Home>Cidadania e Sociedade>ESTUDEI EM CASA. E TU?
Cidadania e Sociedade

ESTUDEI EM CASA. E TU?

Isabel

O meu nome é Isabel, tenho 9 anos e terminei o 3ºano no Centro Escolar Ilídio Sardoeira.

De setembro a março foi um ano letivo normal, onde tive muitas aprendizagens, muita brincadeira, muitos sonhos…

Contudo, em março apareceu um vírus altamente contagioso que mudou as nossas vidas. A nossa casa passou a ser a nossa sala de aula, as aprendizagens foram feitas através do computador, do tablet ou do telemóvel. Os abraços tornaram-se virtuais, a saudade aumentou, mas os sonhos continuaram.

O início desta mudança foi estranho, confusa, mas depressa me habituei aos novos horários e rotinas. As aulas pela televisão passaram a fazer parte das minhas manhãs. As tardes foram preenchidas por aulas online e tarefas atribuídas pelas minhas professoras do Centro Escolar.

Não tive muitas dificuldades em conseguir acompanhar os novos conteúdos nem na realização das tarefas atribuídas, mas quando isso acontecia sabia que bastava um e-mail ou uma mensagem e as professoras respondiam. Também tive sempre o apoio da minha mãe, principalmente na fase inicial para organizar e enviar os trabalhos.

Eu sei que nem todos os meus colegas tiveram a mesma facilidade de adaptação porque não tinham os pais tão disponíveis como eu, que tive a minha mãe sempre comigo.

O maior problema foram as saudades dos meus amigos, dos meus colegas, dos professores e das assistentes da minha escola. As aulas online eram uma forma de nos vermos, mas faltavam e continuam a faltar os abraços.

Talvez não tenha aprendido tudo que era suposto aprender no 3ºano, mas trabalhei com a mesma dedicação que trabalharia na sala de aula porque sempre me senti apoiada e motivada pelas minhas professoras, mas agora no final já me sentia cansada desta rotina.

As minhas aulas de viola de arco, classe conjunto e formação musical, do Centro Cultural de Amarante, também passaram a ser online e principalmente as aulas de viola de arco foram muito importantes para a minha evolução a tocar o instrumento.

Apesar de achar que correu tudo bem, espero que o vírus desapareça e que não voltemos a estar presos em casa porque não há nada que consiga substituir o contacto entre as pessoas. Tenho saudades de tudo, até dos dias em que me cansava de estar na escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.