Home>Saúde e Vida>FACTOS E CURIOSIDADES SOBRE A PELE – PARTE II
Saúde e Vida

FACTOS E CURIOSIDADES SOBRE A PELE – PARTE II

Paulo Morais

Parte I

51. Quanto mais velha a pessoa, menos ela sua. Os homens podem suar até duas vezes mais do que as mulheres.
52. Pelo suor podemos detetar doenças. O “teste do suor” permite detetar uma doença genética chamada fibrose cística.
53. Os arrepios são uma forma do nosso corpo reduzir a sensação de frio e ajudar a reter uma camada de ar quente sobre o corpo. Quando os pelos ficam eriçados, por ação do músculo eretor do pelo, forma-se uma espécie de colchão de ar quente, que nos protege contra as baixas temperaturas. Na verdade, o mecanismo não faz tanto sentido hoje em dia como fazia nos nossos ancestrais (a elevação da temperatura com o arrepiar dos pelos é insignificante), que tinham pelos em abundância.

DOENÇAS DA PELE

54. Às vezes, alterações na pele, cabelo e unhas podem sinalizar mudanças na sua saúde como um todo e serem a manifestação de doenças internas.
55. Existem cerca de 3 mil doenças (dermatoses) que acometem a pele, os anexos cutâneos e as mucosas da boca e região anogenital.
56. O dermatologista é também especialista em Venereologia, tornando-o habilitado no diagnóstico e tratamento de doenças sexualmente transmissíveis (doenças venéreas).
57. A acne é, provavelmente, a doença da pele mais comum. Afeta 80 a 90% dos adolescentes, mas pode ocorrer em qualquer idade, incluindo no recém-nascido e no adulto.
58. O cancro da pele é a forma de cancro mais comum na espécie humana. Estima-se que 90% dos cancros da pele sejam decorrentes da exposição excessiva à radiação ultravioleta da luz solar.
59. Pilotos e comissários de voo são duas vezes mais propensos a desenvolver cancro de pele devido à maior exposição aos raios UV a que são submetidos.
60. As tatuagens podem dificultar a identificação de cancro na pele, pois as lesões malignas podem ter o mesmo pigmento que estas.
61. Quem sofre de dermatografismo (uma forma de urticária física) consegue escrever e fazer desenhos sobre a pele, que podem durar vários minutos.
62. A urticária aquagénica é um problema pouco comum em que surgem erupções graves com vermelhidão e comichão intensa com a exposição à água (qualquer tipo, desde água do chuveiro até às próprias lágrimas). A qualidade de vida das pessoas pode ser seriamente afetada. Por exemplo, em 2009, uma doente britânica de 21 anos referia só poder beber Coca-Cola diet e tomar banhos de dez segundos uma vez por semana, devido à doença.
63. A pele danificada pode tentar curar-se através da formação de tecido cicatricial, diferente do tecido normal da pele, porque não possui glândulas sudoríparas e pelos.
64. A pele pode tornar-se espessa e mais rugosa – um calo – se for exposta a fricção ou pressão repetidas.
65. As pernas são a parte mais seca do corpo, aspeto mais evidente no inverno. Vários fatores contribuem para isso: o facto de termos menos glândulas sebáceas nas pernas do que em qualquer outra área do corpo, o envelhecimento, a baixa umidade ambiental e a tendência para a passarmos mais tempo próximo de fontes de calor no inverno.
66. Na hipertricose lanuginosa congénita (também conhecida como a síndrome do lobisomem) verifica-se um crescimento excessivo de pelos no corpo, exceto nas palmas das mãos e nos pés. Os pelos são relativamente finos e felpudos podendo alcançar os 25 cm de comprimento. Ao longo da história, a maioria das pessoas com esta anomalia tornou-se famosa, em muitos casos trabalhando em circos do tipo show de aberrações.
67. “Crianças borboleta” é a designação dada a indivíduos que sofrem de epidermólise bolhosa hereditária, uma doença genética (genodermatose) rara, caracterizada pelo aparecimento de bolhas e erosões na pele e nas membranas mucosas, que ocorrem espontaneamente ou ao mínimo contacto ou fricção.
68. Pessoas que sofrem de displasia ectodérmica anidrótica têm poucas ou nenhuma glândula sudorípara. Por não conseguirem refrescar-se adequadamente correm o risco de sobreaquecimento.
69. Na síndrome da “garra de lagosta” (síndrome ectrodactilia, displasia ectodérmica e fenda lábio-palatina, ou EEC) uma das caraterísticas é a ausência de um ou mais dedos das mãos/pés (ectrodactilia), conferindo um aspeto em garra de lagosta.
70. Os “homens-árvore” sofrem de uma doença genética rara chamada epidermodisplasia verruciforme (doença de Lewandowsky-Lutz). A patologia carateriza-se pelo aparecimento de inúmeras verrugas disformes, de grandes dimensões, que fazem as mãos e pés parecerem-se com troncos e raízes de árvores. Além disso, estes doentes apresentam alto risco de desenvolver cancro de pele não-melanoma.
71. Os doentes que sofrem de xeroderma pigmentoso (doença genética causada por mutações em genes envolvidos na reparação do DNA) têm um risco superior a 10000 vezes de ter cancro de pele não-melanoma e um risco de 2000 vezes de melanoma antes dos 20 anos de idade. Os primeiros sinais são sardas antes dos 2 anos, pele seca e lesões hipo ou hiperpigmentadas, queimaduras solares graves e alterações oculares.
72. Uma criança nascida com progeria geralmente não chega aos 13 anos de idade. Desde muito cedo o corpo acelera o processo normal de envelhecimento, surgindo calvície, doença cardíaca, osteoporose e artrite.
73. A elefantíase é a doença causada por nemátodes que se alojam e obstroem os vasos linfáticos, causando linfedema e um aspeto de perna de elefante, no doente com doença avançada.
74. Na argiria, uma doença causada pela ingestão de prata, o sintoma mais marcante é a coloração azul ou cinza azulada da pele: um aspeto de Smurf da vida real!
75. Na protoporfiria eritropoiética, o tipo mais comum de porfiria que ocorre na infância, a pele torna-se muito sensível à luz, podendo formar bolhas dolorosas e cicatrizes desfigurantes, e os doentes podem apresentar anemia crónica, o que os faz sentir muito cansados e parecem muito pálidos. Ficar dentro de casa durante o dia e receber transfusões de sangue pode ajudar a aliviar alguns dos sintomas da doença. Nos tempos antigos, beber sangue animal e aparecer apenas à noite pode ter conseguido um efeito semelhante. Parece ser este o motivo para esta doença ser conhecida como a “doença do vampiro”.
76. Um corte, um arranhão ou uma mordida de inseto são suficientes para que uma bactéria “devoradora de carne humana” coloque a sua vida em risco. A doença em causa é a fasceíte necrotizante, uma infeção bacteriana relativamente rara, mas muito agressiva. Apesar das bactérias não comerem de facto a carne, libertam toxinas nocivas para os tecidos, fazendo com que “apodreçam”.
77. A doença chamada larva migrans cutânea, ou bicho geográfico, é causada pelo Ancylostoma braziliense ou pelo A. caninum, vermes frequentemente encontrados em cães e gatos. Quando conseguem penetrar a pele através de feridas ou cortes podem “vaguear” 1 a 2 cm por dia pelas camadas mais superficiais da pele, causando comichão, sensação de movimento por baixo da pele e linhas avermelhadas semelhantes a um caminho tortuoso ou mapas. Para prevenir a doença, deve-se evitar andar descalço em locais que tenham cães e gatos, desparasitar os animais e recolher as suas fezes para que elas não contaminem o solo.
78. A sífilis é uma infeção sexualmente transmissível causada pela bactéria Treponema pallidum. É geralmente descrita como a “grande mimetizadora”, pois pode apresentar diversos quadros clínicos e mimetizar outras doenças. A sarcoidose e a micose fungóide juntam-se à lista das doenças mimetizadoras cutâneas (podem ter aspecto de qualquer coisa).

OUTRAS CURIOSIDADES

79. Antigamente, era comum utilizar-se a pele de criminosos executados ou pobres mortos para encapar livros. Na Biblioteca Pública de Cleveland, na Faculdade de Direito de Harvard e na Universidade Brown podemos encontrar alguns exemplos desta prática. Um desses volumes é o trabalho pioneiro de anatomia de Andreas Vesalius no século XVI, De Humani Corporis Fabrica.
80. Os egípcios antigos colocavam sal, carne fresca, pão com bolor e cebola nas feridas para impedir que as infeções penetrassem profundamente. As feridas na pele seriam seladas com uma combinação de óleos, gorduras, mel e fibras vegetais.
81. As células epiteliais presentes na boca, são exatamente iguais às que existem na vagina, formando um epitélio pavimentoso estratificado não-queratinizado.
82. O esperma humano contém espermina, um antioxidante patenteado como ingrediente cosmético para produtos antienvelhecimento, que consegue deixar a pele macia e sem rugas.
83. Se for atingido por um raio pode ficar com marcas na pele denominadas “figuras de “Lichtenberg”.
84. A gelatina é derivada do colagénio, uma proteína obtida a partir da pele de animais.
85. Os primeiros transplantes de órgãos foram realizados por médicos indianos, por volta do ano 800 a.C., ao usarem enxertos de pele para reparar feridas graves nos seus doentes.
86. No ano de 2005, foram desenvolvidos na China vários produtos de beleza produzidos a partir da pele de cadáveres de criminosos que tinham sido executados.
87. É possível desenvolver pele para vítimas de queimaduras a partir dos prepúcios obtidos de bebés que foram circuncidados.
88. Diversos tratamentos cosméticos feitos a partir de células estaminais retiradas de prepúcios de bebés sul-coreanos circuncidados estão a ser usados para rejuvenescer o rosto. Sandra Bullock, Kate Beckinsale e Cate Blanchett já experimentaram! Um dos componentes ativos é o EGF (sigla para epidermal growth factor).
89. Uma pessoa bem treinada é capaz de caminhar sobre carvão em brasa descalça sem queimar dos pés. Isso acontece porque o carvão não é um condutor de calor muito eficiente e demora a transferir a energia para a pele.
90. Estudos demostram que alterações no microbioma do intestino (disbiose intestinal) têm um impacto negativo na pele, podendo levar a inflamação, irritação e erupções cutâneas.
91. Bactérias “boas” podem ajudar a tratar a acne: um estudo de 2015 no Journal of Women’s Dermatology e outras pesquisas descobriram que a aplicação de probióticos tópicos como Streptococcus salivarius e S. thermophiles inibe o Cutibacterium acnes, envolvido na origem da acne, e pode tornar a pele mais resistente a esta a longo prazo.
92. Existe uma semelhança entre a pele do idoso e a cerveja, a presença de 2-nonenal. Trata-se de uma substância que aumenta à medida que envelhecemos, proveniente da decomposição de ácidos gordos e ómega-7, substâncias que estão presentes em maior quantidade na pele com a idade.
93. Até certo ponto, as unhas e os cabelos podem continuar a crescer após a morte. Isso acontece porque as células ficam vivas durante um curto período de tempo após a paragem cardíaca ou a morte cerebral. Este estímulo termina rapidamente, quando as reservas do organismo se esgotarem. É verdade que o corpo humano é composto por diferentes células e cada uma delas possui um tempo de viabilidade diferente; por isso, é possível fazer transplante de órgãos e mantê-los preservados após a remoção. Porém, este crescimento post mortem não será suficiente para ser percetível! Tudo não passará de um mito da ciência e a falsa impressão de que cabelo e as unhas continuam a crescer parece dever-se à desidratação e retração da pele após a morte.
94. As impressões digitais aumentam o atrito e ajudam a segurar objetos. Não estão presentes até aos três meses de gestação. Os macacos do Novo Mundo têm impressões semelhantes na parte de baixo da cauda, o que lhes facilita o swing de ramo para ramo.
95. As linhas de Blaschko são estranhas linhas distribuídas por todo o corpo, similares entre doentes, com formato em “V” sobre a coluna vertebral e “S” sobre o peito, abdómen e flancos. São um padrão invisível incorporado no DNA humano, um fenómeno bizarro da anatomia humana, mas não são nenhuma doença, nem correspondem à distribuição dos sistemas nervoso, muscular ou linfático. Curiosamente, muitas patologias cutâneas hereditárias e adquiridas manifestam-se de acordo com esses padrões, criando um aspeto visual de listas.
96. Em pessoas cegas, o córtex visual do cérebro é “religado” para responder aos estímulos recebidos pelo toque e pela audição, pelo que se pode dizer que estes doentes “vêm” o mundo pelo toque e pelo som.
97. A pele branca apareceu há apenas 20 a 50 mil anos, quando humanos de pele escura migraram para climas mais frios e perderam muito do seu pigmento de melanina.
98. Os doentes com albinismo são frequentemente escolhidos como vilões no cinema, como ocorrido em “O Código Da Vinci”, “Die Another Day” e “The Matrix Reloaded”. Possivelmente, os albinos, com a sua pele extremamente clara, são associados a vampiros e outras criaturas míticas da noite.
99. Imagens de feridas ou buracos na pele com padrões geométricos, tipo favo-de-mel ou flor de lótus, surgiram na internet, sugerindo doença de pele grave ou presença de vermes/parasitas. Apesar de potencialmente perturbadoras, estas imagens não são reais, sendo geralmente resultado de maquilhagem ou trabalhadas por computador.
100. Mais de 2000 pessoas têm chips de identificação por radiofrequência, ou etiquetas RFID, inseridos sob a pele que fornecer acesso a informações médicas, fazer login nos computadores ou desbloquear as portas do carro. Entre 2004 e 2008, no clube Baja Beach, em Barcelona, os clientes puderam obter um “cartão de débito”, através de um implante RFID, e festejar até que seus fundos se esgotassem.

One thought on “FACTOS E CURIOSIDADES SOBRE A PELE – PARTE II

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.