Home>Saúde e Vida>PROMOVER QUALIDADE DE VIDA AO IDOSO
Saúde e Vida

PROMOVER QUALIDADE DE VIDA AO IDOSO

Isabel Pinto da Costa

Existem alguns pressupostos acerca das pessoas idosas e da sua saúde que afetam a forma como é encarada a promoção da saúde.

O aumento da idade é sempre acompanhado por um aumento da fragilidade e incapacidade, porque a idade é quase sempre acompanhada por doenças. A promoção da saúde do idoso não deve assentar em falsos conceitos, mas sim contemplar as verdadeiras necessidades da população idosa, tendo como base a prevenção dos problemas de saúde sem valorizar o preconceito da idade.

Contrariamente às crenças instituídas, a maioria dos idosos quer permanecer bem, é capaz de fazer mudanças no seu estilo de vida, é capaz de manter estilos de vida mais saudáveis.

A promoção da saúde tem muito a oferecer aos idosos, pois adota uma abordagem mais positiva face à saúde, porque se atua ao nível da prevenção, podendo ajudar a atrasar o desencadear da doença e da incapacidade e melhorar a qualidade de vida.

O conceito de promoção de saúde, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS, 1986), é definido como: “o processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria da qualidade de vida e saúde, incluindo uma maior participação no controlo deste processo.”

Segundo a OMS, saúde define-se como “Estado de bem-estar físico, mental e social, total, e não apenas ausência de doença” (WHO, 1948).

Esta definição de saúde marca uma rutura com o modelo médico tradicional, no sentido em que afirma que:

  1. A saúde não é, apenas, ausência de doença;
  2. A saúde manifesta-se ao nível do bem-estar e da funcionalidade;
  3. A saúde manifesta-se nos níveis mental, social e físico;
  4. Os aspetos físico, mental e social são interdependentes;
  5. A saúde define-se por uma configuração de bem-estar resultante de uma autoavaliação, da expressão de uma opinião pessoal acerca de si próprio.

    O bem-estar perfeito para todos é difícil de alcançar, mas pode-se combater a doença ou a invalidez e promover em cada pessoa um estado saudável que, tendo em conta a sua idade, lhe permita dedicar-se a um nível normal de atividades físicas, mentais e sociais.

    Comportamentos dos idosos que vivem um envelhecimento normal e se sentem com saúde:

    No plano físico

  • Praticar atividades múltiplas e variadas;
  • Trabalhar e ter um papel social;
  • Conservar a mobilidade física;
  •  Manter ou modificar a atividade física;

           No plano psicológico

  • Querer aprender e evoluir;
  • Apelar à criatividade e invenção;

    No plano social

  • Criar novas e significativas relações;
  • Empenhar-se numa causa e alargar o campo de experiências sociais;
  • Evitar o isolamento e ter um ou dois bons amigos;
  • Poder conservar a capacidade sexual ou emocional;
  • Adaptar-se à evolução social;
  • Conservar as crenças religiosas;
  • A higiene dos idosos é de extrema importância, tanto para aumentar a autoestima como para a sua saúde, principalmente na prevenção de doenças de pele.
  • A influência do exercício físico no processo de envelhecimento afeta sem dúvida a qualidade de vida, e a investigação evidencia a importância crescente do exercício na manutenção e melhoria dessa mesma qualidade de vida, à medida que se envelhece.
  • Devemos praticar qualquer forma de exercício físico durante pelo menos 20 minutos, 3 vezes por semana, de forma a melhorar a forma física. Por exemplo: natação, hidroginástica, caminhar, ioga,… o que reduz também o stress, insónia e o risco de doença.

    Pretendia assim com este meu artigo romper um pouco com os falsos conceitos sobre a promoção da saúde nos idosos e sobre como é possível eles ainda apresentarem qualidade de vida apesar da idade avançada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.