Home>Cidadania e Sociedade>A ARTE DE COMUNICAR
Cidadania e Sociedade

A ARTE DE COMUNICAR

Isabel Pinto da Costa

Este artigo não é mais do que uma pequena reflexão sobre a arte de comunicar. Desde que nascemos que o Homem comunica, primeiramente e mais enraizada uma comunicação não verbal, como os sorrisos, as lágrimas que mais tarde se convertem de uma forma natural e espontânea numa comunicação verbal.

A vida em sociedade tornou-se possível e cada vez mais compreensível com os avanços comunicativos. É assim, fundamental, olhar mais atentamente para a sociedade, para se conseguir encontrar essas evoluções. A tecnologia foi e é um fator impulsionador importantíssimo, ora vejamos, inicialmente a troca de mensagens escritas era apenas feita através de cartas, agora já conseguimos, em tempo recorde, enviar mensagens pelo telemóvel para o destinatário de uma forma mais rápida e eficiente. E é mesmo isto que temos de analisar.

A vida tornou-se urgente, imediata, quase mesmo “sem tempo suficiente”. Então, a comunicação também teve de obedecer às exigências do quotidiano acelerado. Um exemplo simples e que à primeira vista até passa despercebido ou até desvalorizado a nível da comunicação é a mudança dos maços de tabaco. Antes apenas se visualizava a marca, e a típica frase “FUMAR MATA”, agora já se veem também imagens dos efeitos secundários do tabaco no Homem. Essas imagens são um exemplo da vida emergente, podemos não parar para ler uma frase, mas vemos quase sempre as imagens nem que seja por segundos. São essas imagens que transmitem a mudança da comunicação.

Comunicar não é só falar! É muito mais do que isso. É expressar ideias, sentimentos, relações através de todos os meios que consigamos, pode ser uma luz como o verde, amarelo e vermelho do semáforo, pode ser uma expressão facial como um sorriso, pode ser uma fotografia, um poema, um cruzar de braços ou até a ausência de comunicação.

O importante a reter é que a comunicação é um meio de trabalho de tudo o que nos rodeia e de nós próprios, é crucial para mantermos uma relação com o nosso EU e com os outros, é fundamental para compreender o próximo e importantíssima para promovermos a nossa qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.