Home>Cidadania e Sociedade>(DES)CONFINAMENTO DIGITAL
Cidadania e Sociedade

(DES)CONFINAMENTO DIGITAL

Rui Canossa

O confinamento em massa da população mundial acelerou vários negócios de base digital.

O número de downloads de aplicações quase duplicou e as receitas dispararam. O Zoom, a aplicação para reuniões, acabou por ser o grande vencedor em “estranhos tempos estes”, vendo as suas ações quase triplicarem de valor no espaço de quatro meses. Nada mau para os investidores.

Com mais de 300 milhões de utilizadores por dia, o Zoom é uma aplicação de videoconferência vocacionada para reuniões de negócios. Foi fundada em 2011 pelo empresário chinês Eric Yuan, residente nos EUA, que ajudou a criar a WebEx, aplicação que seria comprada pela Cisco. Passou à condição de unicórnio em 2017, após ter conseguido atingir uma valorização de mil milhões de euros.

Pois é, em fevereiro deste ano, o Zoom nem sequer aparecia entre as dez aplicações com mais downloads em todo o mundo. Em março entra neste ranking diretamente para o terceiro lugar e, em abril, destrona o TikTok, rede social para vídeos de cura duração, que ocupava o primeiro lugar há vários meses. Em terceiro está o AAROGYA SETU com 80.5 milhões de downloads em abril, seguido do Facebook, Whatsapp, Instagram e Messenger, Google Meet, Netflix e Microsoft Teams.

Mas estamos mesmo a ficar agarrados ao ecrã. Em média, no primeiro trimestre deste ano, a população mundial gastou quase 39 mil milhões de horas por semana (o que equivale a 636 mil anos) a utilizar aplicações, incluindo jogos no computador, telemóvel ou tablet. Ainda bem que na última mudança de óculos optei por umas lentes blue protection!

Quanto às lojas a guerra está aí. A App Store da Apple, no primeiro trimestre de 2020, teve 9 mil milhões de downloads, contra os 24 mil milhões da Play Store, em termos de receita a App Store fez 15 mil milhões de dólares e a Play Store 8 mil milhões. Nada mal.

Ao refletir sobre isto tudo, e como estou em teletrabalho desde março, chego à conclusão que me desconfinei digitalmente. Já conhecia o Moodle, mas agora domino-o. Microsoft Teams, nem sabia que existia, agora, bem, é todo o tipo de utilizações, desde marcar aulas síncronas e assíncronas, colocar planos de aula, marcar conselhos de turma…. No Google Forms até faço as autoavaliações e ponho os alunos a trabalhar nele também. Whatsapp sempre tive com a minha direção de turma. Mail institucional e privado para agilizar, Eschooling para toda a vida escolar. Facebook e Instagram para divulgar contéudos, Messenger para tirar dúvidas e resolver exercícios de dúvidas. Mas, afinal estou confinado. (Des)confinado, é isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.