Home>Cultura, Literatura e Filosofia>VIVER EM LIBERDADE CONDICIONAL
Cultura, Literatura e Filosofia

VIVER EM LIBERDADE CONDICIONAL

Isabel Pinto da Costa

O meu artigo desta semana é, nada mais, nada menos, que uma metáfora à vida, ou seja, quem não vive em liberdade condicional, nos dias de hoje, é uma pessoa como diz o ditado popular “um felizardo”!… Passo a explicar:

Vivemos em liberdade condicional em relação a muitas coisas na nossa vida, senão vejamos: cada vez menos os estudantes quando terminam o curso vão trabalhar na área que se formam, ficam condicionados a um emprego que pague as suas contas e não que os realize profissionalmente, logo isso é viver ou não em liberdade condicional?!

Outro exemplo é o tempo que passamos com os filhos, temos que trabalhar muitas horas, deixamos os nossos filhos nas salas de estudo, em atividades desportivas, etc, para preencher o dia aos mesmos e vamos buscá-los mais tarde, já passamos menos tempo com eles, vivemos ou não em liberdade condicional?

Os nossos pais envelhecem, temos que tomar uma decisão sobre como cuidar dos mesmos, somos pressionados pelas nossas condições de vida em tomarmos uma decisão, mais uma vez estamos condicionados, porque não temos tempo para cuidar deles, vivemos ou não em liberdade condicional?

E aqueles que vivem em liberdade condicional pela exigência da sua imagem, uma constante apreciação, um julgamento constante da sua imagem, por exemplo, os modelos, porque têm que ser extremamente magros, extremamente bonitos, vivem ou não vivem em liberdade condicional?

Ou ainda aqueles que no passado foram dependentes de alguma droga ilícita, que vivem sobre o olhar ou o julgamento dos outros, pois os outros receiam que estes possam novamente voltar a consumir, estes vivem ou não em liberdade condicional?

O empregador, que é constantemente humilhado pelo seu chefe, com frases como “quando é que apresentas um melhor trabalho?”, “vais viver sempre na sombra dos teus colegas?”, e o trabalho, foi feito quase todo por ele, mas ele não teve coragem de o assumir devido às suas inseguranças, é ou não viver em liberdade condicional?

Aqueles que para serem aceites pelos outros humilham-se e assumem papéis menores só para não serem rejeitados, é ou não é viver em liberdade condicional?

O homem ou a mulher que vivem dentro de um casamento que já terminou por falta de amor, vive-se ou não em liberdade condicional?

Por isso reflita sobre a sua vida, não se preocupe em ser julgado, atue perante a sua vida, porque se não conseguir sair em liberdade condicional, um dia, essa sua vida vai passar a prisão perpétua e nunca mais será como iniciei este meu artigo “um felizardo”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.