra-se na investigação-ação para a promoção de territórios sustentáveis. Na sua investigação para doutoramento, Marta tem percorrido o norte da Península Ibérica (Galiza e Portugal) para compreender os modos como os territórios comunitários (baldios em Portugal e Montes Vizinhais na Galiza) podem ser plataformas onde transformar as visões das comunidades relativamente à natureza. A sua investigação pretende especialmente promover visões não monetárias da natureza, que possam desafiar o modelo não sustentável de plantações (na sua maioria eucaliptais). A expansão deste modelo é apontada como uma das principais causas da destruição da biodiversidade e das culturas locais, assim como do aumento da frequência e severidade dos incêndios florestais.

Gabriela Benedeti é fotógrafa e profissional audiovisual. Mestre em Comunicação e Multimídia pela Universidade de Aveiro atualmente trabalha como free-lancer representada pela marca Vidra. Na área da fotografia, trabalha maioritariamente através de autorretratos desde 2015 e tem feito outros trabalhos fotográficos profissionais. Na área do vídeo, interessa-se pelas longas-metragens documentais. Em particular retratando a experiência humana vivida nas suas inúmeras formas. Como parte do seu percurso neste sentido, dirigiu e realizou o documentário “Inter Gera Ação”, um documentário metalinguagem, que retrata o processo de colaboração entre jovens e população idosa mediado por tecnologia e por um guião. O seu segundo documentário nasce da colaboração com a Marta Romero num projeto que mistura e exponencia a experiência humana bem como a sustentabilidade territorial, ambos os temas do seu interesse. O seu portefólio encontra-se acessível: https:// gabrielabenedeti.myportfolio.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.