Home>Cidadania e Sociedade>RENASCER EM TEMPO DE PANDEMIA
Cidadania e Sociedade

RENASCER EM TEMPO DE PANDEMIA

Jorge Neto

“Olá, o meu nome é Jorge Neto e eu serei o vosso professor de História do 9º ano no Estudo em Casa”.

Foi assim que iniciei a minha experiência neste projeto, estávamos no dia 23 de abril. Ia extremamente ansioso, mais do que nervoso. Não sentia as pernas e as mãos a tremer, mas o coração batia muito apressadamente. Em pouco mais de uma hora gravámos duas aulas, as primeiras, e, no final, estava certo de que tinha corrido bem. Só faltavam mais 8 para preparar e gravar. O trabalho tinha acabado de começar, mas o ritmo estava estabelecido. Daqui em diante, só podia correr cada vez melhor!

Aula1: Os Regimes Totalitários e a Manutenção dos Regimes Democráticos; o Dealbar da Segunda Guerra Mundial; Aula 2: A Segunda Guerra Mundial

Mas recuemos um pouco no tempo, mais concretamente 44 dias. Estamos no dia 2 de março, segunda-feira. Professores e alunos regressam à escola depois de uma pausa letiva, pelo menos nos Salesianos de Lisboa. Mas com um professor, o caso é diferente: ele regressa à escola depois de uma longa ausência que se prolongou desde julho de 2019, por motivos de doença. A ansiedade do reencontro é enorme! Rever colegas, alunos, funcionários, amigos! Falava-se num vírus que a qualquer momento deveria ser detetado em Portugal, pois já estava em Espanha. Não tardaram muitas horas a serem noticiados os dois primeiros casos no país!

Aula 3: As consequências da II Guerra Mundial; Aula 4: Da 2.ª Guerra Mundial à queda do muro de Berlim.

Foi um dia intenso, como foram os seguintes. Alguns alunos já não compareceram às aulas, por estarem de quarentena. No dia 11 de março foi detetado o primeiro caso num Encarregado de Educação e a escola encerrou por tempo indeterminado. Pouco tempo depois, a solução para terminar o segundo período foi gravar com imagem e som as aulas e colocar à disposição dos alunos. A escola providenciou espaços para as gravações. O tal professor, que por acaso sou eu, por pertencer a um grupo de risco, fez as gravações em casa. Gravei dez aulas e ganhei aí o primeiro contacto com a lente! Não foi difícil, até porque pertencia à minha máquina fotográfica!

Aula 5: A instauração do Estado Novo; Aula 6: Portugal e o Mundo no Pós 2ª Guerra Mundial

A suposta interrupção da Páscoa não tardou e o contacto da DGE também não. Era necessário um professor para gravar as aulas de História do 9º ano, pois no grupo de professoras do Agrupamento de Escolas Fernando Casimiro Pereira da Silva, em Rio Maior, nenhuma tinha disponibilidade. Hesitei antes de aceitar. Eu sou um homem de desafios, mas ainda estava algo fragilizado. A resposta é evidente: aceitei, depois de contactar a Direção da minha escola, que me deu todo o apoio.

Prioridade: conhecer as colegas de Rio Maior. Meio de contacto: o Zoom, claro! Depois das cordiais apresentações, começámos a delinear estratégias de trabalho e a dividir tarefas. Sucederam-se reuniões, atrás de reuniões, partilha de materiais, seleção de informação, correção de frases, enfim, uma completa loucura. Quando considerávamos que o trabalho estava pronto, algo levava a correções fora de horas. Houve explosões de raiva, pois, por vezes, os erros eram ridículos. E não esquecer o contacto obrigatório com as colegas da língua gestual! Com a devida antecedência, o power point era enviado para que pudessem preparar a aula. Foi um prazer conhecer e conviver com estas colegas. Por vezes, antes do início das gravações, ainda estavam a treinar alguns nomes mais esquisitos que, entretanto, tinham aparecido e não constavam do que lhes tinha enviado.

E antes da partida para a RTP, os ensaios. Prioridades: domínio dos conteúdos, naturalmente, conhecer bem as entradas para a apresentação dos materiais e, o mais importante, fazer tudo em 30 minutos! Claro que a primeira reação foi logo: mas isso é impossível! Como é que vou explicar a Segunda Guerra Mundial em 30 minutos? Ora, há que apelar ao espírito de seleção de informação, de síntese! E resultou de tal maneira que expliquei a dita guerra em…23 minutos!

Aula 7: Da Guerra Colonial à democratização de Portugal; Aula 8: Portugal, a aproximação à Europa e ao Mundo; Aula 9: Três mundos em presença.

O número 23 corresponde também ao dia em que foi feita, então, a primeira gravação. Como já disse, estava ansioso. Por ir gravar, por ir conhecer as instalações da RTP, mas também por sair de casa. Atravessei uma Lisboa deserta. O dia estava cinzento, o que tornou a experiência ainda mais sinistra. Senti-me protagonista de um filme apocalítico.  Ao chegar, fui apresentado à equipa técnica. Grandes profissionais, excelentes pessoas! O convívio foi sempre muito agradável. Muita limpeza, muito gel, muitas instruções: “atenção à luzinha vermelha na câmara!”; “controle o tempo pelo cronómetro à sua esquerda!”; “esteja atento às instruções para começar a falar!”. E finalmente lá se ouve a música do genérico. E de seguida, a minha voz sai, pouco segura, da minha boca. Os primeiros trinta minutos foram passando, não bloqueei, o raciocínio saiu fluente e o tempo, esse, soube geri-lo! Quando terminou, achei que tinha corrido bem. E realmente, o primeiro comentário foi que eu tinha muito à vontade em frente às câmaras! Senti-me motivado para a segunda gravação, a tal em que expliquei a Segunda Guerra Mundial em 23 minutos!

Aula 10: Do Segundo Pós-Guerra à Globalização 

O passo seguinte, para além de continuar a preparar as aulas e a gravar, foi ver a primeira lição na RTP Memória. Aí, admito, estava nervoso! Não sou adepto, nem de ver a minha imagem, nem de ouvir a minha voz. Mas agora tinha de ser. E aquela camisa apertada! Mas tinha de ser, pois tinha um colete, devido ao meu problema de saúde. Por falar nisso, um esclarecimento: o meu problema de saúde prende-se com uma infeção intestinal, que degenerou em septicemia. Fui operado de urgência e retiraram-me 15 cm de intestino. Andei com um saco de julho de 2019 a janeiro de 2020, altura em que me reconstituíram o intestino. Desde então, andei de colete até muito recentemente. Isto para dizer que, se nunca gostei muito da minha imagem, agora então, não estava melhor. Mas isso foi compensado com todas as mensagens e chamadas telefónicas que recebi. A mais surpreendente surgiu perto das 20 horas. Número desconhecido! Pensei “mais alguém que me viu e que me quer felicitar”. Atendi: era um ex-aluno, ator famoso, de seu nome Pedro Granger! Tinha conseguido o meu número de telefone e queira dar-me os Parabéns! Tivemos 2 horas ao telefone!

Sou uma pessoa curiosa! E muito virado para as redes sociais! O meu Facebook foi inundado de mensagens! Revi ex-alunos, amigos, colegas de escola e de faculdade! Até revi o meu primeiro teste da minha carreira de Professor: estávamos em outubro de 1989! Mas também li os comentários no Tweeter! E no Youtube! Maioritariamente positivos. Mas alguns, Meu Deus, que tristeza! Enfim…

Houve um leque de gravações que correu menos bem. Falo das aulas 7 e 8. Os vídeos deram em não querer passar. Em dois casos improvisei. Noutro, a produção resolveu parar a gravação e resolver o problema. E conseguiram! Devo dizer que não me atrapalhei. Acho que a experiência de ensino e o facto de não ter sido logo no início ajudaram a mostrar segurança nesses momentos.

Vencedor da Edição Especial do Preço Certo – Professores do #EstudoEmCasa

Foi com nostalgia que vi estes dias de Estudo em Casa acabarem. Mas, surpresa, numa segunda-feira à tarde, recebi um telefone da Fremantle, a produtora. Tinha sido escolhido para ser concorrente no Preço Certo Especial Professores! Como? Eu? Concorrente? Ok, mais um desafio, vamos lá! Dia 10 de Junho, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. E do Preço Certo, também! Regresso à RTP para me divertir um pouco, depois de tanto trabalho, e saio de lá com a montra final! Foi magnífico! Ainda hoje me custa a acreditar! A excitação de dar a notícia aos meus amigos! Em português, em inglês! Bem, não disse a todos. Alguns só souberam no dia 13, quando foi para o ar na RTP. Mais uma vez, uma chuva de mensagens e de telefonemas!

VALOR FINAL da montra de prémios: 25.780 EUROS

Aqui está a prova de como a vida de uma pessoa muda tanto de um momento para o outro. No meu caso, a experiência do Estudo em Casa foi extremamente enriquecedora. O desafio de conseguir planear aulas de tempo tão curto, falar para uma câmara, sem o calor e afeto dos alunos, receber o feed-back de uma forma pouco comum. O balanço é naturalmente positivo. Pessoalmente, marcou também o reinício da minha vida, depois de quase me ter ausentado desta definitivamente. Ainda por cima, esta nova vida veio com brinde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.