Home>Lifestyle>OBRIGADO SEM SER OBRIGADO
Lifestyle

OBRIGADO SEM SER OBRIGADO

José Castro

Antes de mais, obrigado a todos aqueles que nos acompanham e para os quais desejo um 2020 cheio de concretizações!

Para a semana comemora-se o “Dia Internacional do Obrigado”. A palavra “obrigado” parece ter origem indo-europeia, mas esse obrigado está ligado ao sentido de “obrigação de algo” e não ao de agradecimento. Alegadamente, só a partir do séc. XIX seria utilizada neste sentido.

Dizer obrigado deve ir para lá da “obrigação” de dizer obrigado, por mero “ritual,” de uma alegada “boa” educação. Esse obrigado tem de vir de um sentimento profundo de gratidão, de forma autêntica, espontânea, como reconhecimento de uma situação agradável proporcionada por alguém. Mais do que a palavra e sua entoação, a linguagem corporal inconsciente associada, ditará da honestidade ou não da mesma!

A quem dizer Obrigado?

Quanto a esta questão, há que reconhecer que o ser humano isoladamente não sobreviveria. Desde o início da nossa existência devemos estar gratos, aos nossos progenitores e a todos os que nos permitiram Viver. Será que já disse o seu “Obrigado” aos seus pais? A partir daí, cada vez mais pessoas foram necessárias para a nossa evolução pessoal e profissional. Quantas vezes mencionou o seu agradecimento, o seu “Obrigado,” às pessoas que diretamente o influenciaram e influenciam positivamente, quer na família, amigos (reais/virtuais), professores, colegas de trabalho, etc, que contribuíram para novas reflexões e conhecimentos?

Mas existem uns tantos outros desconhecidos, que sem eles não poderíamos viver! Afinal, está a ler este texto no seu pc ou no telemóvel provavelmente sentado, na sua habitação, num momento de descontração. Quantas pessoas estão envolvidas no fabrico do seu computador ou telemóvel? Quantas foram necessárias para a construção da sua habitação? Quantas participam na produção da sua alimentação, do seu vestuário, transporte, etc? Quanta da sua gratidão vai para as pessoas que lhe proporcionaram indiretamente a vida que tem? A todas elas, já mentalmente lhes disse o seu “Obrigado”?

Finalmente, não esquecer a participação de todos aqueles que já partiram (e não deixam de existir) e são merecedores da sua gratidão.

Estar grato, a cada momento, é pois uma das condições essenciais para estar em Paz. E estar em Paz é condição única para fomentar a Paz. Agradeça e siga em frente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.