Home>Saúde e Vida>NÃO DESTRUAM O SISTEMA NACIONAL DE SAÚDE
Saúde e Vida

NÃO DESTRUAM O SISTEMA NACIONAL DE SAÚDE

Se é Português e acredita na Solidariedade Social, na Igualdade, Liberdade e Fraternidade defenda o Serviço Nacional de Saúde.

“A Constituição da República Portuguesa garante o direito à proteção da saúde

Artigo 64º da Constituição da República Portuguesa – Saúde

Todos tem direito à proteção da saúde e o dever de a defender e promover.

O direito à proteção da saúde é realizado:

  1. a)Através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencionalmente gratuito;
  2. b)Pela criação de condições económicas, sociais, culturais e ambientais que garantam designadamente, a proteção da infância, da juventude e da velhice, e pela melhorai sistemática das condições de vida e de trabalho, bem como pela promoção da cultura física e desportiva, escolar e popular, e ainda pelo desenvolvimento da educação sanitária do povo e de práticas de vida saudável.
  3. Para assegurar o direito à proteção da saúde, incumbe prioritariamente ao Estado:
  4. a) Garantir o acesso a todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica, aos cuidados da medicina preventiva, curativa e de reabilitação;
  5. b) Garantir uma racional e eficiente cobertura de todo o pais em recursos humanos e unidades de saúde;
  6. c) Orientar a sua ação para a socialização dos custos dos cuidados médicos e medicamentosos;
  7. d) Disciplinar e fiscalizar as formas empresariais e privadas da medicina, articulando-as com o serviço nacional de saúde, por forma a assegurar, nas instituições de saúde públicas e privadas, adequados padrões de eficiência e de qualidade;
  8. e) Disciplinar e controlar a produção, a distribuição, a comercialização e o uso dos produtos químicos, biológicos e farmacêuticos e outros meios de tratamento e diagnóstico;
  9. f) Estabelecer políticas de prevenção e tratamento da toxicodependência;

4- O Serviço Nacional de Saúde tem gestão descentralizada e participada.”

Todos sabemos que a saúde não tem preço porque a vida tem de ser preservada.

Cuidar é prevenir, assistir, tratar, reabilitar e integrar socialmente o doente.

Portugal tem o melhor sistema de saúde a nível mundial.

Por melhor que sejam as intenções nas substituições de um Serviço Nacional de Saúde de excelência, não existe nenhum modelo melhor que o SNS.

Este modelo levou anos a construir e os resultados obtidos demonstraram a eficácia do bem essencial que se criou e que colocou Portugal nos primeiros lugares de prestação de cuidados de saúde diferenciados, invejado por muitos países que o desejariam ter mas que não o conseguiram porque múltiplos motivos, nos quais se incluem os excelentes profissionais que temos, a humanização e a dedicação que possuímos.

Não tenhamos ilusões, muito menos a veleidade de tentar encontrar soluções para substituir um sistema nacional de saúde de excelência.

Em vez de confundir a cabeça dos portugueses dizendo que o Sistema Nacional de Saúde não tem sustentabilidade pensemos antes em recomendações viáveis para manter a assistência na doença e a prevenção na saúde com a dignidade que os cidadãos portugueses necessitam e merecem.

Só quem nunca precisou do Sistema Nacional de Saúde é que pode pensar que este sistema de saúde deve acabar ou ser substituído por outro que nunca terá a liberdade, a privacidade e a capacidade da resposta do SNS.

O SNS nasceu há 40 anos, foi uma das grandes vitórias da liberdade do 25 de Abril. Representa uma política de saúde impar e insubstituível.

É a única forma em que a defesa do Estado social e dos serviços públicos está garantida, no combate à pobreza, nas desigualdades sociais e constitui um dos principais objetivos na defesa da cidadania.

Defender o Serviço Nacional de Saúde é promover a saúde através de um sistema  que permite reduzir as desigualdades sociais entre os cidadãos no acesso a saúde.

Reforçar o poder do cidadão na defesa do SNS é promover a disponibilidade, acessibilidade, comodidade, celeridade e humanização dos serviços.

A expansão e melhoria da capacidade da rede de cuidados de saúde primários implica melhorar a gestão dos hospitais, a circulação da informação clínica e a articulação com outros níveis de cuidados e outros agentes do setor.

Nenhum sistema tem a expansão muito menos a integração da Rede de Cuidados Continuados e de outros serviços de apoio às pessoas em situação de dependência.

Aperfeiçoar a gestão dos recursos humanos e a motivação dos profissionais de saúde é um dever de cidadania que honra a Pátria.

Melhorar a governação do SNS é uma obrigação e uma responsabilidade do Ministério da Saúde

Melhorar a qualidade dos cuidados de saúde é investir no Serviço Nacional de Saúde.

Já somos um Pais Europeu que se caracteriza por uma enorme desigualdade social em quase todos os sectores.

Estamos cada vez mais distantes dos níveis sociais da Europa, não acabemos com o pouco que ainda resta de bom em Portugal.

Não queiram destruir mais o nosso País.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.