Home>Cidadania e Sociedade>CRESCIMENTO ECONÓMICO E DESENVOLVIMENTO
Cidadania e Sociedade

CRESCIMENTO ECONÓMICO E DESENVOLVIMENTO

Rui Canossa

Crescimento económico e desenvolvimento são conceitos que estão intimamente relacionados, contudo, não são sinónimos.

O crescimento económico refere-se a um aumento da produção durante um ano e mede-se pelo PIB, Produto Interno Bruto e pela sua taxa de variação para podermos quantificar a quantidade de bens e serviços produzidos num determinado país. O crescimento diz assim respeito a um aspeto quantitativo da atividade económica.

O desenvolvimento é um conceito mais abrangente do que o crescimento económico pois está associado a uma melhoria qualitativa. O desenvolvimento é um processo de mudanças evolutivas em várias dimensões do Homem, quer económica, quer socioculturais, que conduzam a uma melhor qualidade de vida das populações. Assim, o desenvolvimento está associado a melhores padrões de vida e a maiores e melhores oportunidades para todos os seus cidadãos.

Embora o crescimento e o desenvolvimento estejam relacionados, pode ocorrer crescimento económico sem que se verifique qualquer desenvolvimento. Isto acontece quando o aumento quantitativo do Produto não der origem a mudanças qualitativas no modo de vida das pessoas e das instituições. É, no entanto, de realçar que para haver desenvolvimento tem de haver algum crescimento, pois é necessário que a economia disponha de mais bens e serviços ou de mais emprego para poder distribuir, de forma a melhorar o nível de vida de toda a população.

Para haver desenvolvimento tem de haver mudanças económicas, mais rendimento distribuído pelas famílias, para que dessa forma possam beneficiar do acréscimo de rendimento que o crescimento económico proporciona na aquisição de bens e serviços, mas sobretudo haver um conjunto de evoluções na dimensão sociocultural do desenvolvimento. Falo de melhor saúde, educação, justiça, liberdade, igualdade, respeito pelos direitos humanos e defesa do ambiente.

Durante décadas crescimento e desenvolvimento foram confundidos, ao ponto, de o PIB per capita, indicador económico, ser usado como o grande indicador de desenvolvimento, o que nos levava a concluir que, na década de 80, a Arábia Saudita e o Koweit serem os países mais desenvolvidos do mundo. Tal veio a mudar na década de 90, muito por causa do trabalho do prémio Nobel da Economia de 1998, Amartya Sen, que se preocupou com a questão da liberdade e do desenvolvimento tendo sido um dos pais do famoso IDH, Índice de Desenvolvimento Humano, um indicador composto por vários indicadores simples e cujo objetivo é medir e hierarquizar os países em termos de desenvolvimento humano. Mas, até o próprio IDH tem limitações, tendo sido criados outros indicadores compostos de desenvolvimento procurando medir outras dimensões do desenvolvimento humano, como o IDHAD – índice de desenvolvimento humano ajustado à desigualdade; o IDG – índice de desigualdade de género, o IDHG – Índice de desenvolvimento humano por género e o IPM – índice de pobreza multidimensional.

Como podem ver a questão do desenvolvimento e do crescimento é uma área ela própria em desenvolvimento permanente. É uma questão que deve preocupar a todos como cidadãos do mundo, não só aos economistas, mas, sobretudo aos políticos que, na posse desta informação sobre o desenvolvimento dos seus países possam implementar medidas de política que levem aquilo que o próprio Amartya Sen dizia, alargar o leque de oportunidades dos indivíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.